PREFEITURA SANEAMENTO

MEIRE ROSE: A composição da chapa 2 é construída a partir da preocupação e necessidade de fortalecer a Associação de Docentes da UFMT como espaço de participação de todos os professores, independente da linha política.

A chapa 2 - “ADUFMAT viva! De luta, transparente e democrática” tem como candidato a presidente o professor Reginaldo Silva de Araújo

Eleições na Adufmat
MEIRE ROSE

Este texto tem o objetivo reafirmar o Programa da CHAPA 02 – ADUFMAT VIVA! DE LUTA, TRANSPARENTE E DEMOCRÁTICA. Num material elaborado, pensado e discutido por todos os componentes da chapa 02, suas propostas são apresentadas aos docentes da universidade e sociedade em geral.

A composição da chapa 02 é construída a partir da preocupação, e porque não dizer, necessidade de fortalecer a Associação de Docentes da UFMT como espaço de participação de todos os professores, independente da linha política.

Como afirmamos no nosso jornal “queremos, sim, uma Entidade Sindical de Todos, centrada nas concepções de pluralidade e da transparência”.

Não há mais espaço para a ideia de uma AD voltada para um único pensamento, para grupos que, apesar de pregarem democracia, são na verdade sectários. A Adufmat precisa ser novamente uma entidade voltada para o movimento sindical progressista e para os outros movimentos sociais existentes, não apenas tegiversados.

Dizem por ai, ou arrotam, que somos muitas coisas negativas, que nem convém reforçar…mas, devolvo algumas afirmações:

– bom, as pessoas sabem que o espaço da sede da associação é livre para qualquer associado discutir ideias, e foi ali que discutimos e construímos a composição da nossa chapa. Email?! O nosso não foi, talvez….;

– a participação na greve foi medida em quais parâmetros? Alguém deu aula no nosso lugar? Alguém discutiu com nossos colegas em nosso lugar? Alguém levantou a mão em nosso lugar?

– pelo que eu saiba e li nos e-mails da Adufmat, havia um movimento de construção da comissão eleitoral e de uma chapa, mas em uma das assembléias as pessoas foram tomadas de sobressalto com o anúncio de uma chapa que não foi discutida nas reuniões.

E nessa composição quem havia participado das discussões ficou de fora, e sem ser avisado. Ora, que democracia é essa? Que transparência é essa? E ainda vem me falar de fascismo? Convenhamos!

– uma eleição de sindicato não se faz por fofocas e nem por “disque me disque”, aliás, já temos experiências em Cuiabá com o tão bem conhecido “comitê da maldade”.

– eu também não conheço componentes da outra chapa, e nem conhecia muitas outras pessoas que dizem não me conhecer, mas eu sei que muita gente conhece os componentes da Chapa 02.

E, para terminar, cito o primeiro item do nosso programa:

“Combate aos vícios políticos que permeiam muitas das práticas da nossa instituição, entre os quais apontamos, como os mais graves, o “sectarismo”, o “aparelhismo” e o “burocratismo”. Como nos ensina a experiência histórica dos trabalhadores, o primeiro se combate com pluralidade; o segundo, com transparência; o terceiro, com participação efetivamente democrática (…)” .

Dia 13 de dezembro – CHAPA 02 – ADUFMAT VIVA! DE LUTA, TRANSPARENTE E DEMOCRÁTICA.

(*) MEIRE ROSE – professora do Departamento de Geografia da UFMT e componente da chapa 02. E-mail: adufmatviva@blogspot.com

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.31.56.205 - Responder

    Prezad@s, sou professor da UNEMAT, já fui diretor da ADUNEMAT, e manifesto meu apoio à Chapa 1. Infelizmente, me parece que a Chapa2 é ligada ao PROIFES, um sindicato governista, com perdão do termo um tanto quando pesado, “pelego” (o Proifes).

    MANIFESTO POLÍTICO Chapa 1- “Quero ouvir tua voz apesar destas barras pelai!” (Gonzaguinha)

