Esta sexta (27) foi o dia do bla bla bla. Pedro Taques faz teatrinho, ao assumir candidatura e repete o mote da quitanda, agora contra a Seduc do PT. Lúdio compara o pedetista a Demóstenes Torres e o chama de falso moralista.Eu acho ilusionismo puro isso do Pedro Taques aparecer dizendo, com a maior cara de pau, que Jayme Campos é um dos simbolos da mudança que sua campanha traz para Mato Grosso. Eu acho trágico ver Lúdio clamando pela companhia, em seu palanque, do super processado deputado José Geraldo Riva

A mudança, anunciada por Pedro Taques, e corporificada em velhos políticos como Jayme Campos, aparece no palanque com uma cara lastimável. Foto José Medeiros

A mudança, anunciada por Pedro Taques, e corporificada em velhos políticos como Jayme Campos, aparece no palanque com uma cara lastimável. Foto José Medeiros

 

Um dia de convenções partidárias é sempre um dia de alegria, já que demonstra que a democracia brasileira continua pulsando. Esse me pareceu um ano de convenções mais modestas, mais confusas, mas o inicio da campanha eleitoral, ainda dominada por um clima de Copa do Mundo, deve ser saudada por todos. Já que a democracia é um processo e a democracia brasileira está sempre a se construir, no dia a dia da vida do nosso povo e com a crescente participação de nosso povo, ainda que em papel majoritariamente subalternizado.

Em Cuiabá, o palanque mais rico foi o palanque de Pedro Taques – e não podia ser diferente, armado no ambiente popular do Ginásio Verdinho, no CPA, com o senador do PDT ladeado pela fina flor do agronegócio e da acumulação capitalista em Mato Grosso, personificada em figuras como Otaviano Pivetta (prefeito de Lucas do Rio Verde e um aplicado neobrizolista), Carlos Fávaro ( lider dos produtores de soja no Estado) e Jayme Campos, que personifica o ruralismo mais reacionário do Centro Oeste.

A convenção do PMDB foi mais tímida, no Associação Mato-grossense dos Municipios, como esse eterno sobrevivente, que é o cacique Carlos Bezerra me dizendo que eu cometo uma maldade sempre que o caracterizo como cacique. “Cacique sugere a existência de autoritarismo e não existe ambiente mais democrático que o ambiente do nosso PMDB”, justificou-se.

A verdade é que, com as convenções, começou a temporada do bla bla bla, com muita coisa ainda indefinida nos partidos, notadamente da situação. Lúdio é o candidato a governador, mas seu candidato a vice já renunciou antes de ser homologado, e a candidatura de Teté Bezerra aparece como uma espécie de pastiche para a unipresença de Carlos Bezerra nos negócios e na política da situação. Bezerra diz que não é cacique mas na montagem da chapa da situação só dá ele. Se isso não é caciquismo, o que será?

A convenção que lançou Pedro Taques foi um show pirotécnica, já demonstrando onde é que a grana está nesta campanha. O pequenino senador começou seu discurso com uma atitude teatral, pulando no meio do povo, para começar o discurso mas um minuto depois ele sumiu novamente no palanque, já que, pequenino como é, ele some no meio do povo – e some em muitos sentidos. O espetáculo desafiou até a legislação eleitoral e levou para o palanque Vera Capilé e a viola de cocho do Abel para uma engajada apresentação do Hino de Mato Grosso, em uma tentativa de show de civilidade. Alguém atrás de mim, sugeriu que deveriam ter levado o Dois a Um que faz um show mais animado.

A troca de gentilezas entre Lúdio e Taques já começou por que, afinal de contas, uma boa campanha eleitoral não prescinde de um dose cavalar de bla bla bla. Vamos ver se, em meio às provocações de parte a parte, quem é vai perder primeiro a tramontana. E se haverá critério por parte do público em cobrar propostas e revelações que contribuam para o aperfeiçoamento da gestão administrativa em Mato Grosso.

