gonçalves cordeiro

JORNALISTA MARCELO FERRAZ: Não sei qual quadrilha roubou mais: a dos garimpeiros do PMDB ou a dos legalistas hipócritas do PSDB

Marcelo

O bobó cheira-cheira e os 40 ladrões

Marcelo Ferraz

Enquanto hoje crianças, idosos e cidadãos mais carentes padecem desamparados de políticas de Estado para saúde, bem como para educação inclusiva e assistência social, a quadrilha dos corruptos, que tomaram o Governo de Mato Grosso de assalto, continua dilapidando o patrimônio público e gastando recursos com políticas eleitoreiras e desnecessárias.

Mas antes disso, o Paladino da Moralidade chegou com o escudo e a espada da Justiça nas mãos, prendeu todos os adversários políticos, ludibriou os eleitores e ainda arrotou a arrogância de legalista hipócrita para deus e o mundo ver. Desde então, encheu os órgãos públicos de “pupilos” e “queridinhos”; a fim de ser cercado de puxa-sacos especialistas em inflar o ego dele.

Na primeira oportunidade que teve, colocou o homem mais sem moral de Mato Grosso, com doutorado em malandragem e chicanices jurídicas, para cuidar da galinha dos ovos de ouro, ou seja, dos cofres do Estado. Isso, com intuito vil e precípuo de gerir e capitanear as famosas comissões de todas as licitações da administração pública. Deste modo, o dito cujo se lambuzou com o dinheiro público e acabou roubando demais. Não é à toa que ele foi duas vezes preso por suspeitas de crimes diferentes. Aliás, ele continua preso.

Assim, logo começou os desvios de verbas públicas indiscriminados para arcar com os famigerados compromissos de campanha, tanto é que o Gaeco do MPE conseguiu desbaratar o braço forte deles na pasta da educação. Quem diria… um homem que dizia ter mania de educação, deixou os pilantras da mala preta saquearem a área mais importante da gestão pública. Um crime contra a Nação.

Mas a espoliação da coisa pública não parou por aí. A turma da botina deitou e rolou de tanto se esbaldar com os incentivos fiscais, isenções, desonerações e outras infinidades de regalias. Privilégios e mais privilégios para os barões da soja, inclusive, com toda infraestrutura disponível para cercar os empreendimentos deles de melhorias e benfeitorias feitas pelo Estado…. Uma verdadeira farra com a máquina administrativa e os recursos públicos.

A Sinfra, a Sema e a Sefaz viraram escritórios particulares dos “bom samaritanos” bilionários da iniciativa privada. A troco de quê? É o que os eleitores de Mato Grosso terão que descobrir nas próximas eleições.

Não sei qual quadrilha roubou mais: a dos garimpeiros do PMDB ou a dos legalistas hipócritas do PSDB. A primeira pegou um bilhão, já a segunda, muito mais. Qualquer idiota sabia que essa turma estava desmoralizando a política Mato-grossense; era só contar a quantidade de secretários que, do dia para noite, começaram a adquirir empreendimentos nos condomínios mais luxuosos da capital. Uma quadra só de bandidos de colarinho branco morando no mesmo lugar à custa dos impostos pagos pelos cidadãos.

Porém, enquanto isso, o cidadão comum, o pequeno empresário e o produtor rural amargavam pagando uma carga tributária altíssima. Impostos estes mais caros da federação brasileira. Um verdadeiro estupro dos contribuintes em troca de serviços de quinta categoria. Até a República do Congo, um dos países mais pobres da África, oferece serviços mais eficazes do que o ilusório “Governo da Transformação”.

Contudo, nada disso seria possível se o Parlamento Legislativo Estadual mais corrupto do Brasil não tivesse chancelado e aprovado todas as artimanhas e articulações políticas do bobó cheira-cheira. Cerca de 23 deputados a serviço da malversação da coisa pública. Este governo sequer teve alguma oposição, na verdade, apenas alguns inimigos políticos descontentes com a mesada atrasada das emendas parlamentares, estas pagas somente para o mais “íntimos”.

Enfim, em menos de 4 anos, a máfia dos homens de paletó engravatados atacou a dignidade do povo Mato-grossense. Roubaram o futuro das nossas crianças. Derrubaram as escolas e construíram prostíbulos da imoralidade pública. Emporcalharam a bandeira de Mato Grosso com o sangue dos milhares de inocentes, que por sua vez, morreram e ainda morrem nos hospitais públicos aqui, ali e acolá pelo interior a fora.

Todavia, agora querem pregar o slogan do “Estado de Transformação”, a fim de tentar mais uma vez enganar o povo com promessas impossíveis! Na verdade, o bobó cheira-cheira e os 40 ladrões só desejam uma coisa…, mais 4 anos de mandato para acabar de destruir com o que resta do nosso Estado.

Portanto, quem acompanhou os passos dessa quadrilha de criminosos tem o dever de expulsá-los da vida pública, pois “prometer e não cumprir é pior do que mentir, abusar da confiança de quem lhe confiou…”. Porém, não adianta colocar outra quadrilha no lugar desta que já está aí.

A palavra certa é renovação, pois o futuro do nosso Estado está nas mãos dos próprios Mato-grossenses. No dia da eleição, é só fazer a escolha correta e votar com consciência e cidadania. Mas, o bobó cheira-cheira de novo na política, nunca mais…

Marcelo Ferraz é jornalista e escritor. 

Categorias:Cidadania

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Para mim, de toda a atual classe politica de Mato Grosso, só respeito e admiro os três Campos (Frederico, Julio e Jaime Campos), que Governaram o nosso Estado, com competencia, seriedade, honestidade e muita paz, nos trazendo desenvolvimento e progresso. Depois de tantas operações e ações contra a corrupção feita pelo GAECO, NACO, MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL, POLICIA FEDERAL, MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, PODER JUDICIARIO ESTADUAL E FEDERAL, SÓ OS CAMPOS estão fora dessas bandalheiras todas ocorridas em Mato Grosso e no Brasil.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 1 =