GUSTAVO CAPILÉ – Talvez seja um crédulo fora de moda mas continuo achando que temos homens e mulheres honrados na política, como em qualquer outra atividade. Meus votos serão depositados neste sonho e nesta crença de que somos cidadãos plenos, empoderados de liberdade para gerir nossos próprios destinos.

"Meus votos serão depositados neste sonho e nesta crença de que somos cidadãos plenos, empoderados de liberdade para gerir nossos próprios destinos. Não importam os números e os nomes que vamos escolher" - anuncia Gustavo Capilé

Orgulho do voto
por GUSTAVO CAPILÉ

Ainda não sei em quem vou votar, mas certamente não será em candidatos que atrapalham a minha visão de motorista nas rótulas e nos cruzamentos da cidade, com seus retratos de sorriso forçado. Também não vou digitar na urna eletrônica o número dos engraçadinhos, dos maus poetas, dos folclóricos, dos que usam artifícios e trocadilhos para aparecer mais do que os outros na propaganda oficial. Pretendo, igualmente, ignorar aqueles que fazem promessas absurdas ou que desfazem tudo o que seus oponentes realizam ou realizaram. Sobra alguém?

Sobra, certamente! Nesta semana que ainda falta para o dia da votação, vou reexaminar as informações de que disponho dos postulantes a cargos públicos que já passaram pelo teste do “não”, a fim de eleger a dezena de minha preferência para o Palácio Alencastro e os cinco dígitos daquele que poderá me representar na Câmara de Vereadores. Respeito quem vota em branco, mas sou pragmático demais para protestar desta maneira. Se eu não escolher, alguém escolherá por mim – e aí, sim, terei que me conformar com o que vier. Prefiro errar com os meus próprios dedos.

Quem sabe, não acerto? Talvez eu seja um crédulo fora de moda, mas continuo achando que temos homens e mulheres honrados na política, assim como em qualquer outra atividade. E acredito, acima de tudo, nesta fórmula engenhosa que permite a cada cidadão conversar apenas com a sua consciência antes de decidir o que fazer com o seu direito de votar. Trago este sentimento da infância, apesar de que neste período não via minha mãe sair de casa para votar com regularidade – os militares nos deixaram um bom tempo longe das urnas e quando havia eleição, não era para os cargos majoritários. Com a redemocratização do país, voltamos às urnas e lembro-me bem da primeira vez em que fui votar, foi em 1985, para escolher Dante de Oliveira o prefeito de Cuiabá. Saí de casa com o orgulho de me sentir uma pessoa livre e importante para o país.

Meus votos, portanto, serão depositados neste sonho e nesta crença de que somos cidadãos plenos, empoderados de liberdade para gerir nossos próprios destinos. Não importam os números e os nomes que vamos escolher. Importa, mesmo, é saber por que estamos votando. Importa, especialmente, votarmos com a convicção de que este gesto simples de escolher – e acreditar na escolha – contribui para o engrandecimento do nosso país. Abro meus votos, sim. Com orgulho, votarei no direito de votar, que não é só meu, mas de todos os brasileiros.

* Gustavo Capilé  é diretor de Redação do Diário de Cuiabá. Gustavo@diariodecuiaba.com.br

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.147.153.19 - Responder

    Cidadão pleno é aquele que paga o salário de seus funcionários, Capilé.

  2. - IP 187.123.3.230 - Responder

    Eu concordo com a sua brilhante explanação, Capilé. Fico cheio de orgulho sabendo que ha muitos que tem o mesmo critério de escolha. Capilé procure aumentar e divulgar a sua convicção, tenho certeza vai ajudar na escolha do nosso representante no camará de vereadores e na prefeitura de Cuiabá MT.Parabens.

  3. - IP 200.17.60.247 - Responder

    Grande Gustavo, velhos tempos de 15 de Novembro, ao lado do Araripe…
    Só vc mesmo para ainda acreditar em poucos bons políticos nesse país, ou em Cuiabá. Decidi que no próximo domingo estarei dormindo na minha rede, embaixo de meu pé de manga que já está carregado de frutos…Depois vou imprimir minha simbólica multa e pagarei com prazer na lotérica… Iguais a mim, existem milhões país afora totalmente desanimados e desacreditados com essa política construída com falsas promesas…E vc Gustavo? Quando será candidato?

    • - IP 200.142.0.12 - Responder

      Mas que pensamentozinho tosco.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 5 =