João Emanuel, filho do juiz Irênio Lima Fernandes e genro de Geraldo Riva, agora é acusado pelo Ministério Público de estar envolvido em esquema de compra de sentenças para conseguir, na Justiça de Mato Grosso, liberdade para traficantes. Emanuel fala em “ação orquestrada” contra ele

Na foto, o vereador João Emanuel, com seu sogro, o deputado estadual José Geraldo Riva e sua esposa, Janaina Riva

Na foto, o vereador João Emanuel, com seu sogro, o deputado estadual José Geraldo Riva e sua esposa, Janaina Riva

João Emanuel é denunciado por tentar comprar sentença a mando de traficantes

A participação do parlamentar foi comprovada por meio de interceptações telefônicas realizadas pela PF
Antonielle Costa
MATO GROSSO NOTICIAS
O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, João Emanuel Moreira Lima, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE), por suposto crime de corrução passiva. Ele é acusado se estar envolvido em um esquema de compra de decisão judicial para a soltura de traficantes da família ‘Pagliucas’. João Emanuel é filho do juiz aposentado pelo Conselho Nacional de Justiça, Irênio Lima Fernandes.

De acordo com a denúncia, o vereador era quem comandava as ações do estudante de direito Marcelo Santana, já denunciado pelo Ministério Público em abril de 2013, por tentar cooptar o assessor da Vara do Crime Organizado para que redigisse minuta de decisão favorável à soltura dos traficantes da família ‘Pagliuca’.

A participação do parlamentar, que na época dos fatos era candidato a uma vaga na Câmara Municipal, foi comprovada por meio de interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Federal.

Ainda segundo a denúncia, Adalberto Pagliuca Filho, Régis Aristides Pagliuca e Joelson Alves da Silva foram quem contrataram o denunciado João Emanuel para, juntamente, com Marcelo Santana, corromper os funcionários do Judiciário.

Duas tentativas de suborno realizadas pelo grupo junto ao assessor jurídico da Vara Especializada Contra o Crime Organizado foram constatadas. Na primeira tentativa, o estagiário e o advogado envolvido no esquema ofereceram R$ 1 milhão para que o assessor jurídico redigisse e submetesse ao magistrado decisão revogando a prisão dos ‘Pagliucas’.

Na segunda tentativa de suborno, no montante de R$ 1,5 milhão, a ação partiu do servidor do Tribunal de Justiça juntamente com os dois beneficiários da quadrilha de traficantes. Eles sugeriram ao assessor do juiz que redigisse decisão de conflito negativo de competência do processo dos ‘Pagliucas’ e submetesse ao juiz, visando, com isso, à ocorrência de excesso de prazo, o que legitimaria a soltura dos réus pelo Tribunal de Justiça.

Nos dois casos, os integrantes do esquema revelaram que tinha um “acerto” com um desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Além do presidente do Legislativo, outras nove pessoas foram denunciadas: José Maria Machado, Ailton Rodrigues de Pádua, Adalberto Pagliuca Neto, Régis Aristide Pagliuca, Regina Célia Cardoso Pagliuca, Joelson Alves da Silva, Elaine Cristina Pagliuca Silva, Joelma Alves da Silva e Ana Alves da Silva.

Operação Assepsia

Segundo o Gaeco, os novos fatos apurados são desdobramento da ‘Operação Assepsia”, foi desencadeada em abril deste ano pelo Gaeco, com apoio da Presidência do Tribunal de Justiça e da Vara Especializada em Combate ao Crime Organizado e Crimes Contra a Administração Pública.

“Durante a instrução processual, adveio ao conhecimento do Ministério do Estado de Mato Grosso, por intermédio de gravações obtidas em interceptações telefônicas feita pela Polícia Federal, provas complementares que, além de corroborar as já existentes, trouxeram indícios de participação de outros atores no cenário criminoso”, diz um trecho da denúncia.

Dano moral

Além da condenação dos acusados por crime de corrupção ativa, o Ministério Público também pleiteia o pagamento do valor equivalente a R$ 1,5 milhão , em virtude dos danos morais difusos e a imagem impingidos ao Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. Esse valor deverá ser revertido em serviços assistenciais.

Outro lado

O presidente afirmou ao Mato Grosso Noticias que vai se manifestar por meio de nota a ser enviada à imprensa.

