TCE - NOVEMBRO 2

Juíza Glauciane Chaves de Melo é assassinada a tiros dentro de Fórum em cidade de Mato Grosso. Suspeito do crime é o ex-marido da vítima que encontra-se foragido. Desembargador Orlando Perri viaja para Alto Taquari para acompanhar o caso.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri, deve se deslocar até Alto Taquari para acompanhar investigações em torno do assassinato da juiza Glauciane Melo

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri, deve se deslocar até Alto Taquari para acompanhar investigações em torno do assassinato da juiza Glauciane Melo

DENTRO DO FÓRUM
Juíza é assassinada a tiros pelo ex-marido

Antonielle Costa
MATO GROSSO NOTICIAS

A juíza Glauciane Chaves de Melo, que autua na Comarca de Alto Taquari foi assassinada nesta sexta-feira (7) pelo seu ex-marido identificado como Evanderly de Oliveira Lima. O contrato de união estável firmado entre o casal foi dissolvido em 21 de janeiro deste ano, mas eles estavam separados desde 10 de dezembro de 2012. O casal não tinha filhos.

De acordo com a PM, a magistrada estava no trabalho no Fórum da cidade quando foi surpreendida por seu ex-marido -que tinha livre acesso ao local. Eles tiveram uma discussão e logo em seguida foram ouvidos os disparos. Ele fugiu a pé.

O segurança do Fórum chegou a persegui-lo e fazer alguns disparos na direção dele, que se escondeu entrando em um matagal.

O delegado João Ferreira Borges acompanha o caso. Ao Mato Grosso Notícias, ele afirmou que a arma utilizada no crime já foi localizada nas proximidades do fórum. O atirador teria deixado ela cair no chão no momento da fuga.

O  presidente do Tribunal de Justiça, Orlando Perri, e o juiz auxiliar da presidência, Luiz Octávio Sabóia, viajam no início da tarde para Alto Taquari (479km a sul de Cuiabá), para acompanhar o caso.

A Coordenadoria Militar confirmou o envio de uma equipe do Bope para ajudar nas buscas ao acusado. Também entrou em contato com o Comando Militar da região do Araguaia para auxiliar as diligências. Foi solicitado ainda o bloqueio das estradas que dão acesso aos estados de Mato Grosso do Sul e Goiás, com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O juiz diretor da Comarca de Alto Araguia, Carlos Augusto Ferrari, foi acionado pela Presidência do TJMT para dar apoio e suporte às equipes.

Histórico

A magistrada residia em Belo Horizonte (MG) até tomar posse como juíza em Mato Grosso, em 15 de junho de 2012. A entrada em exercício no cargo ocorreu no dia 18. Classificada em 20º lugar no concurso público, ela escolheu a Comarca de Alto Taquari (479km a sul de Cuiabá) para atuar.

Na ocasião, a magistrada informou que fez a escolha levando em consideração, além da indicação de amigos, algumas informações sobre a comarca, que ela considerava estar em franco desenvolvimento e, apesar disso, ser uma comarca tranqüila, com um bom número de servidores.

Na data da posse, Glauciane ainda era casada. O seu ex-marido também era de Belo Horizonte (MG) e trabalha como enfermeiro do Hospital Municipal de Alto Taquari.

Na capital mineira, ela atuou como advogada e nos últimos anos trabalhou como assessora de um magistrado

———–

Juíza é assassinada a tiros dentro de Fórum em cidade de Mato Grosso

Suspeito do crime é o ex-marido da vítima que encontra-se foragido.
Crime ocorreu por volta de 11h desta sexta-feira (7), em Alto Taquari.

Pollyana Araújo Do G1 MT

A juíza Glauciane Chaves de Melo foi morta a tiros por volta das 11h desta sexta-feira (7) durante horário de expediente no interior do Fórum da Comarca de Alto Taquari, a 509 km de Cuiabá. A Polícia Militar informou que o suspeito do crime é o ex-marido dela. Ele teria entrado no local, efetuado disparos contra a magistrada e fugido, em seguida. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada a um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A polícia informou que está fazendo buscas na região na tentativa de localizar o suspeito do crime. No entanto, até as 12h desta sexta-feira, ele ainda não havia sido preso. Por conta do crime, o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), Orlando Perri, informou, por meio de nota, que irá até o município para acompanhar de perto o caso.

