IMPRENSA EM DEBATE – Na tentativa de desmentir bajulação a Eumar Novacki, Kleber Lima sugere que Enock Cavalcanti é “cego, estúpido, doido, tapado ou safado”

O jornalista Kleber Lima (foto) postou, nesta Página do E, em artigo que eu tratava da recente bajulação de Mário Marques ao secretario Eumar Novack, titular da Casa Civil e da Secom militarizada, o seguinte comentário:

"Enock… Essa deve ser a décima vez que vc cita meu nome associando-me ao que vc classificou, por pura má fé, a jornalistas bajuladores. Pois bem, recomendo que vc releia o artigo "Terezinha está certa" que ensejou essas suas provocações. Se depois de reler o que escrevi vc ainda mantiver essa interpretação de que eu a bajulei ou ao secretário Novacki, daí vc terá três opções: 1) Procurar seu oftalmologista e trocar os óculos; 2) Procurar um professor particular e reaprender português; 3) Pedir à sua patroa Serys uma nova licença para se internar num manicômio ou se exilar numa dessas chácaras da Chapada até recobrar o juízo. Porque entender as críticas que fiz a Terezinha e ao Novacki como elogios ou bajulação é coisa de cego, estúpido, doido, tapado ou safado.
Grato, Kleber Lima"

Para que os leitores e leitoras desta Página do E possam refletir sobre quem é de fato cego, estúpido, doido, tapado ou safado, nesta história, reproduzo, abaixo, o artigo que Kleber Lima escreveu a respeito de Terezinha Maggi e Novacki, artigo em que ele nega ter bajulado os dois e, mais ainda, que ele diz que contém críticas à primeira dama e a Novacki. Confiram e façam seu julgamento nos comentários. Destaquei, em vermelho, o que entendo como expressão da sabujice vergonhosa do jornalista. Mas, vejam só, Kleber Lima diz que não escreveu o que escreveu e que sua intenção era criticar. Pelo jeito, para que as suas criticas se tornem claras, ele vai ter que desenhar:


Terezinha está certa
Por KLEBER LIMA

 
Ainda bem que a primeira-dama Terezinha Maggi já se encontra totalmente restabelecida e gozando de boa saúde. Pelo menos dessa forma o noticiário político ganha alguma originalidade, e podemos sair da mesmice. Sem Terezinha, ler jornal, especialmente as páginas de política local, já não tinha nenhuma graça.

As recentes declarações da primeira-dama, sobre política em geral e sobre candidaturas em particular, são a única coisa realmente consistente nos últimos tempos. Que me perdoe o governador Blairo Maggi, mas as posições da Dona Terezinha têm sido mais interessantes que as dele próprio.

Primeiro, por desautorizarem o próprio governador, seu chefe e marido. Não é comum na cena política, aqui ou em qualquer outro lugar, uma primeira-dama contraditar publicamente o governador, prefeito ou presidente da República. Nem mesmo primeiras-damas altamente atuantes e influentes, como Thelma de Oliveira, Rosinha Garotinho e Ruth Cardoso, ousaram divergir publicamente de seus maridos na mesma intensidade e freqüência.

Ponto para Dona Terezinha, que, com tal atitude, demonstra que já vai longe aquele tempo em que política era coisa de macho, branco e rico e que, por tal motivo, o marido mandava no voto e nas posições da mulher, dos filhos e dos empregados. Mato Grosso dá um bom exemplo de que a política pode ser exercida pela mulher, ou pelo menos que elas têm direito a ter e emitir suas opiniões da mesma forma que os homens.

Sobre política, leio nos sites que o deputado Gilmar Fabris (DEM) chegou a duvidar que a primeira-dama tivesse, de fato, feito críticas aos parlamentares de Mato Grosso, ao se declarar decepcionada porque eles (os parlamentares) "pensam apenas em si próprios, em satisfazer as suas vontades pessoais" (sic), conforme entrevista ao site Midianews.

E já sobre candidaturas, leio também que o próprio Mauro Mendes – o candidato ideal a governador para 2010 nos critérios da Dona Terezinha – minimizou as declarações da primeira-dama, embora esteja se sentindo lisonjeado com a indicação. Só ainda não vi uma declaração do Silval Barbosa, que é o preferido do governador Blairo Maggi para sua sucessão. Vai ver Barbosa, assim como Mendes, esteja a duvidar que Dona Terezinha tenha mesmo feito tais declarações.

