PREFEITURA SANEAMENTO

HASTA LA VISTA, BABY: Desembargador Adilson Polegato, que pediu aposentadoria voluntária, recebe homenagens de seus colegas. O magistrado que irá ocupar a vaga deixada pelo desembargador Polegato subirá para a Segunda Instância pelo critério de merecimento.

Adilson Polegato, desembargador

Adilson Polegato, desembargador

TJMT rende homenagens a desembargador Adilson Polegato

Está publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) desta terça-feira (30 de junho) decisão que deferiu o pedido de aposentadoria voluntária do desembargador Adilson Polegato de Freitas. Ele assumiu a vaga no Tribunal de Justiça de Mato Grosso em março de 2013, quando foi promovido pelo critério de antiguidade, com a aposentadoria do desembargador José Luiz de Carvalho. Ao todo, ele registra quase 30 anos dedicados à magistratura mato-grossense.

Na sessão realizada pelo Tribunal Pleno na última quinta-feira (25 de junho), Adilson Polegato recebeu uma série de homenagens dos colegas. O primeiro a falar foi o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, que lembrou a época em que ambos se conheceram, na década de 70, na cidade de Cáceres, onde Polegato trabalhava como advogado.

“Ele dedicou sua vida ao Poder Judiciário de Mato Grosso. Receba do Tribunal de Justiça os agradecimentos e o reconhecimento do seu trabalho em prol da sociedade. Até com prejuízo à saúde sua excelência se dedicou integralmente ao ofício de fazer Justiça. Meus sinceros agradecimentos ao senhor e a sua família”, salientou.

Os desembargadores Marcos Machado, Serly Marcondes, Rondon Bassil, Marilsen Addario e Luiz Carlos da Costa também aproveitaram o momento para render homenagens ao desembargador, que foi aplaudido por todos os colegas de toga.

Visivelmente emocionado, Adilson Polegato agradeceu a todos. “Eu acredito em todas as palavras ditas aqui, eu, porém, não sei se mereço todas. Vou agora para uma nova jornada, mas posso dizer que foi uma grande felicidade conviver com vossas excelências, com quem muito aprendi. Meu muito obrigado a todos”.

Adilson Polegato é casado, pai de três filhos e avô de quatro netos. Com 69 anos, ele é natural de Maracaju, Mato Grosso do Sul, e se formou na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em 1979. Durante seis anos militou como advogado até ser aprovado no concurso para ingresso na magistratura, em 1985.

A primeira comarca em que jurisdicionou foi Colíder, unidade judiciária instalada na mesma época. Depois, foi promovido para Cáceres, quando a comarca ainda figurava na categoria de Segunda Entrância e, quando a unidade foi elevada para a Terceira Entrância, o juiz também foi promovido, permanecendo na mesma jurisdição. Por fim, foi promovido para a Entrância Especial, em 1993, em Cuiabá.

Vacância – O magistrado que irá ocupar a vaga deixada pelo desembargador Adilson Polegato subirá para a Segunda Instância pelo critério de merecimento. Antes disso, porém, será publicado o edital para que os candidatos possam se inscrever.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze − 1 =