TCE - NOVEMBRO 2

MCCE denuncia ameaças e torturas impostas a estudantes e professores em VG. “Um delegado de polícia, conhecido como “João Loko”, ameaçava manifestantes e advogados, e durante a madrugada, aproveitando a ausência dos defensores, obrigou os homens detidos a ficarem nus diante das mulheres”. Deputado Walter Rabello (PSD) defende que protestos sejam feitos diante da União Transportes. E diz que participará da manifestação, se for chamado

O deputado e apresentador do Cadeia Neles, Walter Rabello, disse que os manifestantes erram quando destroem patrimônio público. Para ele, protestos devem ser direcionados contra a União Transportes, que deteria  o monopólio das linhas em Várzea Grande

O deputado e apresentador do Cadeia Neles, Walter Rabello, disse que os manifestantes erram quando destroem patrimônio público. Para ele, protestos devem ser direcionados contra a União Transportes, que deteria o monopólio das linhas em Várzea Grande

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), através do seu coordenador, Antonio Cavalcante, o Ceará, divulgou, no início da noite o seguinte comunicado:

 

NOTA PÚBLICA DO MCCE

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) vem tornar públicas as ameaças e torturas impostas a estudantes e professores, presos criminosamente e mantidos incomunicáveis no cárcere durante mais de 15 horas, e o avanço de inescrupulosas empresas sobre o patrimônio que pertence ao povo de Mato Grosso.

Há mais de dois meses as empresas concessionárias de ônibus estão criando o caos, cobrando dobrado dos usuários de transporte coletivo (assim age a União Transportes, concessionária do Terminal André Maggi). Isso para gerar um clima de pressão contra o governo e ganhar “de graça” a estrutura do VLT (que vale um bilhão e meio de reais), e continuar explorando o povo, na pior acepção da palavra “explorar”.

As reclamações sobre os abusos das empresas (fim da integração, cobrança em dobro) foram feitas ao Ministério Público e à Secretaria de Transporte Urbano de Várzea Grande, que nada fizeram. Revoltado o povo manifestou sua indignação na tarde de sexta-feira (29/12) e cerca de 25 manifestantes foram detidos (homens, mulheres e crianças), encaminhadas à primeira Delegacia de Polícia (Jardim Aeroporto) e impedidas de contato com advogados e familiares.

Um delegado de polícia, conhecido no meio como “João Loko” ameaçava constantemente manifestantes e advogados, e durante a madrugada (por volta das 05 horas), aproveitando a ausência dos defensores, obrigou os homens detidos a ficarem nus diante das mulheres.

O abuso de autoridade e a tortura foram ao limite.

Cerca de 8 adolescentes ficaram presos entre detentos maiores, das 19:00 às 03:30 da madrugada, e uma criança de 12 anos de idade (epilética) só foi liberada por volta da meia noite, graças à intervenção do Defensor Público Dr. Roberto Tadeu Curvo, da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Depois de 15 horas de prisão arbitrária, finalmente os manifestantes foram ouvidos, e a fiança arbitrada ficou em mais de cinco mil reais, o que é desproporcional, já que o prefeito de Várzea Grande foi preso com munição de arma de fogo, no mês de agosto/2013, e a fiança a ele arbitrada a ele foi de um salário mínimo.

Somente com a intervenção do TJ/MT, que reduziu a fiança a um salário mínimo, após 50 horas de prisão, e depois de serem recolhidos entre tuberculosos nos presídios Carumbé e Ana Maria Couto, é que os alunos e professores (manifestantes) foram postos em liberdade.

De todas as instituições provocadas neste episódio, a OAB, por meio do TDP, ofereceu apoio aos advogados. Já o Ministério Público, o juiz de Várzea Grande, a secretaria de transportes da cidade e o delegado acusado de tortura, optaram por emprestar apoio à empresa União Transportes e seus interesses políticos e econômicos.

No alvará coletivo de soltura, expedido no início da noite de domingo, foram incluídos presos comuns (furto e roubo) para induzir a opinião pública de que havia bandidos entre os manifestantes.

O MCCE, que apoiou os manifestantes e suas famílias, a estes se alinha, e promete denunciar os abusos cometidos por agentes do Estado, que deveriam servir e proteger o povo.

Cuiabá, 02 de dezembro de 2013.

MCCE – MOVIMENTO DE COMBATE À CORRUPÇÃO ELEITORAL

—————–

ENTENDA O CASO

30/11/2013

Polícia autua 24 pessoas por depredar terminal de ônibus em cidade de MT

Terminal André Maggi, em Várzea Grande, foi alvo de vândalos nesta 6ª.
Estrutura foi danificada durante protesto; entre os autuados há 12 menores.

Do G1 MT

Protesto contra sistema de transporte terminou com vandalismo no terminal. (Foto: Luiz Gonzaga / TVCA)Protesto contra sistema de transporte terminou com vandalismo no terminal. (Foto: Luiz Gonzaga / TVCA)

Os atos de depredação do terminal de ônibus André Maggi, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), levaram à prisão de 12 pessoas e à apreensão de outros 12 menores de idade na noite desta sexta-feira (29) durante um protesto contra mudanças no sistema de integração no transporte coletivo. Todas as 24 pessoas foram autuadas por dano ao patrimônio público, sendo que os menores devem responder pela mesma situação na condição de ato infracional.

Previsto e divulgado por meio das redes sociais, o protesto começou no fim da tarde de sexta-feira e teve como alvo a nova forma de cobrança da tarifa, em vigor desde o dia 15 de novembro. As mudanças comprometeram o sistema de integração e usuários reclamaram da ineficiência do novo sistema implantado, que estaria cobrando passagens a mais.

