PREFEITURA SANEAMENTO

João Otávio de Noronha, o ministro do Superior Tribunal de Justiça que atua no Tribunal Superior Eleitoral, agora também é Corregedor Nacional da Justiça Eleitoral. Escolhido para relatar (confirmando ou não) a impugnação, pelo TRE-MT, do “ficha suja” Zé Riva no TSE, vocês acham que ele vai se expor, nacionalmente, liberando a candidatura de um dos “fichas sujas” mais notórios de todo o Brasil?! Claro que não. Vai ser pau no Zé Riva, eu avalio

José Geraldo Riva, deputado estadual do PSD-MT,  que teve candidatura impugnada como "ficha suja" pelo TRE_MT e o ministro João Otávio Noronha, relator do recurso encaminhado por Riva ao TSE contra a decisão unânime dos juízes eleitorais de Mato Grosso

José Geraldo Riva, deputado estadual do PSD-MT, que teve candidatura impugnada como “ficha suja” pelo TRE_MT e o ministro João Otávio Noronha, relator no Tribunal Superior Eleitoral do recurso encaminhado por Riva ao TSE contra a decisão unânime dos juízes eleitorais de Mato Grosso

Todo dia, os jornais amigos e os jornalistas amestrados, em Mato Grosso, abrem espaços generosos para que o deputado José Riva e seus defensores, alguns deles contratados a peso de ouro, façam previsões, rezas, mandingas, prevendo que o deputado mais processado por corrupção de toda a história de Mato Grosso, acabará tendo a sua candidatura a governador de Mato Grosso confirmada no Tribunal Superior Eleitoral. É um direito deles mas, sinceramente, é uma cantilena que enche o saco. É que os doutos juizes do nosso Tribunal Regional Eleitoral, por unanimidade, já decretaram que Riva é mesmo “ficha suja” e não pode disputar a eleição desse ano – e, provavelmente, nenhuma outra eleição, nos próximos 8 (oito) anos.

Fico imaginando que esses advogados, esses jornais amigos, esses jornalistas amestrados, devam todo dia se dirigem às esquina nebulosas das madrugadas de Cuiabá e de outras cidades de Mato Grosso, para matar um bode, estripar uma galinha preta e acender velas para o “seo” Tranca Ruas, torcendo para que a lógica jurídica não prevaleça dessa vez e o sr. Riva acabe confirmado como candidato em Mato Grosso.

O que eu escrevo, é claro, não incomoda essa gente. O que incomoda, de fato, essa gente é a decisão unânime do TRE impugnando a candidatura de Riva. O que incomoda essa gente são os acordãos do Tribunal de Justiça que respaldaram os votos dos desembargadores Maria Erotides e Luiz Carlos Costa e marcaram a condenação de Riva, por improbidade, por um colegiado de magistrados, o que o enquadrou nas normas restritivas a qualquer tipo de candidatura, firmadas pela Lei da Ficha Limpa.

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, já nos avisou o poeta.

Mas esses profissionais que se dedicam, cotidianamente, à tentativa de lavagem da imagem política e eleitoral de José Riva não sei se ficam muito felizes na hora em que se olham no espelho. Mas a vida é assim mesmo. O que dá pra rir, dá pra chorar. Por mais feia que seja a capivara de José Riva na Justiça, haverá sempre alguém disposto a dizer que estamos diante de “um político realizador”, “um líder municipalista”, e outros blablablás. O papel aceita tudo. E a mídia, devidamente comprada, dá sempre vazão às hipóteses mais alvissareiras para o deputado super-processado por corrupção.

Só que quando esses defensores do Riva falam que a vitória do TSE já está garantida, eles se esquecem de dizer quem é o ministro José Otávio Noronha, encarregado de relatar o recurso que Riva está movendo contra a impugnação unânime de sua candidatura que os juízes do TRE-MT carimbaram em sua capivara jurídica.

Noronha tem uma trajetória de grande respeitabilidade nos tribunais superiores em Brasília, vindo do quinto constitucional da advocacia, depois de atuar como conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

Escolhido como um dos representantes do STJ no TSE, o ministro Noronha foi eleito e empossado, recentemente, como Corregedor Nacional da Justiça Eleitoral.

Com os meus botões de analista político caipira, e meu olhar torto de blogueiro metido a palpiteiro, aqui deste interiorzão de Mato Grosso, fico imaginando se o ministro Noronha vai se expor, nacionalmente, liberando a candidatura de um dos “fichas sujas” mais notórios da atualidade, no Brasil, que é o mato-grossense deputado José Geraldo Riva, quando tem a seu dispor, ofertado pelos juízes eleitorais de Mato Grosso, e pelo Ministério Público Eleitoral, um farto embasamento para um voto que fechará, definitivamente, a tampa do caixão da candidatura Riva.

