JORNALISTA GIBRAN LACHOWSKI: Saibam os golpistas que, do lado de cá da trincheira da luta social, existe um contingente de pessoas que tem plena noção de seu papel histórico e protagonismo no cotidiano da sociedade e que não se furtará de exercê-lo. NÃO AO GOLPE! DILMA FICA!

Dilma com as margaridas. A presidente do Brasil tem apoio popular para enfrentar o golpismo de direita

Dilma com as margaridas. A presidente do Brasil tem apoio popular para enfrentar o golpismo de direita

A democracia vencerá o golpe e os golpistas

 Por Gibran Luis Lachowski

 

Vivemos um momento delicado para a democracia do nosso país. Momento em que uma ala golpista do parlamento, apoiada por meios midiáticos historicamente golpistas, apresenta um pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

PSDB, Dem, PPS e Solidariedade, grupos Globo, Estadão e Folha lideram a triste patota.

Golpistas porque contra Dilma nada pesa comprovadamente de ilegal. Golpistas porque trabalham com, no máximo, suposições, e destilam imprecisões e “forçações” como verdades incontestáveis, impregnando o ambiente on line e dando combustível para manifestações que defendem até mesmo o retorno à ditadura.

Dilma não foi indiciada. Dilma não está sendo julgada. Não há nada de ilegal contra ela. Nada.

Pedaladas fiscais? Não.

Primeiro: o Tribunal de Contas da União (TCU) não deu parecer sobre o caso. Segundo: o governo contesta. Diz que não desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal ao atrasar pagamentos a programas sociais, pois os mesmos foram efetuados por bancos públicos, que em seguida tiveram ressarcimento. Afirma que efetuou um mecanismo usual em gestões anteriores, praticado também por governos estaduais e permitido nos contratos de prestação de serviço com as instituições financeiras.

Terceiro: o parecer do TCU ainda não foi ao plenário da Câmara Federal, que é quem, de fato, julga as contas do governo. Quarto: mesmo que se apontasse “pedaladas”, os registros seriam referentes a 2014, e a Constituição Federal (parágrafo 4º do artigo 86) fala em possibilidade de impedimento somente quando o ilícito for cometido durante o exercício do mandato em curso.

Operação Lava Jato? Também não.

Dilma nem sequer foi citada na lista inicial da Procuradoria Geral da República (PGR) referente a envolvidos em esquemas de corrupção na Petrobrás. Diferente do presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB), por exemplo, citado e denunciado pelo procurador-geral Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF), acusado de ter se beneficiado em negócios ilícitos com a estatal. A consistência da denúncia será analisada, podendo haver acolhimento ou não.

Crime eleitoral? Não também.

Primeiro: as contas da presidenta tiveram aprovação com ressalvas ainda no ano passado pelo então relator das contas dela, o ministro Gilmar Mendes. O voto foi acompanhado pelos demais integrantes do Superior Tribunal Eleitoral (STE).

Mesmo dando voto favorável à aprovação, dias atrás Mendes, na condição de vice-presidente da instituição, tentou reabrir o caso, alegando indícios de pagamentos irregulares. No entanto, o pedido foi rejeitado pela PGR, que não viu consistência nos dados contidos no despacho.

Moderno golpismo x projeto popular de país

Portanto, só há esperneio e suposições vociferadas por baluartes do moderno golpismo, que se traveste de impeachment. São pessoas que não sabem perder eleição e que não aguentam quatro derrotas seguidas para um projeto popular de país. Porque este projeto retirou milhões de pessoas da linha da pobreza. Porque ampliou significativamente a classe média do país.

Porque mudou a cara do Brasil com programas de transferência de renda, acesso ao ensino superior, ao atendimento básico na área da saúde. Porque empoderou setores marginalizados da sociedade, como o dos garis, das mulheres, da população negra e o dos idosos.

Porque aumentou o poder de compra da população, com sucessivas elevações do salário mínimo acima da inflação, isenção de impostos à indústria com vistas a facilitar a compra de veículos e eletroeletrônicos. Porque reposicionou o Brasil no mapa geopolítico e econômico, colocando-o como um dos líderes do G-20, estendendo laços com países dos cinco continentes e saindo da agenda submissa da era FHC.