Pedro Taques garante que o PT transformou a gestão da Secretaria de Educação em uma quitanda. Mera frase de efeito, sem maiores comprovações. Do lado de lá, Lúdio replica que Taques é um falso moralista, herdeiro de Demóstenes Torres.

E vai por aí o bla bla bla. Eu acho ilusionismo puro isso do Pedro Taques aparecer dizendo, com a maior cara de pau, que Jayme Campos é um dos símbolos da mudança que sua campanha traz para Mato Grosso. Eu acho trágico ver Lúdio clamando pela companhia, em seu palanque, do deputado José Geraldo Riva, já condenado por corrupção a partir de um voto da desembargadora Maria Erotides, no Tribunal de Justiça, que lhe cassou os direitos políticos e que, ao que me consta, continua de pé.

Esse tipo de bla bla bla é muito desanimador, mas essa é campanha que nós temos, esses são os candidatos que nós temos.

Julier Sebastião da Silva preferiu comemorar o aniversário em família do que comparecer à convenção do PMDB, depois que o cacique Bezerra, com uma sutileza daquelas, cravou o punhal nas costas de sua campanha. Espero que a festa familiar tenha sido um consolo para essa personalidade exemplar que é o Julier Sebastião.

Ao longo da semana, voltaremos ao assunto, com mais bla bla bla do blogueiro e cenas e depoimentos que esta PAGINA DO E colheu nas diferentes convenções. Peço o máximo de atenção do leitor eleitor cidadão para esta campanha. É o seu destino, o nosso destino, enquanto comunidade mato-grossense que está em pauta.

Categorias:Jogo do Poder

15 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.225.9.54 - Responder

    Isso me faz lembrar do dia em que numa reunião do Ong Moral com o Pedro Taques entregamos a ele documentos sobre uma falcatrua de J. Veríssimo.
    O tempo passou e voou e nada sobre o assunto. Procuramos sua assessoria e ninguém sabia de nada, queriam saber o nº do protocolo.

    Bom, como a entrega do documento foi informal, acreditando que com o aparato que dispõe um Senador, ele mandaria averiguar a veracidade da denúncia e tomar as providências cabíveis.

    Triste ilusão. A moralidade do senador NOVIDADE já estava contaminada.

    Aliás, desde o famoso almoço com “soja majestade” (licença Villa) no castelo em Manso, o povo foi descobrindo que havia elegido apenas mais um político com as mesmas práticas da maioria que temos pelo país.

    Agora com a confirmação da aliança para reeleger Jaime lacraia, os fumos de moralidade que Pedro Taques marcou sua carreira como procurador da República, viraram fumaça mesmo.

    Por tudo isso, para mim agora ele passa a ser PEDRO TRAQUES….

    • - IP 201.24.175.115 - Responder

      Isso é uma confissão de que a Ong. Moral também andou pedindo benção e visitando o então novel senador Pedro Taques com supostas denúncias contra o outro senador da República? Confessada ilusão ou inconfessável oportunismo? Bem… muitas fumaças estão explicadas… “O tempora o mores”…

      • - IP 201.57.233.61 - Responder

        A Ong Moral nunca se furtou a aceitar um convite para dialogar com qualquer político que a convidasse.
        Quem pede benção são aqueles de intensões reptícias, aqueles que escondem a cara.
        Oportunismo é a coisa que mais vossa senhoria tem feito nestas paginas.

  2. - IP 179.225.9.54 - Responder

    Já sobre Julier Sebastião, poupe-nos Enock: “”””””””Espero que a festa familiar tenha sido um consolo para essa personalidade exemplar que é o Julier Sebastião.”””””””””

    Exemplar em que, depois de tudo que temos ouvido e visto sobre este personagem? Aliás é outro grande desencanto para muita gente as postura deste cidadão nos últimos tempos. Ouvimos até conversas de que ele só saiu da magistratura para não ser afastado de lá. Estamos investigando a informação.

