José Serra garante a Antero “boquinha” de R$ 3.800 por mês para participar de uma reunião mensal na Sabesp, em S. Paulo (quando ele resolve ir, é claro)

Recentemente, o jornalista Marcos Antônio Moreira (o Villa) publicou informação segundo a qual o prefeito Wilson Santos e o ex-senador Antero Paes de Barros (na foto ao lado de Geraldo Riva) poderiam estar se juntando para vender a Sanecap pra Sabesp. Eu comentei: ou o Antero tá louco ou o Villa tá bebendo demais daquela água que não passa pela Sanecap e passarinho não bebe. Agora, todavia, no blog do ex-deputado José Dirceu, aparece a informação de que Antero, por ser tucano –  a exemplo do que já aconteceu com o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, por ser da base de apoio do Serra -,  também ganhou uma boquinha do governo Serra, paga, é clara, pelo desinformado contribuinte paulista: R$ 3.800 por mês para compor o Conselho de Administração da Sabesp – a companhia de água de Sampa. As reuniões acontecem uma vez por mês e, no seu saite, José Dirceu mostra, através de documento da própria Sabesp, que nem sempre Antero comparece à única reunião mensal. Diante da reprodução da informação do Zé Dirceu pelo RD News, Antero não reagiu, preferiu acionar o fiel escudeiro Mauro Camargo para falar por ele. Mauro se preocupou mais em tentar desqualificar o Zé do que justificar a boquinha do Antero. Quer dizer, quem se preocupa com o destino da Sanecap pode ir botando as barbinhas de molho. Confiram a matéria do Zé e a réplica do Mauro:

No MT, conselheiro da SABESP recebe jetons de SP
Por José Dirceu
 
O governo tucano de são Paulo, comandado pelo presidenciável José Serra, incorporou "preocupações sociais" e está se tornando empregador de políticos de outros Estados que perderam eleições e estão sem mandato.

Há alguns dias reproduzi aqui reportagem em que o Jornal da Tarde apontou que o ex-deputado Roberto Freire, de Pernambuco e presidente nacional do PPS, recebe jetons por integrar conselhos de administração de duas empresas da da prefeitura paulistana que, como se sabe, é uma extensão do governo Serra que nela mantem grande número de assessores que nomeou em cargos de confiança durante um ano e meio em que foi prefeito.

Antero Paes de Barros

Agora descubro que o ex-senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), também recebe jetons do governo paulista por integrar o conselho de administração da SABESP – Saneamento Básico do Estado de São Paulo. O ex-senador reside em Cuiabá, capital do Mato Grosso. Antero assumiu o cargo de conselheiro em abril de 2007 com mandato de um ano, e foi reconduzido ao posto no ano passado.

Aliás, não podemos esquecer que a SABESP, responsável pelos serviços de abastecimento de água e por redes de esgoto no Estado de São Paulo, e que tem o governo estadual como principal acionista, é a mesmíssima que agora faz propaganda na mídia – TV inclusive – Brasil afora, apesar de só atuar em território paulista.

Provas estão na internet

Nesse link que disponibilizo a vocês, temos a ata da reunião onde o ex-senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) assume, pelo segundo ano consecutivo (em abril de 2008) seu lugar no conselho da estatal paulista Sabesp. Tem RG, CPF e endereço completo de Paes de Barros no Mato Grosso.

Noutro link, portanto via internet, descobre-se até uma reunião do conselho realizada por teleconferência, que já se inicia com a justificativa da ausência de Paes de Barros em São Paulo. Também há essa informação numa ata e disponibilizo a vocês –  cliquem aqui, leitores, e vejam com seus próprios olhos.

Também em entrevista exclusiva a este blog, o ex-senador tucano Antero Paes de Barros confirmou ser conselheiro da Sabesp e que ocupa o cargo há um ano. Ocupa há dois, há um ano foi reconduzido ao posto. "Todo mês tem reunião, todo mês estou em São Paulo. As reuniões são mensais e hoje tem reunião. Estou em São Paulo", afirmou no dia da entrevista.

Salário – "Recebo R$ 3.800,00"

Antero informou ganhar R$  3.800,00 por mês como conselheiro e questionado sobre sua função,  respondeu: "todas as questões da SABESP são discutidas no Conselho de Administração". Quanto à propaganda da Sabesp divulgada nacionalmente, o ex-senador reconheceu que "propaganda da SABESP tem que ser divulgada em São Paulo e pelo que eu tenho conhecimento tem sido divulgada aqui".

Antero confirmou a participação no conselho e sobre o tempo do mandato ficou em dúvida. "Acho que termina esse ano. Não tenho certeza". Ele não acha estranho morar no Mato Grosso e integrar um conselho em São Paulo. "Não tem problema nenhum. O problema é se eu não tivesse qualificação para isso. Sou jornalista, advogado, e tenho condições de avaliar os fatos que estão em discussão na SABESP".