    Num contexto de crises mundiais e acirramento de políticas neoliberais praticadas nos últimos 20 anos pelos governos brasileiros, os trabalhadores são vilipendiados e paulatinamente transformados em meros operadores, em um processo intencional de desestruturação do projeto social das instituições públicas.
    Neste sentido, as administrações superiores universitárias a serviço dos governos, colocam em risco as conquistas do movimento dos trabalhadores em educação, sobretudo atacando a autonomia, o caráter público da Universidade e a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.
    A heroica greve de 127 dias demonstrou, por sua força, que os trabalhadores em educação dizem NÃO a esta política de educação pública arquitetada por esses governos e implementada por serviçais administrações universitárias.
    Neste grave quadro, há necessidade de reestruturar o movimento dos trabalhadores, agindo na reconstrução política de suas agremiações, e para tanto, no nosso caso faz-se necessário reafirmar a defesa das concepções do ANDES-SN.
    Nossa seção sindical urge de uma ação transparente, de luta pelos direitos dos filiados e dos trabalhadores em geral, rumo a novas conquistas!
    Nossos princípios
    1. Defesa dos pontos programáticos e de luta sindical definidos no âmbito do ANDES-SN.
    2. Defesa intransigente do ensino público, gratuito e de qualidade socialmente referenciada;
    3. Luta pela autonomia universitária
    4. Luta contra toda e qualquer iniciativa no sentido de sindicalismo oficial;
    Nosso Programa de Ações
    1. Adequação do Regimento da Adufmat à realidade atual da UFMT, através do debate amplo e democrático;
    2. Promover campanhas de sindicalização;
    3. Reestabelecer o Conselho de Representantes;
    4. Publicizar os balancetes trimestrais e balanço anual da Adufmat;
    5. Instituir novos mecanismos de comunicação com a base e reorientar/revigorar os já existentes, assim como efetivar a Assembleia multicampi em tempo real;
    6. Estabelecer agenda de mobilização que promova ciclos permanentes de debate político e conscientização de classe;
    7. Promover periodicamente reuniões públicas abertas para discutir a Universidade e a Sociedade;
    8. Revigorar os GT’s já estabelecidos e fomentar outros;
    9. Estimular a unidade sindical pluri-participativa;
    10. Retomada da ação política com perspectiva classista articulando localmente com os sindicatos, movimentos estudantis e demais movimentos sociais;
    11. Enfrentamento radical contra todas as medidas autoritárias centralizadoras e contrárias ao interesse da comunidade universitária;
    12. Intensificar o combate às privatizações, à corrupção, aos ataques midiáticos, à fragmentação sindical e precarização do trabalho docente.

    Integrantes da Chapa 1
    Presidente
    Carlos Roberto Sanches
    ICET
    Vice-Presidente
    Odilzon das Neves Grauz
    FD
    Diretor Secretário
    Robson Felipe Viegas da Silva
    ICHS
    Diretor de Imprensa
    Lázaro Camilo Recompensa Joseph
    FE
    Diretora Tesoureira
    Maria Luzinete Alves Venzeler
    DCBS
    Diretora Ass. Sócio-Culturais
    Gleyva Maria Simões de Oliveira
    IE
    Diretora Ass. Aposentadoria
    Iva Ferreira Gonçalves
    ICHS
    Fale conosco: chapa1.adufmatssind@gmail.com

  2. - IP 177.3.48.23 - Responder

    Enock
    A chapa 2 ja assumiu publicamente que é ligada aos Proifes, o sindicato criado pelo governo para dividir o movimento docente. É a chapa do sindicalismo oficial, de inspiração fascista (e praticas nazistas).
    Nenhum dos integrantes da Chapa 2 participou ativamente da greve. Foram às assembléias apenas para votar contr o movimento democraticamente construido pelos professores.
    Apesar disso, no programa da Chapa um há diversos pontos que eles “chuparam” de um manifesto construido por professores que participaram da maior e mais longa greve da historia das instituições federais de ensino. Eles não tiveram a decencia de nem mesmo construir e assumir um programa próprio.
    A professora Meire fala em garantia de professores, mas na prática a chapa da qual ela faz parte defende o fim de espaços de discussões democraticas, como os Colegiados de Departamento e as Congregações.
    A Chapa 2 representa a corrente do PT que, usando praticas que voce sabe, obrigou militantes históricos do Partidos a dele se desfiliarem
    A Chapa 2 representa o sindicalismo oficial porque foi articulada, inclusive, por integrantes da administração superior da UFMT, que vem sendo muito criticada exatamente por não respeitar decisões democraticas de assembleias e nem mesmo ouvir a comunidade universitaria para tomatr decisões importantes e que dizem respeito a todos.
    Para os professores que pensam numa educação publica de qualidade socialmente referenciada na eleição da proxima quinta feira, dia 13, o voto correto é na CHAPA UM, a unica que vai garantir aos professores a possibilidade de continuarem a lutar por uma universidade com mais condições de trabalho, uma universidade que tenha mais que predios, seres humanos capazes de construir um pais menos injusto e sem as mentiras dos integrantes desta chapa montada em gabinetes, ao arrepio das discussões democraticas.
    DIA Q13 DE DEZEBRO, NA ELEIÇÃO DA ADUFMAT – VOTE CHAPA UM

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

nove + 18 =