Maurício Magalhães quer ressuscitar o PSDB

mauricio magalhães e antonio joaquim,  possiveis candidatos a governador pelo psdb em 2014-2

Maurício Magalhães e Antonio Joaquim: eles estariam sonhando em resgatar a grandeza do PSDB em Mato Grosso. Sonho de uma noite de verão?

Maurício Magalhães e Antonio Joaquim: eles estariam sonhando em resgatar a grandeza do PSDB em Mato Grosso. Sonho de uma noite de verão?

 

A grande novidade deste fim de ano, na política de Mato Grosso, vem lá do “museu de grandes novidades” cantados nos versos imortais do poeta pop Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza. Quando menos se esperava, eis que o PSDB se sacode e quer ressurgir das cinzas, desafiado por um de seus militantes mais discretos, o ex-secretário de Administração do governo de Dante de Oliveira, Maurício Magalhães que resolveu abandonar a discrição.

Soube que, nos bastidores, Magalhães reclama contra o abandono do legado de Dante de Oliveira e já dispôs, assim que o ano de 2014 começar, a colocar seu nome à disposição da legenda para disputar o cargo de governador contra Pedro Taques (PDT) e contra quem mais se apresentar.

Vejam que a reviravolta, neste caso, pode ser muito grande – já que, até aqui, já se tinha o partido tucano devidamente vendido, embrulhado e entregue nas mãos justamente de Pedro Taques e da coligação Mato Grosso Muito Mais.

Maurício Magalhães reage contra esse acerto na surdina e acredita que um partido que sempre disputou na majoritária, não pode se omitir, no momento em que Aécio Neves se lança como candidato a presidente da República contra a petista Dilma Roussef.
“O PSDB tem condições de ter palanque próprio. Além do mais, temos que dar apoio e fortalecer ao máximo o partido para a eleição de Aécio. Para mim, o caminho para o partido ir se diminuindo é focar apenas nas [eleições] proporcionais” – declarou Maurício Magalhães à repórter Kamila Arruda, do Diário de Cuiabá.

Guilherme Maluf, deputado estadual e candidato a prefeito de Cuiabá, pelo PSDB, em 2012, parece que já acertara a fatura com Pedro Taques, interessado apenas em renovar seu mandato e agora vai ter que se mexer. Wilson Santos, outro herdeiro tucano que sonha com a Assembleia, deve estar meio assustado, desafiado assim de repente a defender o legado de Dante de Oliveira.

Pelo jeito que o PSDB tem em Mato Grosso, o legado de Dante é esse bando de político que só consegue enxergar o próprio umbigo e parece que não está nem ai para o coletivo tucano. Ao invés do legado de Dante, o que se negocia hoje são os preciosos minutos do PSDB na televisão – e Pedro Taques e seu marqueteiro, o renegado tucano Antero, já contavam com esse tempo para sua pregação neo-udenista.

Como é que vai ficar o cenário, agora que, além de Maurício Magalhães, Antonio Joaquim também deu um louca e estaria admitindo abandonar sua cômoda e bem remunerada concição de conselheiro falando em largar o Tribunal de Contas do Estado para encabeçar a chapa tucana ao Palácio Paiaguás?!

Política é como nuvem, dizia o velho Ulisses Guimarães. Mas será que ainda existe estofo moral, entre os tucanos, para resistir a uma campanha majoritária pelo Governo do Estado?

Guilherme Maluf, na Assembleia Legislativa, sempre foi a imagem do perfeito do negocista, achando jeito até que garantir tempo de mandato para Gilmar Fabris, sempre na bica de ter que ajustar contas com a Delegacia Fazendária. Como se livrar dessa rotina de acertos e tentar retomar a imagem de um partido ideológico?

Ouvi de um tucano “radical mas sincero”, durante esta semana, queixas profundas contra a viúva de Dante, a ex-deputada Thelma de Oliveira que teria se esquecido completamente do legado do marido e até o antigo escritório de Dante ela teria achado jeito de alugar para Pedro Taques – justamente o procurador da República que ordenou aquela fatídica invasão dos escritórios do PSDB e também do ex-governador que, abalado em sua saúde, teria acabado sendo arrastado para a morte prematura. Para vocês verem que existem alguns ódios mal adormecidos contra Pedro Taques nas hostes tucanas.

Pensar na ressurreição de Dante, nessa altura do campeonato, ou em qualquer ocasião, seria uma heresia.

Pensar na ressurreição do PSDB, é uma espécie de delírio que anima, neste fim de ano, o coração militante de Maurício Magalhães e, quem sabe, de Antonio Joaquim. Confira o noticiário. (EC)

 

 

 

————–

ENTENDA O CASO

 

Magalhães quer ser candidato do PSDB

Ex-secretário do governo Dante, Maurício Magalhães se colocou à disposição da sigla. Para ele, lançar apenas chapa proporcional diminui o partido
KAMILA ARRUDA
DIÁRIO DE CUIABÁ

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) pode desistir de apoiar o senador Pedro Taques (PDT) na eleição de 2014 ao governo do Estado para lançar candidatura própria. O ex-secretário do governo Dante de Oliveira (já falecido), Maurício Magalhães é quem colocará o nome à disposição da legenda logo no início de janeiro.

