Imprensa de MT se esconde dos 9 processos contra Riva

Vejam só como funciona – ou não funciona-  a grande imprensa de Mato Grosso: o Pleno do Tribunal de Justiça decidiu, nesta quinta-feira, 12 de abril de 2012, acolhendo parecer do ilustre relator desembargador Luiz Ferreira, abrir nada menos que 9 (nove) novas ações penais para investigar a possivel prática de peculato e lavagem de dinheiro pelo todo poderoso presidente rereeleito da Assembléia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva (PP). Só que o assunto não consegue chegar às primeiras páginas dos nossos jornais. Ninguém detalha a relação das pessoas que estão sendo processadas junto com Riva. A Tv Centro América, pelo menos, fez um registro burocrático da decisão do TJ, em seu Bom Dia, MT, desta sexta-feira 13. Alguns blogues também registraram parte do release do MPE. Mas, no geral, a fúria investigativa é maior com relação ao Carlinhos Cachoeira, lá de Goiânia, do que com relação às investigações que o MPE encampou por aqui mesmo, nesta terra de Rondon.

Ah, como seria bom ver nossos repórteres investigativos em ação, debulhando para o grande público mato-grossense cada uma desses ações penais, reprisando a história das empresas fantasmas, entrevistando e contando a história dos dois promotores – Célio Fúrio e Roberto Turin – que tem sustentado este trabalho de investigação sobre os rombos da Assembléia, desde que os documentos dos cofres do comendador Arcanjo, com a Operação Arca de Noé, vieram à luz. Depois do trabalho que Turin e Furio iniciaram, o MPE reforçou o time de investigação deste caso e pelo menos toda esta história não acabou morrendo dentro de uma gaveta qualquer. Nos escaninhos da Justiça, a investigação se arrasta há anos. Mas, pelo menos, graças à ação coordenada por Pedro Taques, na Operação Arca de Noé, e ao trabalho de Furio e Turin, dentro do MPE, a informação rolou, foi se espalhando muito pelo método do boca a boca – e até as pedras, para citar o ministro Gilmar Mendes, as pedras das ruas muito esburacadas de Cuiabá sabem o que houve lá dentro da Assembléia. Quem não sabe, imagina e se horroriza. O que falta é avançar com estas ações até que se possa punir os possiveis responsáveis.

Dos caititus de Assembléia não dá nem pra falar. (Haveria melhor hora do que esta para acionar a comissão de ética, para se abrir uma CPI?!   Deputados como o Alexandre César, todavia, prioriza lançar projetos tentando proibir a contratação, pelo Estado, de bandas que executem músicas do Bezerra da Silva e outros que tais) Mas sempre me espanto que a valorosa imprensa de Mato Grosso insista em atraiçoar os seus compromissos e se manter alheada com relação à cachoeira de corrupção que parece jorrar daquele antro de malversação de recursos públicos em que teria se transformado o nosso Legislativo estadual. Isso quando próprio Riva, falando ao Olhar Direto, garante que esta é uma boa chance de provar sua inocência! Uma fonte do MP, com olho rútilo e lábio trêmulho, me falou, dia desses, que em valores atualizados, o rombo na Assembléia talvez se aproxime de qualquer coisa assim como DOIS BILHÕES DE REAIS! Eu fiquei ouvindo e não quis acreditar, mas a pessoa estava ali, diante de mim, assegurando que os cálculos correm por aí.

A saida, minha gente, onde é que fica a saída?

Categorias:Cidadania

6 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.116.208.237 - Responder

    Enock: A Ong Moral mostrou ao Brasil inteiro o quanto Riva paga pelo silêncio da mídia, 18 milhões de reais por ano. Acha que a Gazeta que pegou quase dois milhões, E esses outros canais, umas porcarias que tem um programação vagabunda e pegaram cada uma cerca um milhão de reais. Ou o Circuito MT, que só tem leitores porque é distribuído gratuitamente aos borbotões e pegou 500 mil num ano (e prefere mostrar Riva e a filha na coluna social/latrinal). Ou a sociedade sai para as ruas e faz uma invasão da Assembléia e pega esses deputados pela orelha, ou daqui dez anos vamos estra do mesmo jeito, com Riva ou outro coronelzinho mandando em tudo. Sós com os desvios anuas da Assembléia, dava para construir um super hospital todo ano.

  2. - IP 187.58.29.187 - Responder

    Enock, na verdade, o Carlinhos Cachoeira e todo esquema, não é nada se fizermos uma comparação com as falcatruas do Lord Caboclo riva. O negocio aqui é monstruoso. riva deita e rola sobre tudo e todos. Enock é só você e mais uns três que tem coragem para enfrentar este carequinha. O resto, é tudo da folha de pagamento da AL!

  3. - IP 189.59.38.238 - Responder

    Será que vale comentar?

  4. - IP 189.59.40.196 - Responder

    A saída, Enock, tem a ver com o leitor, esse pessoal todo esquecido….Se fosse o leitor que garantisse a existência dos jornais, outros fatos teriam status de notícia. Mas, como os jornais dependem de dinheiro público, de políticos e publicidade, o leitor tem pouco peso, quase nenhum. A saída para um outro jornalismo passa pelo esquecido leitor.

  5. - IP 187.55.153.38 - Responder

    Até quando vamos ter que conviver com a inversão de valores em uma sociedade constituida, em que os homens de caráter, começam a ficar tão impotentes em sua própria omissão, que perdem até mesmo a capacidade de se indignar e reagir, ante as agressões praticadas nas políticas públicas do Estado de Mato Grosso, e que a meu ver, smj…não terá outro remédio a não ser e infelizmente o famigerado TOQUE DE RECOLHER..!! “Quem há de querer……!!!!?? eu não quero e vc..!! então faça algo..Vamos Brasil ..!

  6. - IP 186.199.192.64 - Responder

    A saída meu amigo…só há uma saída…infelizmente. Pessoas de bem, precisam mais que se indignar. Precisam acionar o único que pode nos livrar dessa escuridão: “Matt Murdock…o advogado…justiçeiro…herói…o DEMOLIDOR.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dez + 17 =