Para auxiliar nas buscas pelo suspeito, foi solicitado o reforço de agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Polícia Militar da região Araguaia. Ainda para evitar a fuga do ex-marido da juíza, as rodovias de acesso aos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul devem ser bloqueadas pela Polícia Rodoviária Federal.

Glauciane tomou posse do cargo em junho do ano passado. Antes ela tinha atuado como advogada e como assessora de um juiz em Belo Horizonte (MG). Conforme informação divulgada pela assessoria do TJ-MT na época na posse, Glauciane ficou classificada em 20º lugar no concurso e escolheu a Comarca de Alto Taquari para trabalhar ao levar em consideração ser um local tranquilo para atuar.

Quando se mudou para a cidade, ela estava casada. Segundo o TJ-MT, o casal se separou em dezembro do ano passado. Eles não tiveram fihos.

Categorias:Cidadania

6 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    LAMENTAMOS MUITO A VIOLENCIA E NOS SOLIDARIZAMOS COM A FAMILIA . CUIDADO JUÍZES, DESEMBARGADORES, MINISTROS, VEREADORES, PREFEITOS, DEPUTADOS, SENADORES, GOVERNADORES, PRESIDENTA…. A VIOLÊNCIA ESTA CHEGADO PRÓXIMA DO PODER …. SE NÃO MUDAREM AS LEIS PENAIS VCS PODERAM SER AS PRÓXIMAS VITIMAS.HEITOR REYES – AFFV

  2. - Responder

    Ficamos todos triste a violencia esta em todos lugar, e com pessoas de qualquer nível social o mais triste é matar uma mulher sem defesa, esse cara é um covarde engraçado esse assassino trabalhava no hospital como enfermeiro todo bonzinho será q alguém avaliou seu comportamento tenho certeza q não cuidado senhores secretários pra não contratar pessoas desse nível.

    • - Responder

      MAS O QUE SERÁ QUE LEVOU A ESSE HOMEM A FAZER ISSO NÉ ??????

  3. - Responder

    DEVEMOS SER SOLIDARIOS COM A FAMILIA, LAMENTAVEL UMA PESSOA MUITO JOVEM. SE NOS GABINETES AS PESSOAS ESTÃO SEM SEGURANÇA, IMAGINEM NÓS AGENTES DA INFÂNCIA E JUVENTUDE QUE TRABALHAMOS EM PERIODO NOTURNO, LIDAMOS COM TODOS OS TIPOS DE PESSOAS, “MENORES” QUE NÃO RESPEITAM NINGUEM, TRABALHAMOS DESARMADOS, SOMOS AMEAÇADOS CONSTANTEMENTE; QUANDO VAMOS RECEBER A PERICULOSIDADE??????????

    SR. DESEMBARGADORES, POR FAVOR VEJAM A NOSSA SITUAÇÃO QUE É MUITO CRITICA, NÃO ESPERE UMA FATALIDADE PARA VER A NOSSA REALIDADE, PRECISAMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO!!!! sos

    ROSEVAL LUTE POR NOSSA CLASSE, AGENTE DA INFANCIA TAMBÉM É SINDICALIZADO!!!!! sos

    • - Responder

      colega qual comarca e a sua? Nós aqui temos essa luta pelo adicional noturno a anos (10anos) tbm trabalhamos finais de semana, feriados e dias de semana durante a noite enfrentamos pais que não aceitam que encaminhamos os filhos deles, comerciantes que não aceitam ser autuados, adolescentes que não aceitam ser encaminhado e amigos que não aceitam e se entrometem e outras situações, mas infelizmente o Tj responde que não tem noticias que nós trabalhamos no horario noturno mas a sociedade sabe…….. e com isso ficamos a ver navioss kkkkkkkkkk e o sr Ronsewal não se manifesta. Penso que precisamos nós unir e criar nosso sindicato……acho que e o único jeito.

  4. - Responder

    * ROSENVAL

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três + 9 =