GRANDE, COMO ERA GRANDE: Morre, no Rio, o sambista Delcio Carvalho, autor dos clássicos “Sonho Meu” e “Acreditar”, em parceria com Dona Ivone Lara

 Os versos (e, eventualmente, as melodias) de Delcio pendiam para um travo triste, um reconhecimento de que a vida não é fácil, mas que é preciso suportá-la cantando. Ele ficará na história da Música Popular Brasileira como o parceiro preferido da grande dama do samba, D. Ivone Lara


Os versos (e, eventualmente, as melodias) de Delcio pendiam para um travo triste, um reconhecimento de que a vida não é fácil, mas que é preciso suportá-la cantando.
Ele ficará na história da Música Popular Brasileira como o parceiro preferido da grande dama do samba, D. Ivone Lara

 

Morre sambista Delcio Carvalho, 74, compositor de “Acreditar” e “Sonho Meu”

 

Compositor de sambas de sucesso como “Acreditar” e “Sonho, Meu”, Delcio Carvalho morreu, aos 74 anos, na manhã desta terça-feira, por volta das 7h, em decorrência de um câncer no aparelho digestivo.

Desde o dia 18 de outubro, o músico estava internado no CTI do Hospital São Lucas, em Copacabana, no Rio.

Divulgação/delciocarvalho.com.br
O cantor e compositor Délcio Carvalho, morto aos 74 anos
O cantor e compositor Delcio Carvalho, morto aos 74 anos

Carvalho era parceiro frequente de D. Ivone Lara, uma das sambistas mais famosas do país. Com ela, compôs Acreditar” [Acreditar, eu não/Recomeçar, jamais/A vida foi em frente/E você simplesmente não viu que ficou pra trás] e “Sonho, Meu” [Sonho meu, sonho meu/Vai buscar quem mora longe/Sonho meu/Vai mostrar esta saudade], dois de seus maiores sucessos.

Outros nomes de peso do samba também cantaram e compuseram com Carvalho. Entre eles, estão Zé Ketti, Nei Lopes e Noca da Portela.

Carvalho teve suas composições gravadas ainda por importantes nomes como Elizeth Cardoso, que registrou “Serenou” e “Minha verdade”. Na década de 1970, Carvalho ingressou na Ala de Compositores da Imperatriz Leopoldinense.

De acordo com o site do compositor, seu último CD foi “Dois compromissos”, de 2013.

——————

 

Análise

Delcio Carvalho foi letrista inspirado e emocionou com sua voz de veludo

 

LUIZ FERNANDO VIANNA
ESPECIAL PARA A FOLHA

Discreto, sereno, Delcio Carvalho será sempre lembrado como o principal parceiro de Dona Ivone Lara. Não é pouco estar à sombra dela, mas não é o suficiente. Excelente compositor e cantor, foi um grande da música brasileira.

O disco em que a riqueza de Delcio está resumida tem significativo título drummondiano: “A Lua e o Conhaque”. Foi lançado em 2000 pelo selo CPC-Umes e hoje não deve ser fácil de achar.

Ali estão seus dois maiores sucessos feitos com Dona Ivone: “Sonho Meu” (em duo com Zeca Pagodinho) e “Acreditar”. Mas também há maravilhas criadas com outros parceiros e que são atemporalmente comoventes, casos de “Quando Essa Paixão me Dominar” e “Velha Embarcação”.

 

Como indicam os títulos “Samba do Coração” e “Melancolia”, presentes no CD, os versos (e, eventualmente, as melodias) de Delcio pendiam para um travo triste, um reconhecimento de que a vida não é fácil, mas que é preciso suportá-la cantando.

“Olha como a flor se acende/ Quando o dia amanhece/ Minha mágoa se esconde/ A esperança aparece”, disse ele nos primeiros versos de “Alvorecer”, sucesso de Clara Nunes e uma das mais tocantes composições que assinou com Dona Ivone. Resume seu jeito de pensar e criar.

O letrista inspirado que, espera-se, continuará sendo lembrado torna-se um artista de porte ainda maior quando se ouve sua voz de veludo. Ela emociona nas faixas de “A Lua e o Conhaque” e, também, nas de outros discos que pôde gravar, como “Afinal” (1996) e “Profissão Compositor” (2006).

Neste ano, realizou com o violonista Marcelo Guima o CD “Dois Compassos”, contendo sucessos e sambas inéditos seus.

Nos últimos anos, foi devidamente homenageado por expoentes da nova geração, como Casuarina, Roberta Sá e Fabiana Cozza, que gravaram composições suas e o convidaram para participações.

Nascido em Campos, no Norte Fluminense, não seguiu em sua música a tradição dos cantos e sons rurais da região, firmando-se no samba mais lento e romântico.

Delcio morreu na manhã desta terça-feira, aos 74 anos, em consequência de um câncer.

 

LUIZ FERNANDO VIANNA é coordenador de internet do Instituto Moreira Salles
—————

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.217.114.86 - Responder

    É mais um grande sambista que se vai. Que ele faça uma boa jornada! Salve Delcio Carvalho!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois + doze =