    • - IP 201.24.175.115 - Responder

      “(…) Ouvimos até conversas de que ele só (…)” Ora, se somente se ouviu apenas conversas é porque não existem provas sobre o que se ouviu dizer, razão suficiente para se calar e trabalhar em silêncio na busca da verdade dos supostos fatos… Mas para a Ong. Moral tais “conversas” são suficientes para fundamentar insinuações que atingem a honra e a imagem das pessoas… Se homens que se autoinvestem na função de defender a moralidade e os valores sociais agem dessa forma irresponsável, o que esperar dos simples mortais que sequer conhecem valores como a honra e a moral? “O tempora o mores”…

      • - IP 201.57.233.61 - Responder

        Defender a moralidade é obrigação de todo cidadão. Ninguém precisa “ser auto investido”. Você quando se aposentar vai ser advogado de Julier, ou apenas quer bajulá-lo. Quer que eu te mande cópia do inquérito da Operação Atarath, para você também tirar suas conclusões.

  3. - IP 179.225.9.54 - Responder

    Quanto ao Lúdio, a quem pessoalmente admiro, digo que estou começando a ficar com pena dele. Sem apoio na cúpula do PT local (contaminado pelos aloprados sem votos), precisou se valer desse personagem mumificado da política mato-grossenses, o mão de pilão Bezerra. Isso já era ruim.

    Mas agora, a imposição da dona Tete Bezerra como vice é uma coisa escandalosa. Que qué isso gente? Bezerra já manda e desmanda com Silval, esse zero de nada que Blairo Máqquinas fez governador…

    Lúdio, um conselho vindo do velho Brizola: “Eleição não é corrida de cavalo que se deve ganhar de qualquer jeito”.

    Ainda mais se tiver de ter Riva no seu palanque…Esse câncer que contamina todas as nossas instituições ligadas à política e muitas fora dela.

    • - IP 201.24.175.115 - Responder

      Se as lições e os conselhos do “velho” Brizola são atualíssimos e estão na pauta do dia e da Ong. Moral… então creio que devam ser utilizados sem parcimônia nas manifestações da própria Ong. Moral que, por consequência, deveria abandonar definitivamente o manejo das insinuações fundadas nas conversas de ouvir dizer… “O tempora o mores”

    • - IP 177.221.96.140 - Responder

      Não sei porque o PT, dos filopetralhas, não pode ter a Tetê como candidata a Vice, se há muitos anos os petistas são aliados, inclusive participando do governo, de Silval barbosa, Blairo Maggi, Eder Moraes, Bezerra, a própria Tetê, Riva, Pagot, e outros todos da mesma turma.

      O PT, comandado da Papuda, é apenas uma casa de tolerância.

  4. - IP 177.221.96.140 - Responder

    É tudo a mesma turma.

  5. - IP 201.24.175.115 - Responder

    Depois dessas intervenções… só me cabe aguardar com resignação a saraiva de impropérios e maldições que será proferida por algum dos aiatolás encarregados da proteção e fiscalização da moral e dos bons costumes… “O tempora o mores”

    • - IP 201.57.233.61 - Responder

      Quando as pessoas souberem quem é Itagi, aí sim virá uma saraivada de impropérios.

  6. - IP 201.24.175.115 - Responder

    Quanto às disputas eleitorais, creio que Lúdio tem chances enormes de, ao lado de Dilma, vencer as eleições. Mato Grosso precisa iniciar um novo ciclo político-administrativo e, dentre os nomes apresentados, apenas Lúdio tem condições de enfrentar esse desafio. Ademais, é preciso consolidar as conquistas e avançar nas transformações sociais e políticas. Então… daqui até as eleições é pau na moleira de alguns e muito carinho com o eleitor… como fazia o “velho Brizola” nos momentos decisivos do enfrentamento.

  7. - IP 200.101.27.129 - Responder

    jornalismo apaixonado.

  8. - IP 200.101.35.34 - Responder

    Por isso que para o dia da eleição pedi uns dias de ferias para viajar. Já que sou obrigado a comparecer a urna farei bem longe de Mato Grosso, até sei para que se vota, mas não sei em quem se vota.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

17 − dezesseis =