Os que duvidam e/ou estranham a postura da Dona Terezinha por certo acreditam naquele modelo ultrapassado de primeira-dama servil e discreta, que se contenta em distribuir cobertores e vacas mecânicas no seu trabalho social, e que jamais se metem em política.

Estão cegos para a nova realidade dos fatos. Entre as obras desse governo, certamente o novo perfil institucional de primeira-dama e do gabinete civil estão entre as mais destacadas. Além de estradas e casas, o Governo Blairo Maggi quebra paradigmas com um governador que não tem medo de mudar de posição política (não confundir com hesitação); com uma primeira-dama que não tem medo de confrontar o marido publicamente (não confundir com insubordinação); e com um secretário da Casa-Civil e de Comunicação que é militar da ativa (não confundir com militarização. Aliás, esse fenômeno Novacki analisarei nos próximos artigos).

Pena a legislação não permitir, porque senão Dona Terezinha seria o nome ideal — que o PR não tem — para disputar a sucessão de Blairo Maggi. Como a própria Terezinha diz, apenas um empresário com um perfil de administrador poderia dar continuidade ao governo Maggi. Logo, melhor que Mauro Mendes ou Pagot seria a própria Terezinha quem mais se encaixaria no perfil. Ou seja, seria Maggi sucedendo Maggi. Não teria como dar errado. Para ficar perfeita, a chapa poderia ter Novacki de vice. Quem serviu tanto tempo a Blairo como Ajudante de Ordens poderia servir também a Terezinha como vice, afinal já é de casa e um articulador político habilidoso e cortes com todos.

Infelizmente, alguns advogados que consultei quando tive essa revelação me desapontaram dizendo que já há julgados no TSE considerando, em casos concretos, que mesmo com a renúncia do titular de segundo mandado, a qualquer tempo, seu cônjuge se torna inelegível, porque senão sua eventual vitória significaria terceiro mandato.

De qualquer forma, torço para que Dona Terezinha não abandone de vez a política quando deixar o governo, porque sua coragem, espontaneidade, transparência e franqueza vão fazer muita falta a esse mundo do faz de conta em que nossa política está se tornando. Mesmo errando em algumas posições (como tudo leva a crer por suas críticas atuais ao prefeito Wilson Santos, a quem apoiou em 2004, confrontando o próprio Blairo), Dona Terezinha fará muita falta à política mato-grossense. Quanto a estar certa ou errada, basta calibrar melhor o faro. E isso vem com o tempo.

KLEBER LIMA é jornalista e consultor de marketing em Mato Grosso. E-mail: kleberlima@terra.com.br.

********************************

ANALISE QUE FIZ, EM 31 DE JULHO, NESTA PÁGINA DO E, DO TEXTO DE KLEBER LIMA:

Ao babar diante de posicionamento da primeira-dama, Terezinha Maggi, Kleber Lima pratica o "jornalismo caititu". Mas Adriana Vandoni já mostrou que a coisa não é bem assim. 31/07/2009 – 05:17:00

A primeira-dama Terezinha Maggi, ao falar dos políticos de uma maneira geral, está certa. O noticiário político sem Terezinha não tem graça nenhuma. Seria bom se Terezinha Maggi pudesse ser candidata à sucessão do marido mas infelizmente a lei a impede – mas que droga a existência de uma lei assim, que não permite que Terezinha seja a continuadora da obra de Blairo Maggi e tendo Eumar Novack como vice, o que seria uma solução perfeita para os problemas de Mato Grosso.

Numa rápida leitura, é isso o que me fica do artigo que o jornalista-marqueteiro Kleber Lima publica hoje no Diário de Cuiabá e alhures. Um artigo tão laudatório à mulher do grande patrão da soja e atual donatário do poder em Mato Grosso deve ter livre trânsito em saites, blogs – e é bom que tenha, porque certamente provocará reflexões.

Eu, que normalmente aprecio a capacidade do Kleber Lima de polemizar e revelar nuances não tão nítidas da realidade política em derredor, fiquei achando que, desta vez, o nobre colega enveredou pela prática de um jornalismo que eu diria caititu – para homenagear Percival Muniz e a sua cômica caracterização de tantos quantos se subordinam ao poder de plantão em nosso Estado pelo simples prazer de se subordinarem.

