gonçalves cordeiro

Lançamento de Arte do Violino, com Fernando Pereira, acontece em Cuiabá dia 9. Sinop, Nova Mutum e Roo também receberão apresentações e oficinas gratuitas

Fernando Pereira

Circulação leva música Clássica para o interior de Mato Grosso

Lançamento do projeto Arte do Violino acontece dia 9 em Cuiabá. Sinop, Nova Mutum e Rondonópolis também recebem apresentações e oficinas gratuitas

O Projeto a “A arte do violino – repertório brasileiro para violino solo” inicia no próximo dia 9 de março sua circulação pela capital e municípios do interior do estado. A iniciativa foi contemplada pelo Edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, e além das apresentações, oferecerá também, oficinas gratuitas. O projeto tem a proposição de democratizar a música erudita brasileira por meio de cinco concertos, gravação, e quatro oficinas de formação técnica, disponíveis de forma totalmente gratuitas em quatro cidades distintas de Mato Grosso.

A iniciativa é do Professor e Coordenador do Projeto Boca Musical, Fernando Pereira, que aceitou o desafio de circular pelo estado, visto que as atividades serão realizadas em Cuiabá, Nova Mutum, Sinop e Rondonópolis. A apresentação é composta por Cameratas, solos de violinos e músicas tocadas em quartetos. Fernando explica que alguns desses músicos são alunos de um projeto maior da Boca Musical, que prevê a capacitação de novos músicos e a participação de alguns deles neste trabalho, já é a apresentação de resultados concretos: “ao participar dessa iniciativa, nossos alunos demonstram que tiveram um aprendizado concreto, rompendo com um estigma de que escolas de música não ultrapassam a etapa inicial do aprendizado. No Boca Musical a ideia é que os nossos alunos se tornem profissionais e para isso também vislumbramos as possibilidades da prática”.

Sobre a Arte do Violino, o professor explica: “O Projeto possui nome semelhante à obra pedagógica em 4 volumes “arte do violino” do músico alemão Carl Flesh (1873-1944). A semelhança do nome não é mera coincidência na medida em que, tal como o violinista alemão do começo do século XX, tenho buscado, uma sistematização em torno de um programa de formação e difusão cultural em sua proposta pedagógica e artística que desenvolva o ensino e a performance não só ao violino, mas aos instrumentos de cordas inerentes à sua família – viola clássica e violoncelo – no estado de Mato Grosso”. Com orgulho, Fernando Pereira conta também que a Circulação apresenta um repertorio brasileiro.” Marcos Salles (1885 – 1965), de formação paraense, ao lado do mineiro Flausino Valle (1894-1954), foi responsável por uma literatura especificamente violinistica brasileira. Buscando sonoridades típicas e descritivas, com sons em caráter de viola caipira e até mesmo de percussão, ambos, embora de formação quase que totalmente autodidata, moldaram as sonoridades à realidade de um país até então em construção em sua cultura na música de concerto. Pedro Huff (1977), por outro lado, natural de Porto Alegre, professor pela Universidade Federal de Pernambuco, mesmo que violoncelista, possui em suas transcrições para o violino um interessante contorno nacional em seus caráter timbristico, que por outro meio, combinam-se na estruturação da forma musical em si em uma interessante síntese de improviso e formas das danças populares, que neste projeto serão apresentados no frevo e milonga”, finaliza ele. A Circulação tem também o apoio local de Dracma Moveis, Cia Sinfônica, Instituto Federal de Educação/Rondonópolis, Escola de ingles Fisk, Prefeitura de Sinop, deputado Dilmar Dal Bosco, Prefeitura de Nova Mutum, Associação dos Músicos de MT e A casa do parque.

A primeira apresentação, que também é o lançamento do projeto, acontece no dia 9 de março as 19h30 no espaço Boca de Arte em Cuiabá e será aberta ao público em geral, em especial aos moradores do bairro Araés, onde o espaço está localizado. A apresentação no local faz parte da contrapartida social do projeto. “É um prazer e um desafio trazer até nossos vizinhos um trabalho tão grandioso como esse”, explica Magna Domingos, gestora do espaço Boca de Artes. No dia 15 de março, às 20h, Nova Mutum recebe o projeto. Após a passagem por Nova Mutum, o grupo retorna à Cuiabá e no dia 16 realiza a apresentação na Casa Cuiabana, espaço que também sedia as oficinas do projeto durante o ano. No dia 17 de março, será a vez de Rondonópolis receber o grupo e a apresentação se realizará no Centro Cultural Casario, às 20hs, e a oficina de formação ser a no Instituto Federal de MT – campus de Rondonópolis, no dia 6 de abril. Sinop prestigia a Arte do Violino, com a oficina ocorrendo na Escola Municipal de Artes Viviane Maria Malheiros Dal Berto no 14 de abril e a apresentação será realizada no dia 23 de março, às 20hs no Centro de Eventos Dante de Oliveira. No dia 13 de abril, o Centro de Sustentabilidade do Sebrae em Cuiabá, será palco para o encerramento das atividades.

––

Oficinas gratuitas

A Oficina tem o objetivo de realizar a formação básica da técnica ao violino e terá 6h de capacitação técnica para até 60 alunos – 30 participantes e 30 ouvintes, nas 4 cidades por onde o projeto passará. O Conteúdo contará com a apresentação da técnica elementar ao instrumento – (escola franco-belga, alemã e russa), Desenvolvimento da mão direita – Golpes de arcos e suas variações, desenvolvimento da mão esquerda – dedilhados, posições e vibrato, Aplicação prática I – escalas e arpejos – seleção de material para o desenvolvimento técnico ao instrumento com performance de, entre outras técnicas. Os interessados deverão ficar atentos às chamadas para inscrições, que ocorrerão no decorrer do projeto. Mais informações poderão ser obtidas: (65) 9 9996-2089,ou através de mensagem pela pagina do facebook Boca de Arte e do site www.fernandopereira.com.br

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × cinco =