JOSÉ PAULO TRAVEN: A Secretaria Estadual de Cultura foi criada pelo governador Dante de Oliveira no ano de 1995, e podemos dizer que nestes quase 20 anos, tivemos muitos avanços. Por aqui o pioneirismo sempre esteve presente na arte e no fazer cultural, é bom lembrar que Mato Grosso já havia organizado um Conselho Estadual de Cultura e um Sistema de financiamento e incentivo a cultura baseado em lei de incentivo, muito antes de estado do Rio de Janeiro

 JOSÉ PAULO TRAVEN é produtor e gestor cultural, atual secretário-adjunto municipal de Cultura de Cuiabá.


JOSÉ PAULO TRAVEN é produtor e gestor cultural, atual secretário-adjunto municipal de Cultura de Cuiabá.

Cultura: aspectos positivos
POR JOSÉ PAULO TRAVEN

A Secretaria Estadual de Cultura foi criada pelo governador Dante de Oliveira no ano de 1995, e podemos dizer que nestes quase vinte anos, tivemos muitos avanços.

Participando da comissão de transição do Governo e tendo acesso aos dados sobre a Secretaria Estadual, pude concluir que ao contrário do que o senso comum prega, a Secretaria em muitos aspectos deve ser elogiada e reconhecida como necessária como órgão executivo de políticas para o setor.

Posso citar rapidamente alguns motivos de orgulho para o povo mato-grossense: O Sistema Estadual de Bibliotecas do Estado pode ser citado como uma referencia, pois somos um dos poucos estados onde 100% dos seus municípios dispõem de bibliotecas publicas em funcionamento.

A Coordenação de Bibliotecas do Estado em parceria com o Sistema Nacional de Bibliotecas se empenha em constante esforço de melhorar o acesso ao livro e estimular a leitura.

Outro programa citado nacionalmente como exemplo, é a Rede de Pontos de Cultura, convenio firmado entre Mato Grosso e o Governo Federal, que financia a existência de 39 Pontos de Cultura em por todo o Estado, citado pelo Ministério da Cultura como o maior percentual nacional de aproveitamento em gestão.

Por aqui o pioneirismo sempre esteve presente na arte e no fazer cultural, é bom lembrar que Mato Grosso já havia organizado um Conselho Estadual de Cultura e um Sistema de financiamento e incentivo a cultura baseado em lei de incentivo, muito antes de estado do Rio de Janeiro.

Por anos a discussão política na área cultural, movimentou-se por todo o estado, ao ponto de, na primeira Conferencia Nacional de Cultura, realizada no Distrito Federal, a comitiva de artistas, produtores, agentes e gestores de nosso Estado ter sido uma das maiores e mais atuantes do país, contribuindo em quase todos os grupos de trabalho.

Em consonância com a discussão política que vem sendo construída nacionalmente, é impossível fomentar o desenvolvimento por meio da cultura sem levar em conta a transversalidade e a articulação com outras áreas afins, como: a educação, comunicação, turismo, economia, segurança pública, ação social, urbanismo, entre outras.

Assim sendo precisamos dar especial atenção ao trabalho conjunto com as demais Secretarias de Estado, e para tanto se faz necessário uma estrutura ágil, competente, moderna e conceitualmente sintonizada com o presente e o futuro.

Com um pouco de técnica, recursos e vontade política, podemos em um curto prazo, dar um salto em efetividade e eficácia, ampliando a produção, a distribuição e o acesso aos bens culturais, incentivando a singularidade, agregando valor simbólico e criando diferenciais competitivos para os produtos culturais Mato-grossenses.

Se faz urgente mostrar que a cultura é um importante fator de desenvolvimento econômico e social!


JOSÉ PAULO TRAVEN é produtor e gestor cultural, atual secretário-adjunto municipal de Cultura de Cuiabá.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × dois =