Para o protesto, os manifestantes se concentraram no ginásio Fiotão, logo ao lado do terminal. Em um dos boletins de ocorrência registrados, policiais militares relatam a concentração de cerca de mil manifestantes. Dentre eles, foram vistas pessoas mascaradas a cometer depredação da estrutura do terminal. Ao menos 15 pessoas autuadas são estudantes.

saiba mais

Catracas das áreas de embarque do terminal foram arrancadas e jogadas na pista de passagem dos ônibus. Veículos ficaram impedidos de circular. A Polícia Militar também reportou que os assentos para os usuários dentro do terminal foram quebrados.

A movimentação de usuários no local – que chega a concentrar até 5 mil pessoas naquele horário, segundo a Secretaria municipal de Infraestrutrura – foi prejudicada pelos atos de vandalismo, as ruas do entorno ficaram tumultuadas e o terminal acabou interditado.

Depredação
De acordo com a Polícia Civil, as pessoas presas pelos atos de dano ao patrimônio público, sem direito à fiança, são dez homens e duas mulheres que se encontram na Central de Flagrantes de Várzea Grande e que devem ser transferidos ainda neste sábado (30) ao sistema prisional. A não aplicação da fiança é uma forma de assegurar a ordem pública, informou a nota da polícia.

A mesma nota também informou que nove dos menores de idade apreendidos e autuados após o protesto já foram encaminhados a seus pais. Outros três deverão ser encaminhados à Delegacia do Adolescente (Dea) de Várzea Grande e ser apresentados à Promotoria da Infância e Juventude.

Já a Polícia Militar informou que agiu durante o tumulto com apoio da Rotam para dispersar os manifestantes. Três detidos – com 26, 30 e 46 anos de idade – foram identificados como “líderes” dos atos. Gravações de vídeo também permitiram a identificação deles.

A Polícia Militar também divulgou que, além dos 24 autuados por depredação do terminal , outras duas pessoas – de 19 e 22 anos – foram presas por se aproveitarem do tumulto para furtar objetos, como bebedouros de água, materiais de escritório e equipamentos para impressão de cartões de transporte. Um dos detidos estava levando os objetos dentro de um carro, segundo a Polícia Militar.

————

CONTRA O MONOPÓLIO

WALTER RABELO DIZ QUE O POVO DEVE FAZER MANIFESTO NA EMPRESA UNIÃO TRANSPORTES

O jornalista e deputado Walter Rabelo disse que ao invés de depredar patrimônio público, os manifestam que promoveram o mais quebra-quebra no Terminal André Maggi em Várzea Grande deveriam ir para empresa União Transportes que monopoliza o sistema de transporte coletivo no município e despejar sua ira contra a empresa não com o bem coletivo como fizeram.

Disposto e decidido ele ainda afirmou “Se precisar eu vou junto, me chama”
FONTE VG NEWS

Categorias:Cidadania

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    tortura em delegacia? a denúncia é muito séria para passar em branco. corregedoria da policia e mp devem ser acionados. quem é esse joão loko?

  2. - Responder

    Absurda essa situação ocorrida em Várzea Grande, pois, todo o aparado público (polícia, promotor público, juiz de direito, delegado (conhecido como “joão loko”), prefeitura, além de grande parte da mídia, ficaram ao lado dos poderosos (empresas de transporte público), colocando os manifestantes como arruaceiros, baderneiros, vândalos, criminosos, etc. Sempre com a desculpa do legalismo! Ao lado dos manifestantes, apenas a Defensoria Pública e o combativo MCCE. Isso mostra mais uma vez, que nosso estado é terra de “coronéis”, e que, qualquer tipo de manifestação contrária ao que está colocado pelos donos do poder, será severamente punida! É bem Mato Grosso…

  3. - Responder

    A lei é para todos. Muito me admira ver os defensores da moralidade e da ética defender a conduta criminosa, o dano ao patrimônio alheio. Gostaria de ver qual o posicionamento do MCCE se os manifestantes tivessem apedrejado o patrimônio do MCCE. Será que seria diferente? Será que iriam utilizar o discurso da impunidade, caso os manifestantes fossem soltos? Sei não ein, tenho dúvidas…
    Enfim, lugar de criminoso é na cadeia, sejam manifestantes, pobres, ricos, negros, brancos, professores, alunos ou analfabetos… Quando o MCCE se indigna de terem misturado os professores e alunos junto aos verdadeiros pobres coitados que abarrotam os presídios brasileiros, prega por via indireta o preconceito… Lamentável! Quanto ao defensor público ter se feito presente, penso que nem deveria ter ido, porquanto a defensória nunca vai prestar assistência nas delegacias quando os presos são ladrões de galinhas, viciados em drogas, os famosos “pés de chinelo”… Por fim, quero deixar claro que sou apreciadora do trabalho do MCCE na defesa da probidade administrativa, no combate à corrupção, de modo que não vejo sentido o MCCE defender manifestação não pacífica…

  4. - Responder

    OLA CUIIIAAABBBAAA…BOM DIA ,E AI NINGUEM VAI COMENTAR SOBRE WALTER RABELO..O APRESENTADOR DO CADEIA NELES QUE FOI PRESO NO NATAL!!!!!!!!!!! E AI CADE A NOTICIA NEM JORNAIS NADA FALOU DO CARA..PAIZ FILHO DA PUTA ONDE A LEI E SO P POBRE…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × 3 =