LIBERTEM NOSSO PRESO: A defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu absolvição sumária no primeiro processo aberto contra ele por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Vaccari alega que não arrecadou propina e que não “há nenhum indicativo de prova” de que tenha enriquecido. Em balanço recente, a Receita Federal descobriu que Vaccari não tem patrimônio.

JOAO VACCARI NA PAGINA DO ENOCK
Advogado do ex-tesoureiro do PT, Flávio Borges D’urso, alega que João Vaccari não arrecadou propina e que não “há nenhum indicativo de prova” de que ele tenha enriquecido; o juiz Sérgio Moro, que comanda a Lava Jato, porém, deu prazo de cinco dias para que Vaccari explique depósitos realizados entre 2008 e 2013 na conta da sua esposa, Giselda Rousie de Lima, que somam R$ 583.400,00 

247 – A defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu absolvição sumária no primeiro processo aberto contra ele por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Vaccari alega que não arrecadou propina e que não “há nenhum indicativo de prova” de que tenha enriquecido. Em balanço recente, a Receita Federal descobriu que Vaccari não tem patrimônio.

O juiz federal Sérgio Moro, que comanda as investigações da Lava Jato, porém, deu prazo de cinco dias para que Vaccari explique depósitos realizados entre 2008 e 2013 na conta da sua esposa, Giselda Rousie de Lima, que somam R$ 583.400,00.

O advogado de defesa de Vaccari, Flávio Borges D’urso, afirma que as doações sob suspeita se deram “dentro do espectro da atividade legal partidária, ou seja, as doações são legais, dentro dos critérios estabelecidos em lei, e nenhuma prova existe de que assim não foram ou de que o acusado tenha agido criminosamente”.

O nome do ex-tesoureiro apareceu nas investigações após a realização de depoimentos de delação premiada feitos pela ex-gerente de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco, que foi braço direito do então diretor de Serviços da estatal, Renato Duque, e Augusto Mendonça. Segundo os depoimentos, Vaccari teria arrecadado cerca de US$ 200 milhões em propinas destinadas ao PT.

“Nada surgiu, que viesse a corroborar o que fora declarado pelos réus colaboradores (Barusco e Mendonça) além de suas afirmações. Não existem documentos, dinheiros apreendidos ou contas no exterior que envolvam o denunciado (Vaccari) no suposto esquema revelado pelos delatores”, disse D’Urso.

“Sua movimentação financeira se dá exclusivamente através de sua única conta corrente, e seu patrimônio, está todo declarado ao Fisco, não apresentando divergências”, garantiu o advogado. “O acusado nunca foi chamado perante a autoridade fiscal ou qualquer outra autoridade para esclarecer suas declarações ao Fisco, ou houve, por parte das autoridades competentes, qualquer dúvida quanto a seu patrimônio ou de sua família”, completou.

D’Urso também ressalta que o sigilo bancário de Vaccari, o da mulher, Giselda, e da filha, Nayara, foram quebrados e investigados pelas autoridades. “Nenhum indicativo de prova de enriquecimento ilícito foi encontrado, pelo contrário, de tudo o que foi apurado nas citadas quebras de sigilo, a única conclusão possível é que a movimentação bancária do acusado e de sua família ocorreram dentro da mais absoluta legalidade”, observou.

8 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.86.178.61 - Responder

    quer dizer que pq não existe patrimônio, não houve peculato, como se o vacarri não pudesse ocultar patrimônio em nome de terceiro…interessante a tese a pessoa então comete um furto, porém a res furtiva se perde, se esta escondida, logo o criminoso deve ser absolvido sumariamente pq o crime não aconteceu
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. - IP 177.5.81.110 - Responder

    para condenar, na hipótese levantada pelo sr. alexandre, me parece que alguém precisa provar que algum patrimonio o acusado ocultou, em nome de terceiro. o que não se provou, ao que se divulgou até aqui.

    • - IP 191.33.167.137 - Responder

      O que precisa ser provado não é a ocultação e sim o crime (peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, etc). Se ficar provada a ocultação aí é outro crime, que se chama lavagem de dinheiro.

      Afinal de onde saia aquela dinheirama depositada na conta da esposa do preso tão carinhosamente chamado pelo Enock de “nosso preso”.

  3. - IP 179.216.213.56 - Responder

    “Nosso preso” kkkk, morro e não vejo tudo! Ué, o Riva pode ficar preso e o Vaccari não? 🙁

  4. - IP 201.15.64.235 - Responder

    “Nosso preso”
    Não sei se já ví algo mais patético.

  5. - IP 179.216.220.59 - Responder

    Manda esse ladrão engravatado para a Venezuela lá ele fica soltinho ….mas antes tem que pôr a mão na grana que essa organização criminosa completa, capitaneada pelo capeta barbudo, roubou dos pobres dessa país . Daqueles que estão nas filas dos hospitais públicos, morrendo por falta de remédio , das crianças que estão estudando sentadas no chão, sem material e merenda, dos professores mal remunerados, daqueles que dependem de estradas para trabalhar. Que o diabo carregue essa corja de corrupto , direto para o inferno. Justiça só a divina mesmo, e uma hora esses bandidos irão enfrentá-lá, por provocar sofrimento de tanta gente enquanto enchem os bolsos. Deus seja louvado e nos livre de todo mal. Amém!

  6. - IP 191.250.39.200 - Responder

    Nosso preso o escumbau,seu preso Enock,seu ,do Ademar,do PT,”et caterva”

  7. - IP 179.253.59.187 - Responder

    Kkkk… Soltem o Riva… (O Patrimonio declarado dele é compativel com a renda oficial dele)…

    Noticia Patrocinada Enock, Adams, CUT e Sindicato dos Servidores da Educacao?!?!?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × dois =