O caminho democrático

Querem questionar a política econômica do governo, a elevação de impostos, o fim da desoneração na folha de pagamento para mais de 50 setores da economia? Então, que o façam de forma democrática. Vão para as ruas com propostas explícitas, organizem-se em comitês, façam abaixo-assinados, leis de iniciativa popular, engajem-se na luta por uma reforma política de verdade (começando por defender o fim do financiamento empresarial de campanha, como decidiu esta semana o STF por 8 a 3).

Querem questionar as opções errôneas do governo para o enfrentamento da crise econômica internacional, que afeta inúmeros países, incluindo a China? Tudo bem! Democracia é isso. Vamos também questionar a restrição de direitos trabalhistas e previdenciários e registrar explicitamente a diminuição do poder aquisitivo da população brasileira. Vamos cobrar a taxação sobre grandes fortunas. Vamos defender uma reforma tributária que incida mais sobre a especulação, alivie o consumo e o pagamento de salário e que seja progressiva (por faixa socioeconômica).

Vamos também questionar a imobilidade do governo federal em colocar em pauta um assunto clamado há décadas pelos movimentos sociais, que corresponde à criação do marco regulatório das comunicações. Isso é fundamental porque vai contribuir com o fim do nefasto oligopólio da mídia, que impede a pluralidade de pensamentos e a potencialização das vozes dos segmentos marginalizados.  Vamos que vamos, ué!? Mas dentro de marcos legais e democráticos.

Porque, e é bom que isto seja escrito com letras garrafais, DILMA FOI ESCOLHIDA POR MAIS DE 54 MILHÕES DE PESSOAS, PELO VOTO POPULAR, PARA GOVERNAR O BRASIL ATÉ 31 DE DEZEMBRO DE 2018. Então, organizem-se para as próximas eleições, tentem vencer pelo voto, pelo convencimento, pelos argumentos, pelo projeto de país. Se querem participar do jogo democrático, respeitem as regras, saibam perder e façam o trabalho digno de uma oposição aguerrida, com estopo moral e propostas ao povo.

Por isso é que pessoas, segmentos e lideranças que levantam a ideia do impeachment não honram a importância da democracia e não valorizam a trajetória de seu resgate no Brasil, conquistada com luta social, suor e sangue. Afinal, milhares de pessoas foram torturadas, aleijadas, estupradas, perseguidas e mortas nos porões da ditadura à toa neste país? E as crianças recém-nascidas arrancadas dos braços das mães dentro das prisões políticas? E os corpos de lideranças sociais e religiosas hoje ainda desaparecidos, situação que nega aos familiares e amigos até mesmo a possibilidade de enterrá-los? De nada valeu?

Há dois lados: democracia e golpe

Pois saibam os golpistas que do lado de cá da trincheira da luta social existe um contingente de pessoas que tem plena noção de seu papel histórico e protagonismo no cotidiano da sociedade e que não se furtará de exercê-lo. Saibam os golpistas que esta pecha já lhes caiu como luva, porque golpistas é o que são. E cairão um a um, por falta de argumento, por falta de compostura, por falta de amor ao povo. E porque do lado de cá da trincheira social cresce a voz da responsabilidade, cresce a voz do respeito às pessoas, cresce a voz da defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos.

 

NÃO AO GOLPE!

NÃO AOS GOLPISTAS!

SIM À DEMOCRACIA!

E por tudo isto, DILMA FICA!

 

griban lachowski jornalista mt na pagina do E

 Gibran Luis Lachowski, jornalista, é professor do curso de Comunicação da Unemat – Universidade de Mato Grosso, campus de Alto Araguaia, Mato Grosso

 

11 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.31.40.154 - Responder

    Ui que meda! Quem vê esses tais ocupantes das “trincheiras” imagina que são alguma coisa. Mais apropriado seria serem ocupantes dos bueiros onde vivem as ratazanas , que são o símbolo desse governo infame que é hoje o governo petista. Essa uma que diz que governa o pais , deve sim ficar , mas não é porque seria golpe tira-la via Impeachment – um dispositivo previsto na constituição – mas sim deve ficar para seu desgoverno apodrecer e rastejar até o ultimo dia e assim o Brasil ver que o pt é apenas mais um engodo.

  2. - IP 189.59.38.148 - Responder

    Quero ver o mauricinho Gilbran na rua de arma na mão defendendo o arrocho que a Dilma está praticando para fazer caixa para cobrir o rombo da reeleição.