Para ele, a agremiação precisa arriscar uma candidatura própria para fortalecer a empreitada do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. Além disso, ele acredita que o caminho que o PSDB está seguindo atualmente pode enfraquecê-lo no Estado.

“O PSDB tem condições de ter palanque próprio. Além do mais, temos que dar apoio e fortalecer ao máximo o partido para a eleição de Aécio. Para mim, o caminho para o partido ir se diminuindo é focar apenas nas [eleições] proporcionais”, pontua.

Magalhães lembra que o diretório estadual do partido nunca reagiu desta forma frente a uma eleição. Segundo ele, a legenda sempre buscou fazer parte do pleito majoritário.

“Nunca tivemos este tipo de coligação diferenciada, na qual se esquece a possibilidade de um palanque próprio, interessados exclusivamente nas proporcionais”, afirma, avaliando que a mudança de postura pode ter ocorrido devido ao desinteresse dos militantes em encabeçar a disputa.

Mesmo nunca tendo sido candidato a nenhum cargo eletivo, o ex-secretário se diz disposto a representar a legenda. Ressalta ainda não ter o interesse de interferir em planos alheios – em uma referência velada à candidatura de Taques ao governo -, mas apenas ter a certeza de que seu partido tem capacidade o suficiente para encabeçar uma chapa própria.

“Apesar da minha pretensão, não vou ser um candidato rebelde. Só acredito que, pelo tamanho que o PSDB tem no Estado, poderíamos facilmente ter palanque próprio. Talvez essa possibilidade ainda não foi viabilizada porque não tem ninguém disposto a se candidatar. Por isso, vou colocar meu nome à disposição e aguardar o apoio do partido”, explica.

A mesma “estratégia” já foi defendida pelo deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), em agosto. Na época, o parlamentar afirmou que o partido deveria “se sacrificar” e lançar um candidato para fortalecer o nome do senador Aécio Neves em Mato Grosso.

O deputado tucano, no entanto, ponderou que o partido poderia sair prejudicado caso isso ocorra. Isto porque, em 2010, como candidato à Prefeitura de Cuiabá, ele não teve o respaldo necessário da cúpula nacional.

Maluf disputou o comando do Palácio Alencastro e, embora tenha iniciado a corrida eleitoral em segundo lugar nas pesquisas, acabou como terceiro colocado no pleito.

Ele próprio atribui o mau desempenho à ausência de assistência do partido, fator este que também teria influenciado a decisão do diretório regional de não lançar ninguém ao Paiaguás em 2014.

Segundo Maluf, o objetivo prioritário da sigla no Estado é lançar uma chapa proporcional forte, com candidatos à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa que tenham chances reais de se eleger.

 

 

 

 

 

Categorias:Jogo do Poder

7 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.27.176.68 - Responder

    Quem não se lembra das gravíssimas acusações que o Taques lançou contra o psdb do Dante?! Em especial do envolvimento desse e seu irmão com o crime organizado e o suspeito financiamento da campanha do Antero em 2002 (que tinha como vice a mulher do Riva). Os únicos que se esqueceram são o atual candidato (ex acusador) o seu marqueteiro (ex acusado) e alguns puxa sacos dos dois. Com certeza na campanha tudo voltara a tona!

  2. - IP 201.22.172.187 - Responder

    O Anterinho..quem diria né gente, lambendo as botas de José Pedro e carregando a mala de Mauro.

  3. - IP 201.22.170.173 - Responder

    Mauricio,bebeu e não está falando o que pensa.Se falou não pensou.Voltar Antônio Joaquim.Walter Albano,Novelli,Avalone,Vitor Candia, Riva ,Bosaipo etc,etc,não haverá orçamento ou economia que aguente o Fetahb então,acabará a grana em 2 meses, e agora não tem mais Arcanjo para fazer o CÀMBIO,entendem?

  4. - IP 177.17.206.121 - Responder

    Não sei que é o pior, Maurício Magalhães, ou os demais candidatos a governador. Infelizmente, o quadro político de Mato Grosso é o que tem de pior. As pessoas o conhecem sr. Mauricio, inclusive, o governo de Dante de Oliveira. Vc sempre viveu do serviço público, assim como Riva, Silval, e os demais pretensos candidatos.

  5. - IP 189.119.168.164 - Responder

    É muito descaramento Pedro Taques se aliar a quem tanto perseguiu e muita falta de vergonha na cara o PSDB se reba

  6. - IP 189.119.168.164 - Responder

    Rebaixar dessa forma.

  7. - IP 200.101.31.144 - Responder

    o mauricio tem todo direito se candidatar até o muvuca quer porque o magualhães não pode querer o unico que nunca deveria ter sido candidato a governador é o antero, depois do dante quem deveria ter disputado era o roberto frança

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

catorze + onze =