PREFEITURA SANEAMENTO

Luciane Bezerra detona com relatório de Emanuel Pinheiro. Emanuel denunciou 3 pessoas, Luciane denuncia 20 por rombos no MT Saúde, inclusive ex-secretário de Estado. Será o César Zilio? Será o Geraldo De Vitto? Esclarecimento definitivo virá na próxima 3ª. Veja a coletiva da deputada

A deputada Luciane Bezerra, insatisfeita com o relatório apresentado por Emanuel Pinheiro, anunciou que vai ampliar a relação de denunciados, de 3 para 18 e que, entre eles, deve estar um secretário de Estado. Como Geraldo De Vitto e César Zilio comandaram a SAD e foram responsáveis pela gestão do MT Saúde, fica a expectativa até a próxima terça-feira: quem terá seu nome encaminhado para o Ministério Público por possível envolvimento no rombo do MT Saúde?

A deputada Luciane Bezerra, insatisfeita com o relatório apresentado por Emanuel Pinheiro, anunciou que vai ampliar a relação de denunciados, de 3 para 18 e que, entre eles, deve estar um secretário de Estado. Como Geraldo De Vitto e César Zilio comandaram a SAD e foram responsáveis pela gestão do MT Saúde, fica a expectativa até a próxima terça-feira: quem terá seu nome encaminhado para o Ministério Público por possível envolvimento no rombo do MT Saúde?

Relatório paralelo aponta 20 culpados

Texto diverge de documento oficial, que indiciou apenas cinco pessoas pelo desvio de R$ 25 milhões plano de saúde dos servidores estaduais

KAMILA ARRUDA
DIÁRIO DE CUIABÁ

A votação do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MT Saúde, prevista para acontecer na manhã desta terça (25), foi adiada para a próxima semana. Como prometido, a vice-presidente do grupo, deputada estadual Luciane Bezerra (PSB), apresentou um relatório paralelo ao que foi produzido pelo relator do caso, deputado Emanuel Pinheiro (PR).

No documento a socialista sugere o indiciamento de 18 pessoas e das empresas Serviço Social da Indústria (Sesi) e Tempo CRC por um rombo de R$ 25 milhões no plano estadual de saúde. De acordo com ela, o desvio foi comprovado por meio do cruzamento de dados realizado pela Comissão.

“Não concordei com o relatório do relator na parte que apontava os indiciados. Fiz uma síntese dos documentos mais importantes e, com base neles, estou indiciando 18 pessoas físicas e mais duas empresas. Reconheço o relatório do deputado Emanuel Pinheiro na parte propositiva. Está perfeito! Muito bom quanto à questão de recuperar o MT Saúde com força, com credibilidade. Mas, na parte indiciativa, deixou a desejar. A sociedade está pedindo quem são os responsáveis pelo caos do MT Saúde. Então, no meu voto, estou esclarecendo que houve 18 pessoas possivelmente culpadas e mais duas empresas”, explica a socialista.

A deputada não quis divulgar os nomes dos envolvidos, pois ainda não sabe se o seu voto será incluso no relatório oficial. Apesar disso, adiantou que ex-secretários de Estado serão denunciados por participação no esquema.

“Se o Emanuel aceitar e anexar ao relatório, vou sustentar meu voto. Falar nome por nome e apontar quais são os crimes em que eles se enquadram”, pontua.

Entre os supostos crimes cometidos pelos envolvidos estão fraude em contratos, ausência de licitação e desvio de dinheiro público. “Isso causou um rombo de mais de R$ 25 milhões, fora os R$ 43 milhões pagos para as redes credenciadas, que nos não podemos estimar, porque não temos documentos comprobatórios. No mínimo, sabemos que mais de R$ 25 milhões foram desviados. Agora, cabe ao Ministério Público investigar e culpar os responsáveis”, diz Luciane.

O documento apresentado pela socialista possui 1.362 páginas e contrasta com o apresentado oficialmente por Emanuel Pinheiro. O dele, foi entregue ao presidente da CPI, deputado Walter Rabello (PSD), na semana passada.

O republicano responsabilizou apenas cinco pessoas pelo rombo milionário no plano dos servidores públicos: os três sócios da operadora Samaritano – Marcelo Marques dos Santos, João Enoque Caldeira da Silva e Washington Luis Martins da Cruz -, o proprietário da Open – Antônio Carlos Barbosa -, além do ex-presidente do plano, Gelson Smorcinski. Todos também foram indiciados pela deputada.

A CPI deve ter um desfecho na próxima terça-feira (2), data para qual está marcada a votação do relatório.

Paralelo aos trabalhos da Comissão, a secretaria de Estado de Administração (Sad) trabalha na reestruturação do MT Saúde. De acordo com o secretário Francisco Faiad (PMDB), o projeto deve ser encaminhado para apreciação da Assembleia Legislativa no início do mês de agosto.

—————–

Deputada aponta 18 responsáveis por desvio de R$ 25 milhões
Luciane Bezerra apresentou voto em separado baseado em relatório próprio

ISA SOUSA
DO MIDIA NEWS

A deputada estadual e vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito do MT Saúde, Luciane Bezerra (PSB), apresentou nesta terça-feira (25) relatório extraoficial em que sugere o indiciamento de 18 pessoas e das empresas Serviço Social da Indústria (Sesi) e Tempo CRC por um rombo de R$ 25 milhões no plano estadual de saúde.