————
João Emanuel critica denúncia do MPE e diz que ficou surpreso

Segundo ele, a ação foi orquestrada e tenta desestabilizar seu trabalho
Antonielle Costa
MATO GROSSO NOTICIAS

O presidente do Legislativo Municipal de Cuiabá, João Emanuel, por meio de nota, sugeriu que denúncia do Ministério Público contra sua pessoa or suposto crime de corrupção seja “uma ação orquestrada e deliberadamente articulada para tentar desestabilizar o trabalho fiscalizador da Câmara de Cuiabá”.

Ele afirmou que recebeu a notícia com surpresa, mas se colocou a disposição do Poder Judiciário para quaisquer esclarecimentos. Além disso, afirmou que na próxima semana tomará as providência cabíveis.

Na última sexta-feira (27), João Emanuel foi denunciado por supostamente estar envolvido em um esquema de compra de decisão judicial para a soltura de traficantes da família ‘Pagliucas’. João Emanuel é filho do juiz aposentado pelo Conselho Nacional de Justiça, Irênio Lima Fernandes.

De acordo com a denúncia, o vereador era quem comandava as ações do estudante de direito Marcelo Santana, já denunciado pelo Ministério Público em abril de 2013, por tentar cooptar o assessor da Vara do Crime Organizado para que redigisse minuta de decisão favorável à soltura dos traficantes da família ‘Pagliuca’.

A participação do parlamentar, que na época dos fatos era candidato a uma vaga na Câmara Municipal, foi comprovada por meio de interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Federal.

Leia a íntegra da nota divulgada por João Emanuel

O presidente da Câmara de Vereadores, João Emanuel, recebe com surpresa a notícia do Ministério Público em seu desfavor. Isso por que já havia sido excluído desse processo, tendo dele participado como colaborador, na condição de testemunha, em audiência.

No entanto, de forma transparente e responsável vai se adiantar e tomar o devido conhecimento da ação, colocando-se à disposição do Poder Judiciário para quaisquer esclarecimentos.

João Emanel estranha que tal denúncia seja levada ao conhecimento da imprensa justamente no final do expediente, numa sexta-feira e lamenta o que parece ser uma ação orquestrada e deliberadamente articulada para tentar desestabilizar o trabalho fiscalizador da Câmara de Cuiabá.

Confiando na Justiça e nos procedimentos que serão tomados, o vereador João Emanuel garante que irá tomar as medidas cabíveis no início da próxima semana.

16 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.97.70.141 - Responder

    Se fosse o Zé dos Anzóis, já estava na cadeia junto com todos os demais. Mas como é filho de quem é, e genro de quem é, sua prisão se quer foi pedida….

    • - IP 201.24.175.72 - Responder

      Pois é amigo Ademar ; nisso reside minha indignação , que por vezes voce critica. Esse tipo de gente , nunca vai preso , devolve oque roubou , ou é punido . Esses aí – genro e sogro – caso fossem condenados por alguma coisa , teriam lá ; bem lá na frente os “embargos infringentes” como os mensaleiros; e é isso que está destruindo a moral deste país .
      Em tempo: Curioso é que um dia o partido que ocupa o poder nos dias atuais , chamou os embargos infringentes de “entulho autoritário” por terem sido criados em 1969; mas agora esses embargos são a garantia de não punição de gente como esses aí da foto.
      Nosso país é uma nação com vocação desde o berço para a impunidade.

      • - IP 189.10.40.35 - Responder

        E sobre o trensalão tucano, nada? E sobre as prescrições do mensalão tucano, nada? Nada a dizer? Nadica? Necas de pitibiribas?

  2. - IP 179.217.105.196 - Responder

    TAL PAI, TAL FILHO….TAL SOGRO, TAL GENRO…O PAI DESSE GAROTO, NÃO É NIGUEM MENOS DO QUE O JUIZ APOSENTADO Irênio Lima Fernandes, aposentado compulsoriamente em 2010, pelo CNJ, o seu sogro é simplesmente o rei dos fichas sujas José Riva. É muita coincidência! TÁ NO SANGUE? É UMA QUESTÃO GENÉTICA? É NO DNA O PROBLEMA?