Por fim, ao perguntar se ele teria sido indicado por alguém do PSDB ou procurado diretamente pela diretoria da empresa, desconversou: "Não sei (se foi indicado). Fui chamado pelo Conselho de Administração e tomei posse."

Fonte Blog do Zé Dirceu
Para conferir com seus próprios olhos, acesse
www.zedirceu.com.br

UMA VEZ POR MES, AS VEZES É DEMAIS PARA ANTERO. CONFIRA NO LINK ABAIXO:

http://74.125.47.132/search?q=cache:0lFOo_DNzEIJ:www.sabesp.com.br/sabesp/filesmng.nsf/F068B809A6982E56832574F1006B684B/%24File/ExtratoAtaRCA_686.pdf+antero+paes+de+barros+sabesp&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=7&gl=br&client=firefox-a
 

ATA DE POSSE PELO SEGUNDO ANO CONSECUTIVO MOSTRA QUE BOQUINHA É ANTIGA

http://74.125.47.132/search?q=cache:yEnl47WFBFIJ:www.bovespa.com.br/empresas/consbov/ArquivosExibe.asp?site%3DB%26protocolo%3D160910+antero+paes+de+barros+sabesp&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=8&gl=br&client=firefox-a
 

************************************************

CONFIRA A RESPOSTA DIVULGADA NO PRETO NO BRANCO

Ministro do "mensalão" ataca Antero
Por Mauro Camargo

O ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, apontado como um dos chefes do escandaloso esquema do mensalão "denunciou" em seu blog que o ex-senador Antero Paes de Barros é membro do Conselho de Administração da Sabesp.

Estou cá tentando entender qual é a denúncia. Afinal, Antero é mesmo conselheiro da Sabesp, foi legalmente nomeado e exerce legalmente seu mandato. Todo mês vai a São Paulo participar das reuniões do Conselho, dá sua contribuição e recebe, como todos os demais conselheiros,jeton no valor de R$ 3.800,00.

A participação de Antero no Conselho de Administração da Sabesp é prova inequívoca de sua competência e de seu caráter ilibado. A Sabesp é a maior e mais importante empresa de saneamento do País porque tem uma gestão extremamente profissionalizada.

Antero contruiu uma sólida carreira pública e é hoje respeitado em todo o País. Foi um dos mais influentes senadores da República e sua atuação é responsável pela descoberta dos grandes escândalos do governo Lula desde o caso Waldomiro Diniz, o representante do jogo do bicho nomeado por José Dirceu no Palácio do Planalto.

Já José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil do governo Lula e inimigo declarado de Antero, é réu por corrupção ativa. A denúncia foi aceita por unanimidade pelo STF por seu envolvimento no escândalo do mensalão.

Fonte Preto no Branco

Para conferir com seus próprios olhos, acesse www.pnbonline.com.br

**********************************

A REPERCUSSÃO DO CASO NO  BLOG DE ADRIANA VANDONI:

A bunda do outro é sempre mais fedida
Editado por Adriana Vandoni

(Adriana Vandoni) O Zé Dirceu, chefão do mensalão, escreveu ontem em seu blog que o ex-senador Antero Paes de Barros, do PSDB de Mato Grosso, faz parte do conselho administrativo da Sabesp. Antero, em seu blog, respondeu que “foi legalmente nomeado e exerce legalmente seu mandato. Todo mês vai a São Paulo participar das reuniões do Conselho, dá sua contribuição e recebe, como todos os demais conselheiros, jeton no valor de R$ 3.800,00”.

Sabe qual a minha opinião sobre isso? Fiquei até com vontade de fazer que nem Copélia: prefiro não comentar. Mas eu não sou Copélia, que saco…queria ser…

Então, da mesma forma que condeno sindicalistas fazerem parte de conselhos de estatais, como por exemplo, o ex-presidente da CUT, Jair Menegelli, que não está lá por notório conhecimento, também discordo que cargos técnicos sejam ocupados por pessoas de outras áreas de conhecimento.

Antero é um ferrenho defensor da candidatura de Serra dentro do PSDB. Eu também defendo Serra dentro do PSDB. Mas a minha defesa é ideológica e jamais poderá ser confundida com dívida de gratidão.

Agora sem dúvida é quase pitoresco Zé Dirceu “denunciar” isso como se ele achasse de fato um acinte. Durante o processo de transferência de mãos da Embratel, quando o grupo americano Worldcom quis se desfazer da empresa brasileira e o governo poderia combater o neoliberalismo restatizando-a, ela foi vendida para o mexicano Carlos Slim, para quem Dirceu presta “consultoria” hoje.

Aos amigos do rei tudo, aos inimigos, os rigores da lei. Ou como dizia vovó, quem tem bunda suja não reclama da bunda do outro.