O documento, com 1.362 páginas, foi usado como justificativa para a parlamentar apresentar seu voto em separado hoje. O relatório de Luciane contrasta com o apresentado oficialmente pelo relator da Comissão, deputado Emanuel Pinheiro (PR).

“Quero deixar claro que eu me baseei no relatório apresentado pelo deputado Emanuel Pinheiro, porém não fiquei satisfeita com a parte indiciativa, que deixou a desejar.”

No relatório do parlamentar, entregue ao presidente da CPI, Walter Rabello, na última terça-feira (18), quatro pessoas e as empresas Open Saúde e Saúde Samaritano foram apontadas como responsáveis pela quebradeira do plano. Pinheiro, no entanto, não indicou valores relacionados a um possível rombo no plano.

Segundo Luciane, o desvio de R$ 25 milhões foi encontrado graças ao cruzamento de dados e documentos oficiais que constam do próprio relatório do deputado.

Entre os 18 possíveis responsáveis pelo rombo, estão os quatro que foram indicados por Pinheiro como participantes no desmantelamento do MT Saúde: o ex-presidente do órgão, Gelson Esio Smorcinski, Antônio Carlos Barbosa (Open), Marcelo Marques dos Santos e João Enoque Caldeira da Silva (ambos do Samaritano). As empresas citadas pelo relator também estão inclusas no documento da vice-presidente da CPI.

Luciane garantiu que na lista dos possíveis culpados constam também ex-secretários de Estado. Porém, a deputada não quis revelar, ainda, os nomes.

Além do rombo, em tese comprovado, a parlamentar informou que outro, no valor de R$ 43 milhões, pode ter ocorrido. Por falta de provas, no entanto, não se aprofundou neste item.

Luciane ainda esclareceu que a elaboração de seu relatório foi feita por descontentamento em relação ao trabalho apresentado por Pinheiro.

“Quero deixar claro que eu me baseei no relatório apresentado pelo deputado Emanuel Pinheiro, porém não fiquei satisfeita com a parte indiciativa, que deixou a desejar. Por esse mesmo fato, apresentei esse relatório paralelo”, disse a deputada.

CPI adiada

Devido à apresentação do relatório e voto em separado, o relator solicitou tempo hábil para analisar o novo documento e avaliar se vai incluir dados presentes nele ou não.

Com isso, a votação foi adiada mais uma vez e está prevista para acontecer na próxima terça-feira (2).

Pinheiro deve informar se fez a inclusão ou não dos dados do relatório de Luciane. Em seguida, os membros votam. Sendo finalizada, a Comissão encaminhará o texto final para que o Ministério Público Estadual possa dar prosseguimento às investigações.
——————

Relatório de deputada pede indiciamento de 20 por caos no MT Saúde; ex-secretários estão na lista

Da Redação – Laura Petraglia
OLHAR DIRETO

A deputada Luciane Bezerra (PSB) apresentou na manhã desta terça-feira (25) o voto dela em separado à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga supostos desvios e ingerências cometidas na administração do MT Saúde, pediu o indiciamento de 18 pessoas físicas e mais duas empresas.

Na lista dos indiciados pela parlamentar estão ex-secretários de Estado, revelou ela sem citar nomes ainda. Na próxima terça-feira (2) a CPI deve se reunir novamente onde Luciane fará a sustentação oral do seu voto.

“Como a gente já esperava, o relatório do Emanuel Pinheiro (PR) está muito propositivo. Ele só indiciou quatro pessoas. Como nós achamos que nesse quesito ele deixou muito a desejar, nós fizemos um nosso voto em separado, sustentado apenas com os documentos que formam anexados ao longo na CPI”, afirma.

Independente de o relator da CPI, deputado Emanuel Pinheiro (PR), aceitar ou não as pontuações do voto de Luciane como um adendo do relatório dele, ela afirma que vai enviar ainda esta semana o seu relatório em separado para o Ministério Público.

“Quem foram os responsáveis pelo caos no MT Saúde? A sociedade está pedindo este esclarecimento e no meu voto eu faço esses apontamentos”, finalizou.

Dentre as supostas irregularidades cometidas por essas pessoas e empresas citadas por Luciane estão contratos irregulares, compras sem licitação e supostos desvios que acarretam em um rombo de no mínimo R$ 25 milhões, fora os R$ 43 milhões que foram pagos às redes credenciadas onde, segundo ela, não há como estimar se houve desvio e de quanto.

——————

VEJA, NO VIDEO, COMO FOI A COLETIVA DA DEPUTADA LUCIANE BEZERRA

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.58.29.161 - Responder

    ESSA DEPUTADA QUER APARECER, OS SECRETARIOS NÃO ASSINARAM NADA NAO PODEM ESTAR DENTRO. OS OUTROS GESTORES JA RESPONDEM A AÇÃO CIVIL PUBLICA . ENOCK VC É ADVOGADO NÃO É POSSIVEL QUE VC NÃO VAI DAR UMA OPINIÃO INTELIGENTE. PARA INDICIAR QUEM A DEPUTADA QUER O GELSON TEM QUE FALAR E ENTREGAR TODOS.

  2. - IP 189.10.51.127 - Responder

    Cadê os comentaristas Enock…?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − 13 =