Os aplausos de Kleber a Terezinha começam por cometer uma indelicadeza histórica. Isto de dizer que Terezinha Maggi é a primeira dama, em Mato Grosso, a divergir publicamente do maridão poderoso é de uma imprecisão escandalosa, que desonra o articulista Kleber. Ele se esquece de lembrar desta personalidade explosiva, que ainda está por aí, que é a professora Isabel Campos, esposa do Julinho Campos – que várias e várias vezes se confrontou publicamente com os posicionamentos de seu marido, de seu cunhado, Jaime e de tantos outros, demonstrando uma coragem que a fez declarar voto público para a então deputada Serys Slhessarenko, do PT, numa época, em que Serys e o PT se constituiam nos principais adversários da oligarquia Campos. E se cavucarmos, certamente encontraremos outros exemplos a contestar este exagero analítico do Kleber.

O jornalismo caititu, que baixou sobre o Kleber na hora em que resolveu escrever seu artigo, o faz tentar apagar a história para superfaturar sua admiração por Terezinha Maggi. Uma admiração, quando se lê e relê a tal entrevista no Midia News, totalmente descabida, em minha modesta opinião, já que, ao que me parece, em seu discurso, Terezinha não confrontou Maggi nem os botinudos, e muito menos os políticos, e muito menos o machismo na política, e muito menos confrontou apresentou e defendeu uma tática eleitoral diferente da tática do maridão – já que falou generalidades, abobrinhas, não apontando um nome, um caso concreto, um fato conflitivo, tratando única e tão somente de destacar a figura do empresário Mauro Mendes que, ao que me lembre, não é uma invenção dela, mas justamente do seu marido Blairo Maggi a quem ela, com este discurso, não confronta, mas serve já que os planos da Turma da Botina, para as eleições se mantém nebulosos. E tudo indica que o cenário sempre esteve e estará montado mesmo para Mauro Mendes, com Silval, Wellington, Abicalil e outros sendo apenas buchas de canhão com que os botinudos vão enchendo linguiça até chegar a hora da onça beber água.

O que a primeira-dama disse dos políticos, vejam só, cabe também para ela mesma e para o seu maridão que, tal como os demais políticos,  "pensam (e demonstram que pensam) apenas em si próprios, em satisfazer as suas vontades pessoais". Ou será que, com esta declaração pretensamente "bombástica" a primeira-dama, ao encontro de quem correm logo apressadamente os caititus do jornalismo, não está visando, basicamente, contribuir para a perpetuação do seu grupo político no controle da máquina administrativa do Estado?  Ela esperneia contra os politicos, no geral, mas não perde tempo, bem orientada, é claro, pelos marqueteiros da Botina, em dizer qual o projeto a que esses políticos deveriam aderir: eleger Mauro Mendes, o escolhido pela Casa Grande dos Maggi, o sucessor de Maggi, para manter o poder dos Maggi. Quem aderir a Mauro Mendes, faço o que fizer na sua rotina política, seja um Riva ou um Gilmar Fabris ou um Roberto França ou um Alexandre César, estará numa boa com a primeira-dama.

Além do mais, para ler generalidades, nos basta a coluna do Paulo Zaviaski, que é até muito mais engraçado do que Terezinha Maggi. Uma crítica aos políticos, para ser eficiente, teria que detalhar dados concretos a serem repudiados, corrigidos, aperfeiçoados, neste processo democrático que vivenciamos. Como por exemplo: lá na Assembléia Legislativa, aquela unanimidade que se montou em torno de José Geraldo Riva, visa mais resguardar os interesses de Riva, e protege-lo das investigações da Policia e do Ministério Público, que investiga as possiveis bandalheiras praticadas no comando do Legislativo estadual, do que resguardar os interesses maiores e superiores da população. Só que a "revolucionária" que Kleber Lima, com seus olhos de caitutu, enxerga em Terezinha Maggi, não adentra interesses conflitivos como este, até porque Riva serve e é parceiro do projeto político dos botinudos, do projeto político da Terezinha Maggi, de Blairo, de Mauro Mendes, etc, etc. Que a primeira-dama nos mostre algum dado revelador e desveladosr sobre Silval, sobre Gilmar Fabris, sobre Piveta, sobre Alexandre César…sobre os políticos que ela critica e defende que a população se afaste deles, mas tudo a partir pura e simplesmente da concordância ou discordância com os interesses da Turma da Botina.

A verdade, Kleber Lima, é que ao atacar a todos, Terezinha Maggi não ataca ninguém, não critica ninguém, faz apenas um jogo de cena.