*************************************************
 

UM COMENTÁRIO SOBRE O CASO ROBERTO FREIRE

Roberto Freire vira aspone de Kassab
Por Altamiro Borges
——————————————————————————–
 

Até Ricardo Noblat, colunista do jornal O Globo, registrou a fato curioso no seu blog, replicando um artigo de José Dirceu intitulado “Roberto Freire recebe jetons da prefeitura”. Ele informa que o “presidente nacional do PPS, que posa e gosta de se apresentar como paladino da moralidade no país, recebe jetons no valor de R$ 12 mil mensais da prefeitura de São Paulo pela participação em dois conselhos municipais – Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) e SP-Turismo… O conselheiro assina atas de reuniões a que não comparece, com o agravante de que é integrante da turma do falso moralismo, da turma dos gigolôs da ética alheia”.

A denúncia apareceu primeiro no Jornal da Tarde, no final de janeiro, num texto de Fábio Leite. Ele revelou que Roberto Freire é uma das 58 pessoas beneficiadas pela política de contratação de “conselheiros”, implantada em 2005 na gestão do José Serra, atual governador e o presidenciável preferido das elites. Reeleito, o demo Gilberto Kassab, pau-mandado do tucano, manteve o jetom do chefão do PPS. O texto do JT afirma que esta “bondade administrativa” visa acolher aliados e engordar os salários dos secretários municipais. Apesar da gravidade da denúncia, que lembra o tal “mensalão”, as emissoras de televisão e os jornalões não fizeram qualquer alarde, outra prova de que a mídia está totalmente engajada no retorno do bloco liberal-conservador ao poder.

A formalidade da fusão PPS-PSDB

O ex-deputado federal e atual presidente do PPS tem sido muito paparicado por tucanos e demos. Desde o final dos anos 80, quando da desintegração do bloco soviético, ele acelerou sua guinada à direita, convertendo-se num apologista do capitalismo. Após implodir o antigo “partidão”, ele virou líder do governo neoliberal de FHC e um expoente do projeto de privatização e desmonte do Estado. No governo Lula, tornou-se um raivoso opositor, posando de vestal da ética. Chegou a defender o impeachment do presidente, acusando-o de estar metido no escândalo do mensalão – logo ele que, ironicamente, recebe jetons da prefeitura paulistana e reside em Pernambuco.

Essa conversão direitista desidratou o PPS, partido que Roberto Freire comanda como um velho coronel. Nas eleições de 2006, este agrupamento híbrido sofreu as maiores baixas, perdendo 188 prefeituras e milhares de vereadores. Diante do baque, ele passou a defender a extinção do PPS e o seu ingresso no PSDB, vestindo de vez a roupagem tucana. Em novembro passado, José Serra fez o convite formal para a adesão, num jantar em Brasília oferecido à cúpula “socialista”. Ficou acertado que os dois partidos deverão se fundir até o final do primeiro semestre deste ano. “O PPS conversa há muito tempo com o PSDB. Precisamos montar um agrupamento político forte para a era pós-Lula”, relatou, na ocasião, o deputado Nelson Proença, seguidor de Freire.

Escândalo e indignação nas bases

Segundo Pedro Venceslau, num artigo para revista Fórum intitulado “tucanos de bico vermelho”, a fusão não terá maior impacto no mundo político. “Na prática, não passa de mera formalidade. Desde a eleição de Lula, os dois partidos mantêm relação para lá de carnal. Indignam-se juntos e assinam notas, manifestos e repúdios, em geral ao lado do DEM, sempre que surge um gancho contra o governo federal”. Mas, com base nas sondagens do jornalista, a fusão deverá produzir abalos no interior do PPS. Setores que ainda se identificam com a esquerda estão muito inquietos com a perda total de autonomia da legenda que ainda conserva o “socialismo” no nome.

A ex-candidata à prefeita do partido, Sonia Francine, já havia sido cooptada por Gilberto Kassab para a subprefeitura da Cidade Tiradentes. Agora, é o próprio Roberto Freire que vira aspone do prefeito demo. Se a mídia fosse isenta, o escândalo seria devastador. Afinal, os 58 “conselheiros” causam um rombo de R$ 4,17 milhões aos cofres públicos. Os jetons elevam, de forma ilegal, os salários de 15 secretários municipais e bancam aliados políticos que nem sequer moram em São Paulo. Diante destas maracutaias, será difícil manter o falso discurso da ética. Os militantes mais sadios do PPS devem, realmente, ficar indignados. Do contrário, jogarão o seu passado no lixo.

– Altamiro Borges é jornalista, membro do Comitê Central do PCdoB, editor da revista Debate Sindical e autor do livro “Encruzilhadas do sindicalismo” (Editora Anita Garibaldi). 
http://altamiroborges.blogspot.com

 ***************************

 

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × cinco =