PREFEITURA SANEAMENTO

GUSTAVO CARRARA – A OAB não pode ser usada para troca de favores

OPOSIÇÃO VIGILANTE
por GUSTAVO CARRARA

Na última semana fomos surpreendidos com a notícia de que o MPF investigará uma possível fraude em licitação envolvendo escritórios de advocacia de membros da diretoria da OAB/MT. A primeira atitude dos denunciados foi a de atribuir a denúncia à oposição da OAB, e que são acusações decorrentes apenas da disputa eleitoral que se aproxima.

Ora, atribuir a denúncia à oposição, por se tratar de ano eleitoral, era mais que esperado da turma que há mais de doze anos está no poder da diretoria na OAB. A oposição existe, faço parte, mas não fazemos oposição às pessoas, mas sim ao que elas representam na vida pública de nossa casa e, por conseqüência, aos seus atos.

A oposição é necessária em qualquer regime democrático do mundo. Assim, não poderia ser diferente no âmbito da OAB. Não fazemos parte de uma oposição genérica, com rancor, ranço, mas a oposição inteligente e vigilante, que sempre deixa no adversário a certeza de que está sendo vigiado e que qualquer deslize é prontamente denunciado.

Ter oposição faz bem à sociedade e, principalmente, para uma entidade de classe como a OAB, que é marcada por história de luta em favor da democracia. E eleição, debate fazem parte de qualquer democracia.

Pensando assim, logo após a eleição da OAB em 2009, escrevi um artigo parabenizando o novel presidente pela vitória e deixei uma mensagem que dizia: Gostaria aqui de deixar uma carta ao Presidente eleito, para que conduza com mãos fortes a nossa Casa, pois mesmo sendo da oposição pertencemos à Ordem dos Advogados do Brasil, com muito orgulho. Desejo que o Presidente e seu vice façam a ética reinar na OAB, dar exemplo a toda sociedade, principalmente, aos estudantes de Direito, ensinando-lhes a verdadeira função do advogado e da necessidade de sua conduta ser pautada pela moral e pela ética.

Agora, chegando ao final do mandato da atual diretoria surgem denúncias. Todavia, são denúncias que devem ser apuradas sim e com rigor, para mostrar para toda a sociedade, não só de advogados, que investigamos e, se for o caso, punimos nossos pares. Não pode a OAB seguir o exemplo da atual política brasileira, onde basta dizer que não sabia do fato ou jogar a culpa em outro, tem de haver apuração.

Tem-se que recuperar o prestígio da advocacia, não se pode aceitar que nossa classe seja achincalhada com denúncias, da OAB tem de vir o exemplo. Hoje o advogado está desmotivado e desprestigiado, tudo isso porque a OAB não empunha mais a bandeira da ética e não fiscaliza os cursos de Direito. Em decorrência desta inércia da OAB, o mercado acaba tendo de absorver pessoas que fazem da advocacia um bico, quando não criminosos fantasiados de advogados, basta ver as diversas operações policiais.

A OAB não pode ser usada para proteger advogados, não pode ser usada para troca de favores, não pode ser usada como trampolim político. A OAB tem que mostrar e pregar a ética na advocacia, para que o advogado volte a se sentir prestigiado e respeitado pela sociedade. A oposição deve ser sempre vigilante, independentemente, de ser ano eleitoral ou não. Acorda OAB e levante a bandeira da ética!

Gustavo Carrara é advogado em Cuiabá-MT.

Categorias:Cidadania

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.27.188.177 - Responder

    Parabens Gustavo pelo artigo. Advogado engajado tem lado. Nao fica esperando para se posicionar! E a unica questao que nao cabe discussao e a necessidade de se passsar a oab de mato grosso a limpo, e exigir do mpf a rapida conclusao do inquerito administrativo sobre a eventual participacao de dirigentes da oab em falcatruas e ilicitudes relativas a licitacoes! Muito grave! Mas temos que esperar a conclusao do inquerito! Enquanto isso so espero que os dignos dirigentes da oab tenham senso de se licenviarem dos cargos, pois do contrario tenho o direito de pensar que eles nao respeitam nossa instituicao. Parabens!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 4 =