  3. - IP 177.41.95.8 - Responder

    “A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas.” Miguel de Cervantes

    Inveja…1.sentimento de pesar ou desgosto em face da felicidade, da SUPERIORIDADE de outrem. 2. DESEJO DE POSSUIR O QUE e´ de outrem….(Identificou-se).

    A inveja é o resultado daquilo que gostariamos de ter, mas não tivemos a capacidade de conseguir.
    Dieison Brito

  4. - IP 177.64.235.119 - Responder

    Hummmmm…….impressionante, agora o Ademar Adams botou a cara, até o Antonio Cavalcante……brincadeira, essa turma nem disfarça, aonde vocês estavam quando denunciaram o Mauro Mendes e suas tretas no TRT?????

  5. - IP 177.64.235.119 - Responder

    Caiu mesmo a mascara, Ademar e Amtonio no bolso da Bimetal!

  6. - IP 177.147.189.145 - Responder

    Ta com medo de que Enock?
    Cade seu texto…?
    Aderiu agora ao ctrl c + ctrl v…
    A materia “jornalistica” nao cita os nomes do magistrado em questao…
    Tampouco lembra que dias depois a familia de delinquentes foi solta em um plantao pouco explicado, em um certo domingo nublado, pelo pilantra de toga conhecido como vagabundo ate pelas pedras e putas da cidade, Manoel Ornellas, em vespera de aposentadoria, e carinhosamente chamado por vc de Moa…
    Por aqui, quem nao e parasita do rato chefe ou do rato genro, e cuzao e medroso.
    NAO SE ENGANEM DELINQUENTES…A LIMPEZA VAI ACONTECER…DE UM JEITO OU DE OUTRO!!!

  7. - IP 201.15.105.170 - Responder

    Isso nos entristece! Que tipos de políticos nós temos?!!! E o sujeito foi o mais votado!!! É grotesco!

    Alguma (s) coisa (s) está (ão) totalmente errada (s) no nosso país e a gente não faz nada! A educação é péssima, o povo é ignorante e joga o voto no lixo e assim….a gente vai levando…como na canção do Chico.

  8. - IP 201.88.230.18 - Responder

    Ademar por que vc nao falou a mesma coisa no caso do seu glorioso trt

    E medroso mesmo

    Adora meter a boca nos outros

    Quando se trata de seus empregadores enfia o rabomentre as pernas

    Jornalista só se for contratado do trt

    Toma jeito já ta sem moral

  9. - IP 201.88.230.18 - Responder

    O Ademar vai salvar o mundo kkkkkkkk

    Moralista de tigela

  10. - IP 200.252.51.203 - Responder

    ESSE PILANTRA DENOMINADO ADEMAR ADAMS FAZ PARTE DO BANDO DO ENOCK, ADRIANA, FÁBIO PANO DE USO E O DO CEARÁ, AQUELE QUE VEIO CORRENDO DO CEARÁ PRA CÁ. SÃO FALSOS MORALISTAS QUE DEVERIAM DEVOLVER O DINHEIRO QUE RECEBERAM DO GABINETE DA SERYS SEM IR EM BRASILIA, ISSO SIM ELEES DEVRIAM FALAR, CADA UM RECEBEU 5 MIL REAIS POR MES E NUCA PISARAM EM BRASILIA. FALEM SOBRE ISSO

  11. - IP 177.221.96.140 - Responder

    O pior de tudo isso é que o PT ajudou o Riva a eleger o genro presidente da Câmara Municipal.

    • - IP 189.10.40.35 - Responder

      Hein?
      A chapa do genrinho era composta de:
      1) Genrinho,
      2) Onofre Junior (PSB)
      3) Haroldo Kuzai (PMDB)
      4) Maurélio Ribeiro (PSDBEEEEEEEEEE)
      5) Clovito (PTB)

      Ele venceu por 14 a 11: os vereadores do PSDBeeeeeee, Maurélio Ribeiro, Ricardo Saad e Lueci Ramos votaram nele. Que mania de falar que tudo é PT e poupar os tucodemos de todo comentário ruim.

  12. - IP 177.3.14.235 - Responder

    QUEM VAI FICAR COM A CHAVE?

    • - IP 187.6.109.186 - Responder

      João Emanuel,
      vai pegar o seu dinheiro
      e mandar pro beleléu!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

4 × 1 =