    Quero ver o almofadinha Gilbran na rua de arma na mão para defender o corte no seguro desemprego.

    Quero ver o coxinha Gilbran na rua de arma na mão defender o corte na pensão das viúvas.

    Quero ver o engomadinho Gilbran na rua de arma na mão defender os ladrões da Petrobrás.

    Quero ver o filopetista Gilbran na rua de arma na mão defender o Zé Dirceu.

    Quero ver os abobalhados na rua de arma não mandarem mais dinheiro para pagar as novas condenações do milionario Zé Dirceu.

    Quero ver o deslumbrado Gilbran dizer que o PT pode roubar e seus filiados não podem ser processados.

    Quero ver o almofadinha Gilbran na rua de arma na mão defender o arrocho que a Dilma está dando nele e nos seus colegas das universidades.

    Enock, você como bom petista, ajude a criatura a ajudar a Dilma, porque o Lula o Vaccari, o Vacareza e a vaca estão indo para o brejo.

    • - IP 200.175.151.254 - Responder

      Olhaí, bem que eu falei, acabou de sair a notícia que o Vaccari foi condenado a 16 anos de cadeia.

      Se o Vaccari já foi para a cadeia, como impedir a vaca de ir para o brejo.

      Quero ver o almofadinha Gilbran na rua de arma na mão para impedir a vaca de ir para o brejo.

  3. - IP 177.41.86.237 - Responder

    Depois que este Brasil estiver destruído pela política do PT,aí este nada do Gilbran some ,depois de falar que a culpa é da direita lógico.Covarde , irresponsável,além de corrupta,assim é a grande maioria da dita esquerda brasileira! Vejam bem senhores a competência da opinião deste rabicho de cavalo,prof. da Unemat,campus de ALTO ARAGUAIA,aí parei, não precisa dizer mais nada! Ausência total de conteúdo!

  4. - IP 200.219.133.150 - Responder

    Meu amigo professor qual tenho pleno respeito, faltou o senhor avaliar uma serie de coisas , O estelionato eleitoral, Dilma mentiu para enganar o povo do Nordeste Brasileiro que vive das migalhar deste governo, sem contar que um ministro dela no STF, não deixou investigar as urnas eletrônicas que só no Brasil não tem comprovante de voto. faça uma conta os Brancos , nulos , e do outro candidato que não é meu preferido, daria mais da metade. então não é golpe e democracia quem não ta governando bem ser tirado do poder. e seu partido roubou tanto dos cofres publico e agora tirar direitos trabalhistas e aumentar impostos como solução. Fora DILMA não é golpe. é democracia.

  5. - IP 177.72.169.207 - Responder

    Muito lúcida a análise, Gibran. Eleição se ganha no voto. Impeachment, ainda que previsto na Constituição, deve ter uma sólida base legal. Não à toa que o governador de São Paulo pelo PSDB, Geraldo Alckmin, é cauteloso quanto a essa saída. Tudo isso cria uma jurisprudência que colocaria sob risco todos os prefeitos e governadores do Brasil.

  6. - IP 177.5.235.213 - Responder

    …………… PT, PT e PT. Não falemos em partidos, vamos refletir sobre o golpe. Não podemos retornar as épocas difíceis onde o pão era nossa busca. Vamos valorizar as vitórias, a evolução do Brasil nos últimos anos, o crescimento, literalmente, do brasileiro, éramos franzinos (veja as seleções de futebol e voleibol ..) hoje somos potência, a diferença ainda existe mas são muito menores que antigamente, digo 15 anos atrás………. Gibran, verás que um filho teu não foge a luta. Viva a democracia.

  7. - IP 200.101.35.34 - Responder

    gostaria de comentar

  8. - IP 200.101.35.34 - Responder

    Gibran a dilma cometeu irresponsabilidade fiscal, portanto de acordo com a lei deveria sofrer o impeachment mas no brasil você sabe como é nè, tudo termina em pizza.

  9. - IP 200.101.35.34 - Responder

    PEDALADAS FISCAIS SIM SENHOR ATÉ COM DINHEIRO DO FGTS, COMPROVADO, FATO

  10. - IP 200.101.35.34 - Responder

    Não é golpe, é desconhecimento da lei LEI Nº 1.079, DE 10 DE ABRIL DE 1950. Você tentou convencer com argumentos, mas faltou conhecimento.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

7 − 7 =