Lauro Jardim confirma PAGINA DO E: Alan Malouf deve ser investigado no Caixa 2 para Zé Pedro

Pedro Nadaf e Alan Malouf

Pedro Nadaf e Alan Malouf

Quem acessa Enock Cavalcanti, na PAGINA DO E ou aqui no Facebook, não precisou ler O Globo, nem a coluna do Lauro Jardim, já sabia que o empresário Alan Malouf, caixa de campanha dos tucanos, ia ser citado no pretenso Caixa 2 de Zé Pedro Taques. O grosso da imprensa de MT, digo com tristeza, segue controlada pelo cofre do Governo do Estado. Dinheiro público, distribuído por Zé Pedro, Paulo Taques, essa gente – e, ao que parece, usado para corromper a imprensa ou, pelo menos, anestesiar jornais amigos e jornalistas amestrados no seu mister que aprofundar a investigação da notícia para melhor esclarecimento do leitor/cidadão.

 E o pior é que o dinheiro privado acaba financiando a mesma manipulação da informação.

Sim, repórteres investigativos de Mato Grosso tem condição, melhor do que ninguém de desvendar os mistérios deste pretenso Caixa 2 que teria sido operado por Alan Malouf, aqui bem perto de todo nós.

Por que deixar que jornalistas lá do Rio de Janeiro cavuquem numa seara que é toda nossa? A inocentação do Zé Pedro e do Alan Malouf, vejam só, pode ser feita pela Gazeta, pelo Midia News, pelo FolhaMax…mas uma inocentação a posteriori, depois de criteriosa e atenta investigação jornalistica.

Chato é ver essas notinhas explodindo na mídia nacional e sugerindo que nós, jornalistas de Mato Grosso, não fazemos corretamente o nosso trabalho, quem sabe com medo de desagradar os poderosos de plantão.

Ora, o compromisso do jornalista deve ser com seus leitores, não com os poderosos de plantão.

Leia, agora, o que o jornalista Gilberto Amado publica na coluna do Lauro Jardim, nesta terça-feira, 22 de novembro de 2016. #EnockCavalcantiblogueiro

BRASIL

Delator no Mato Grosso entrega suposto operador de Pedro Taques

POR GUILHERME AMADO, na coluna do LAURO JARDIM

Divulgação

Pedro Nadaf, secretário da Casa Civil de Silval Barbosa no Mato Grosso, afirmou em sua proposta de delação premiada que o empresário matogrossense Alan Malouf foi o operador que intermediou o repasse de R$ 2,5 milhões para a campanha do tucano Pedro Taques (foto) em 2014.

Malouf atuou como arrecadador para Taques em 2014, mas também tem laços com o PMDB do estado. Em setembro, o Ministério Público local pediu a prisão de Malouf no âmbito da operação Sodoma, que prendeu Silval.

Taques nega que tenha havido caixa dois em 2014. A delação premiada de Nadaf deve ser homologada ainda este mês.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Falou e disse, a imprensa aqui de MT só tende a apurar as coisas depois que o poder acaba!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

10 + treze =