Bem, essas são algumas anotações ligeiras que faço sobre o artigo do Kleber. Existem outras implicações e outros ângulos a serem debvassados. Mas ví que a Adriana Vandoni, sem ler o Kleber, já se deu ao trabalho de ler a primeira-dama Terezinha Maggi e avaliar que, na tal entrevista, os botinudos estão só troteando.

Quando a esta história do Kleber Lima defender uma pretensa candidatura de Terezinha Maggi para governadora, mesmo que contra a lei – e com o truculento Novacki ( que Kleber Lima chama de habilidoso e cortês! O coronel Salles que o diga!) – não é caitituagem. É sacanagem.

 

 

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP - Responder

    Enock, não sei como você ainda perde o seu tempo discutindo com jornalistas da linha caititu. Enock, tem jornalista por aí, que gosta de posar de moralista e dono da verdade, mas, na realidade é um bom negociante para escrever matérias pagas, inclusive para um certo deputado. para comprovar isso é só dar uma checada nos arquivos desse cidadão tranvestido de jornalista. Não é raro se deparar com certo jornalista conversando com certo deputado num dia e noutro dia fazer o papel de baba ovo do dito cujo. Pior do que aqueles politicos inexcrupulosos que usam dinheiro público para manter certo poder, inclusive de interferir no que a mídia fala, pior do que isso são jornalistas pagos para falar bem do deputado, julgando que toda a sociedade é bobona e babaca que não percebe tais manipulações. Por tudo isso é que respeito você, enock cavalcanti, e mesmo eu não sendo petista e criticando a atuação da senadora serys, mesmo assim, você não se vende para deputado ou senador nenhum, e deita o sarrafo em quem pisar na bola, esse sim é o jornalista ético, sem rabo preso e sem vender artigos para falar bem de determinado politico. parabéns enock, e continue assim, sem se vender como muitos por aí, que fazem até um discurso bonito, mas, na prática suas ações são bem diferentes.

  2. - IP - Responder

    Enock, tem jornalista aí que é um defensor intransigente do deputado maluf, disse até que o maluf daqui é diferente do maluf de lá, será? ou esse jornalista é mal intencionado ou possui indisfarçáveis interesses “meramente econômicos”. como voce enock é um dos poucos jornalistas que tem feito criticas corretas em relação ao grupo do maluf e as suas construções em áreas de proteção ambiental ao lado do shopping pantanal, então, pode haver aí uma ação orquestrada para critica-lo, chama-lo de doido, etc. Enock, infelizmente tem jornalista que faz esse tipo de coisas, pensa que está na surdina e o povo não sabe, ledo engano.

  3. - IP - Responder

    Kleber e Enock estão correntíssimos quanto aos adjetivos; somente trocaria “ou” por “e”, no final dos qualificadores.

  4. - IP - Responder

    “A verdade, Kleber Lima, é que ao atacar a todos, Terezinha Maggi não ataca ninguém, não critica ninguém, faz apenas um jogo de cena.” Ir me ater somente nesta… TEREZINHA NÃO ATACA NINGUÉM… MENTIRA. Ela não ataca pessoalmente… manda ATACAR. Pelo que sei ela anda mandando bater em quem ousar chegar perdo do seu “macho”, pois ele anda pulando cerca… as más linguas de ROO, disse que ela bateu em um empregada gostosona. E que uma “amiga” da família levou um “tapas” por pensar que a “infeliz” estava tendo um caso com marido. Isto saiu publicado em algum jornal? Não Enock, pois a PRIMEIRA DAMA não pode passar de uma mulher DESVAIRADA e LOUCA DE CIUME. Dá licença… ou esta mulher sai do Governo, ou BLAIRO irá perder com a mania de grandeza desta “desvairada”.

  5. - IP - Responder

    Desculpe ENOCK mas a falsa imagem de FAMÍLIA PERFEITA só na PROPAGANDA POLITICA… eu tinha que falar, pois estou engasgada com esta mulher TEREZINHA MAGGI.

  6. - IP - Responder

    Enock… vc já ouviu falar na GANGUE DE MULHERADA MAL-AMADA DA ALTA SOCIETY… pois é, penso que a TEREZINHA MAGGI deva ser CHEFE. Vou criar um CINTO DE CASTIDADE PARA MARIDOS QUE PULAM A CERCA.

