PREFEITURA SANEAMENTO

Jaime Rodrigues, do Sindojus, entrega ao juiz João Bosco, proposta de reajuste de 132% na verba paga aos oficiais de Justiça do Judiciário de Mato Grosso para cumprimento de mandados gratuitos. Novo valor pode chegar a R$ 3,2 mil

Jaime Nascimento reunido com colegas oficiais de Justiça da comarca de Lucas do Rio Verde. O Sindojus vem conduzindo as negociações de interesse da categoria junto ao comando do Tribunal de Justiça

PROPOSTA APRESENTADA
Oficiais de Justiça querem aumento de 132%

O Sindicato dos Oficiais de Justiça de Mato Grosso (Sindojus) apresentou a primeira proposta de reajuste verba indenizatória paga para cumprimento de diligências de mandados gratuitos e pede um aumento de 132%. A categoria, que hoje recebe R$ 1,3 mil por mês, quer que esse valor chegue a R$ 3,2 mil.

A planilha com os custos foi apresentada nesta desta terça-feira (16), durante a primeira reunião da comissão criada para realizar estudos relativos à adequação da Verba Indenizatória Externa dos Oficiais de Justiça de Mato Grosso.

A categoria defende que o valor atual está defasado e que não cobre os custos que os oficiais têm para cumprir os mandados oriundos da justiça gratuita.

“Nossa situação é crítica, precisamos que o aumento dessa verba seja urgente, o que recebemos não cobre as despesas, tem oficial cumprindo mandado de moto-táxi porque não tem condições de manter um carro. Apresentamos a nossa proposta, mas estamos abertos à negociação”, afirmou o representante do Sindojus, Jaime Rodrigues.

As reivindicações dos oficiais foram ouvidas pelo presidente da comissão, juiz conciliador da Central dos Precatórios, João Bosco da Silva. Ele estabeleceu um plano de ação a fim de coletar informações que possam servir de subsídios para a elaboração de uma contraproposta que possa contemplar a categoria, mas que também seja exequível pelo Tribunal de Justiça.

Levantamento

A Corregedoria-Geral irá fazer um levantamento da média de mandados cumpridos por oficial de Justiça, tanto na Justiça Comum, quanto nos Juizados Especiais, bem como um relatório do custo por quilômetro percorrido para o cumprimento dos mandados com gratuidade. Além disso, será levantada a quantidade de oficiais que trabalham em cada comarca. Em todo Estado, são 486 oficiais na ativa.

De posse destas informações a comissão se reunirá na próxima terça-feira (23) para analisar os dados levantados e elaborar uma proposta para ser encaminhada ao presidente do Tribunal de Justiça, Orlando Perri.

Reconhecimento

Uma portaria baixada pelo desembargador presidente reconheceu a representatividade do Sindicato dos Oficiais de Justiça de Mato Grosso (Sindojus), para tratar os assuntos relativos à categoria.

FONTE MATO GROSSO NOTICIAS

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.88.214.106 - Responder

    Isto é uma calamidade, os enhores oficiais de justiça, ganham tão bem, tem ajuda de custos R$ – 1.300,00 – 300,00, mais as diligencias nas causas civeis, que engorda muito os seus salário, todos os oficiais de Justiça de Mato Grosso, tem carros, chacaras, fazendas, apartamentos nas grande metropolis etc. enquanto que o servidor de secretaria (TECNICO) o que ganha não dá para comprar nem uma bicicléta, pois, o mais alto salario chega a R$ – 1.500.00 liquido. Dr. Perri, decline que todos os servidores da justiça são oficiais de justiça, portanto cumprirá todos os deveres que esses oficiais fazem, porque os serviços deles são tão fácil, ou sugiro, que contrate firmas terceirizada para tal mister. Sinceramente, os Oficiais de justiça esturquem os advogados. Analisem caso de uma buca e apreensao os valores são tabelados por eles chegam até R$ 4.000,00. Nada de almento. Ou estou errado.

    • - IP 189.75.77.29 - Responder

      Caro leitor José, você está errado sim, enquanto um servidor pega o seu carro, estaciona dentro do tribunal, senta na sua cadeirinha e trabalha tranquilamente no ar condicionado, os oficiais de justiça, pegam o seu carro, colocam combustível com o seu dinheiro, debaixo de sol quente, chuva ou mesmo frio, e vai para o “fim do mundo” (1, 2 ou até 3 vezes no mesmo lugar para encontrar a parte) intimar as partes, correndo risco de morte, entrando em boca de fumo para intimar traficante…… tudo isso com a bagatela paga pelo tribunal, vc acha pouco???? então peça exoneração e preste um concurso para oficial de justiça………… talvez lá vc conheça mais a realidade e não fiquei achando que o dinheiro pedido pelos oficiais não ficam com os oficiais e sim servem para indenizar os custos do dia a dia.

  2. - IP 187.54.206.113 - Responder

    Acredito não ser o momento confronto entre categorias, e sim de luta, pois cada um tem seu sindicato que lhe cobra 1% mensal para lutar por vocês! De um lado tem o Sindojus que esta buscando cumprir seu papel, de outro Sinjusmat. Esta mais que na hora dos seus dirigentes lutar verdadeiramente pela classe a qual lhe elegeu e buscar o entendimento junto ao Poderes.
    Na esfera Federal, se realiza o mesmo trabalho, que se realiza na esfera Estadual, qual a diferença, passar em concurso público na esfera federal ou estadual que exige muito preparo, estudo, só os melhores são aprovados, ou seja, falta a valorição e equiparação; a pirâmide constitucional é diferente, em tais casos. Falta vontade politica na resolução da questão.

  3. - IP 186.218.193.247 - Responder

    Fui aprovado depois de muito estudo para o cargo de OJ neste ultimo concurso. Você poderia ter feito também José.

    Os técnicos e oficiais de justiça do TJMT ganham mal, essa é a realidade. Devemos nos unir e lutar pra mudar essa realidade.

    COMO???

    Participando das reuniões de sindicato, persuadindo os colegas pra que se filiem.

    Unidos somos fortes!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × dois =