Claro que não vai! O ministro Noronha não tem porque inovar em sua decisão e permitir que se aprofundem as brechas que porventura alguns identifiquem na Lei da Ficha Limpa. Os juízes do TRE_MT já demonstraram, em seu julgamento unânime, que mesmo no TSE o entendimento com relação à situação do Riva está devidamente pacificada.

Para mim, assim como aconteceu com o “ficha suja” do Distrito Federal, o ex-governador do DEM e, atualmente candidato do PR, José Roberto Arruda, vai acontecer nesse caso que envolve as eleições de Mato Grosso.

Para mim, vai ser pau no Zé Riva!

É a minha opinião!

Já que os defensores e aplaudidores e puxassacos de Riva, que infelizmente formam uma legião, vivem enchendo o nosso saco, em matérias repetitivas e praticamente diárias, dizendo que o Riva é o maioral e já está praticamente liberado pelo TSE, eu, humildemente, ouso pensar o contrário.

Para mim, o ministro José Otávio Noronha não haverá de falhar de defesa e na preservação da Lei da Ficha Limpa.

E vai dar um pau histórico no candidato Riva e na sua candidatura a governador de Mato Grosso, pondo fim a toda esta falácia, a todo este blablablá, a todo este jogo de cena que temos assistido nessa campanha de 2014.

Ai, para a escolha final do eleitor de Mato Grosso restarão os candidatos Zé Pedro Taques, Zé Muvuca, Zé Roberto e Lúdio Cabral, o único que não é um Zé.

Rodrigo Janot dá parecer contra registro de candidatura de Riva no TSE by Enock Cavalcanti

MPF propõe Impugnacao da candidatura de Jose Geraldo Riva by Enock Cavalcanti

Contestação de Riva ante pedidos de impugnação do MPF e de Paulo Taques by Enock Cavalcanti

Parecer de ex-chefe do MPF, Antonio Fernando, contesta MPF e favorece Riva by Enock Cavalcanti

MCCE pede impugnação de candidatura de Geraldo Riva (PSD) by Enock Cavalcanti

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.54.110.232 - Responder

    Ou seja, na sua opinião ele não deve decidir com base nos autos e sim na imagem que quer passar!

    Então porque tanto criticou o Joaquim Barbosa por esse mesmo motivo??? Só com o PT não pode ter casuísmo na sua opinião?

    Outra coisa Enock, to esperando suas sempre profundas avaliações jurídicas dessa decisão abaixo:

    http://olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=TJ_volta_atras_e_reconduz_Jose_Riva_ao_comando_da_AL&id=377273

  2. - IP 177.203.34.115 - Responder

    Enock, vamos ver até onde vão seus poderes de mãe dinah, porque em 2010 você fez essa mesma papagaiada e não virou nada no TSE!

  3. - IP 177.64.224.87 - Responder

    Viva a Lei da Ficha Limpa!
    O ficha suja zé riva, a meta dele é eleger a filha dele somente e sabe que a população MT nunca, jamais iria eleger um pretenso candidato a Governador com mais de 180 processos, como já de conhecimentos de todos via imprensa.
    Abr e Parabéns pelas matérias sempre enriquecedoras.

    Greg

  4. - IP 179.253.24.166 - Responder

    “Zé Enock” tem o direito de opinar, embora crie um clima de miscelânea entre a análise supostamente jurídica, o fanatismo explícito de uma autentica torcida do Urubu e o tom professoral e sofisticado do vendedor de corrente de ouro de terminal rodoviário. E Enock confessa, nas entrelinhas, que é candidado ao cargo de Tranca Rua de José Geraldo Riva, atualmente almejado por muitos outros moralistas de plantão. A democracia se descobre nas ruas e essa disputa entre Enock e seus companheiros da Legião da Moral promete ser mais espetacular que a disputa entre Wellington Fagundes e Rogério Sales pela vaga do Senado. O embate é viril e não creio que seja admitida a participação de Pombas Giras… Mas o que mais enche o saco mesmo, é essa fantasia de vivandeiras dos tribunais eleitorais que esses camaradinhas moralistas usam sem muito pudor ao operarem contra a manifestação popular nas urnas. Preferem puxar o saco de tribunais e conspirar contra a livre manifestação popular. Será que Enock conhece realmente Noronha? Aguardemos.

    • - IP 201.2.21.222 - Responder

      Escreve bonito, fala muito, floreia, joga purpurina mas o conteúdo não vale um “piqui ruído”. Tomou uma chima unânime do tribunal. Quieta o facho, intelectual de isopor!!!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezoito + 14 =