  7. - IP - Responder

    KKKKKKKKKKKKKK
    Matou a pau Enock, se esse cara tiver um pingo de vergonha ele pede o boné , ou diz que tá com dor de barriga e vai cagá no mato.
    KKKKKKKKKKKKK

  8. - IP - Responder

    kkkkkkkk, essa e muito boa, brigas entre jornalistas, vamos ver quem tem mais coragem ai dos dois, pois eu os conheco e sei que sao bons, espertos e inteligentes, TERE, como gosta de ser chamada, manda sim bater e amendrontar, como qualquer outrar mulher, agora o que ela gosta mesmo e de contratar GURIZADA de ROO E CURITIBA, kkkkk, e o estilo botou e levou, tudo num mundinho bem moderno, VIVA A DEMOCRACIA, eu to e amandooooo.

  9. - IP - Responder

    Terezinhaaaaaaaaa
    Vcs querem bacalhau?

  10. - IP - Responder

    Já descobri, Enock, qual o seu problema: é safadeza mesmo.

  11. - IP - Responder

    diante dos elementos que voce expõe, não há outra coisa a concluir senão que este senhor jornalista kleber lima é um tremendo de um canastrão. Ou será que estou errado e tem alguma coisa aí que não percebi?

  12. - IP - Responder

    agradeço a voce, enock, por abrir espaço para que a gente entenda e perceba que dentro da mídia também tem muita mutreta. Gostaria de saber o que é que voce me diz deste caso envolvendo o Midianews e o vereador Deucimar Silva. Será que o Ramon Monteagudo tentou realmente fazer um tipo de chantagem pra cima do vereador. Me falaram que o Auro Ida andou distribuindo por aí esta versão. gostaria de saber sua opinião, mestre enock.

  13. - IP - Responder

    o kleber lima, que não disse até agora um aí contra as denúncias feitas pelas próprias agências de publicidade quanto às irregularidades que estariam acontecendo na Secom de Maggi, acha que o mais importante é atacar voce, enock. Acho que isso já nos mostra quem é esse kleber.

  14. - IP - Responder

    Sempre tirei notas boas em intrepretações de texto, e se esse texto do Kleber não foi uma bajulação não sei o que é bajular. Gostaria muito que essa dupla fosse candidato, pois só assim o povo daria a eles uma grande lição.

  15. - IP - Responder

    Dona Terezinha Maggi nao merece estar exposta ao ridiculo. Kleber Lima deveria assumir os elogios rasgados
    que fez a ela e com isso evitaria comentarios desairosos e se personificaria como um profissional de conduta ilibada e corajosa, assim como tiraria a oportunidade de o senhor Enock Cavalcanti vangloriar da sua decencia e honestidade jornalistica. Afinal de contas, a dona Terezinha Maggi, pelas atitudes que tem demonstrada, publicamente, so merece elogios, pois difere daquela tradicional “primeira dama” de banquetes e coqueteis. Entre Kleber e Enock admiro as atitudes de dona Terezinha Maggi.

  16. - IP - Responder

    saudades da ditaDURA MILITAR.

  17. - IP - Responder

    Enock, esse kleber lima não é aquele que vive defendendo o maluf, dizendo que o maluf daqui é diferente do de lá de são paulo?? pois é, ou esse kleber é mau informado ou tá fazendo jornalismo tendencioso. ele tenta defender potenciais criminosos ambientais que estão devastando o parque massairo okamura com construções monstruosos em área de interesse ambiental.Dias desses esse jornalista foi visto com o próprio deputado conversando com o mesmo em certo local, será que ele estava discutindo os termos da próxima bajulação que ele ia fazer em seus artigos??

  18. - IP - Responder

    Esse jornalista Kleber Lima além de bajulador é um tremendo cara de pau, pois escrever um artigo elogiando a Terezinha Maggi e Eumar Novack e depois dizer que não era isso que ele quis dizer, me parece coisa de abilolado!

  19. - IP - Responder

    Enock,
    Você poderia nos dizer aí…
    Porque só agora, depois de tanto tempo que esse artigo foi escrito você está trazendo esse assunto das suas picuinhas com o Kleber Lima à tona?
    O que está havendo?
    Que vocês não se bicam tem um bom tempo não é segredo pra ninguém! Mas… parece que ele andou pisando no seu calo, né amigo? Parece até que a idéia de revide é detonar com o Kleber Lima.
    Respeito a sua trajetória Enock e sou uma leitora assídua do seu blog, mas gosto do trabalho do Kleber Lima e acho essa briguinha uma perda de tempo. Porque vocês não empregam o tempo em um debate mais salutar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

15 − doze =