Jandir Milan antecipa eleição na Fiemt. É golpe?

Jandir Milan, em manobra de legalidade discutível, reuniu Sindicatos para antecipar o processo eleitoral. Antecipou a eleição em meio ano, antes da data prevista. Trata-se, à evidência, de um golpe eleitoral na instituição.

Jandir está fugindo do debate democrático. Traz, a tiracolo, para a vice-presidência, Edgar Borges (junto com ele na foto em destaque), ligado à Agrimat. Quando a instituição demonstra sinais de “fadiga de material” e precisa oxigenar o debate interno para retomar o seu papel de interlocução da classe empresarial, apequena-se por falta de competição interna e cada um volta a tratar do próprio nicho de negócios.

A FIEMT transformou-se em facilitário para parte de seus dirigentes. Uns se refugiam cuidaram de usar os cargos como instrumento de aproximação para apropriar-se de fatias expressivas dos negócios com o governo.

Essa desfiguração da FIEMT subtrai o caráter de órgão de representação classista. Perdem os empresários que ficam sem voz ativa já que cada um se aninha sob as asas do governo e perde a capacidade reivindicatória em nome do coletivo. Uma chapa concorrente poderia trazer tais assuntos à baila e contribuir para um “insight” interno capaz de fazer a instituição emergirr do processo eleitoral mais fortalecida.

FONTE TURMA DO EPA – EDITOR ITAMAR PERENHA

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.132.246.148 - Responder

    Lastimável, FIEMT sendo utilizada em beneficio de relacionamento comercial com o Governo do Estado e com o o outro poder do qual o vice presidente que aparece ao lado do grande empresario de terceirização do Estado ligado ao poder da Justiça. Bandoleiros saqueando mato grosso e seu povo.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

18 − quinze =