JOSÉ ORLANDO MURARO: Uma amiga tem um filho também preso no Carumbé…. que chamam lá de centro de ressocialização… se falam constantemente pelo celular… Ele narrou que o ex-governador Silval Barbosa passou a sua primeira noite lá, trancado na chave, sentado no chão, com mais 25 apenados… em uma cela que só cabem dez…. Ele não levou dinheiro para alugar uma “jega”, uma cama de cimento… dormiu ali….sentadinho no chão…. O cara esquiou em Aspen…. desfilou por Paris… e esteve várias vezes no Panamá…para conferir os milhões que desviou dos cofres públicos…E agora ali… sentadinho ao lado de traficantes e homicidas…deve se dar bem com os assaltantes de bancos…novo cangaço, como se diz por aqui…

José Orlando Muraro

José Orlando Muraro

Um cego procurando a luz…..

                    ………na imensidão do paraíso

Cuiabá, 07.10.2015 – Por José Orlando Muraro

Quanto  tempo o coração
Leva pra saber
Que o sinônimo de amar
É sofrer

Existem dias ruins. E além destes, tem os dias piores… Hoje, uma quarta-feira bem cuiabana… calor desde a madrugada e um clima seco de esturricar… tudo colabora para um dia literalmente infernal…

Pela manhã, finalmente montei a peça da ação popular do Projeto Santo Antônio da Fartura. Depois fui a lotérica. Mega sena, dois jogos, R$ 7,00.  Lotofácil,  um jogo R$ 2,00 . Timemania,  11 jogos, R$ 22,00. Passei no bar do polaco, paguei os R$ 32,00 que devia, bebi mais duas cervejas com o troco da lotérica e fiquei devendo mais duas…R$ 7,50…

O azar do alcoólatra é o crédito no boteco… deveria ser proibido conceder crédito para pessoas como eu…

Confiro os trocados no escritório. Tenho R$ 12,00 em notas   e mais R$ 3,00 em moedas… cheguei a isto…R$ 15,00 e  c´est fine…

Isto é o retrato ampliado de um dia ruim….

No aroma de amores
Pode haver espinhos
É como ter
Mulheres e milhões
E ser sozinho

Uma vizinha me canta, sutilmente. Pede que faça o jogo para ela, na lotérica…

Dois problemas. A mulher é casada… e o único pacote de preservativo que tenho em casa….está com  o prazo de validade vencido…

Até isto acontece nos dias ruins… o prazo de validade da camisinha venceu!!!

Na solidão de casa
Descansar
O sentido da vida
Encontrar
Quem pode dizer
Onde a felicidade está

Volto do boteco, entrego o jogo para a vizinha e  quando chego ao Restaurante Nordestino a paulada final: estava fechado. Já passava das 14 horas… e eu ia pendurar só mais um marmitex…

Quando a minha conta passa dos R$ 150,00 a dona Gê, esposa do Chico me pede a escada de alumínio emprestada… é ao penhor para garantir de que não levarão prejuízo…

Dias ruins são assim… sem dó nem compaixão…

O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar

Dou um baculejo  na geladeira. Último recurso: fazer um iaquisobra… com tudo que encontrasse…

Três ovos  de sabe-se-lá-de-quando e duas garrafas com água gelada. Uma minha e outra do cachorro Ceará…

Um marmitex amassado, com a farofa que sobrou do domingo… a metade de uma cebola, já murcha…. e nada mais…

Um iaquisobra bem pobrezinho… mas fazer o quê?

Dias ruins são assim mesmos…

Quem revelará o mistério
Que tem a fé
E quantos segredos traz
O coração de uma mulher
Como é triste a tristeza
Mendigando um sorriso
Um cego procurando a luz
Na imensidão do paraíso

Mas não dá para desistir. Acendo a madeira no fogão a lenha e coloco a frigideira de ferro para esquentar. Da Fundição Libaneza, com “z” mesmo,  de Minas Gerais. Coisa fina.

Jogo a farofa na frigideira e a cebola picada. Enquanto isto eu quebro os ovos e bato, para fazer uma omelete…

Depois despejo os ovos batidos sobre a farinha e a cebola… e meu rango vai tomando forma…

Será isto e nada mais…

E os dias ruins são longos… teimam em não terminar…

Quem tem amor na vida
Tem sorte
Quem na fraqueza sabe
Ser bem mais forte
Ninguém sabe dizer
Onde a felicidade está

O meu psiquiatra disse que os portadores da Síndrome de Asperger não têm depressão. As nossas cabeças funcionam tão aceleradamente, que o cérebro vive banhado de endorfina… somos até eufóricos…

Com a boca cheia de farinha, ovo e cebola  tento ter um pensamento positivo. Força na peruca….

Então começo a sorrir…

Uma amiga tem um filho também preso no Carumbé…. que chamam lá de centro de ressocialização… se falam constantemente pelo celular…

Ele narrou que o ex-governador Silval Barbosa passou a sua primeira noite lá, trancado na chave, sentado no chão, com mais 25 apenados… em uma cela que só cabem dez….

Ele não levou dinheiro para alugar uma “jega”, uma cama de cimento… dormiu ali….sentadinho no chão….

O cara esquiou em Aspen…. desfilou por Paris… e esteve várias vezes no Panamá…para conferir os milhões que desviou dos cofres públicos…

E agora ali… sentadinho ao lado de traficantes e homicidas…deve se dar bem com os assaltantes de bancos…novo cangaço, como se diz por aqui…

É… os dias ruins são assim mesmos… não perdoam ninguém…

O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar

Dormi depois do quase-almoço…. tenho uma decisão importante a tomar…como vou aplicar os R$ 15,00 que me restam?

Pagar o polaco? Nem pensar… agora não…

Depois de muito pensar, somar,  dividir e subtrair, tomo a decisão: vou comprar um quilo de lingüiça de porco. Vou tirar o embutido do invólucro e fritá-la. Depois vou misturar com a farinha de mandioca que encontrei dentro do armário da cozinha. De quando é? Não sei e nem faço idéia…

Fazer uma farofa e estocar para outros dias ruins como este… eu sei…eles virão…tão certo quanto a morte…

O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar

E qual o motivo de estar ouvindo o Xitãozinho, Xororó e Zé Ramalho cantando esta música?

 

Apaixonado e com a camisinha com o prazo de validade vencido?

 

Sai fora…. eu ainda estou dormindo em uma cama… ar condicionado ligado… e vou ter farofa de lingüiça para comer por alguns dias…até a urucubaca ir embora….

 

É…pensando assim… até que ainda estou bem….

 

 

JOSÉ ORLANDO MURARO é cidadão chapadense.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 5 =