TCE - DEZEMBRO

GRANDE, COMO ERA GRANDE: Morre, em decorrência de um câncer, o advogado Amauri Mascaro Nascimento, considerado um dos maiores nomes do Direito do Trabalho no Brasil. “Profundo conhecedor do Direito nacional e de outros países, Amauri deixa órfãs diversas gerações de estudiosos do Direito do Trabalho” – destaca o professor Gaudério Ribeiro de Paula

Amauri Mascaro Nascimento, mestre emérito de Direito do Trabalho, foi juiz e autor de reputadas obras na esfera do direito laboral.

Amauri Mascaro Nascimento, mestre emérito de Direito do Trabalho, foi juiz e autor de reputadas obras na esfera do direito laboral.

ÍCONE TRABALHISTA
Morre, aos 82 anos, o advogado e doutrinador Amauri Mascaro Nascimento

Por Bruno Lee, do Consultor Jurídico

Morreu, nesta terça-feira (24/6), aos 82 anos, em decorrência de um câncer, o advogado Amauri Mascaro Nascimento, considerado um dos maiores nomes do Direito do Trabalho do país. O corpo será velado a partir das 18h no Salão Nobre da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em 1957, Mascaro Nascimento obteve o título de doutor em Direito 15 anos depois, pela Universidade de São Paulo, onde viria a ser professor.

Fundador do escritório Mascaro Nascimento, também foi juiz do Trabalho, promotor de Justiça e chefe da Consultoria Jurídica do Ministério do Trabalho. Publicou pelo menos 30 livros, entre eles, Teoria Geral do Direito do Trabalho e Curso de Direito do Trabalho. Ele deixa a mulher, Nilza Costa Nascimento, e dois filhos, Marcelo e Sônia.

Aluno de Mascaro na USP, em 1979, o ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho, lamentou a morte do antigo professor. “Era o melhor mestre de Direito do Trabalho e seu livro de iniciação, muito didático, inspirou-me a escrever meu Manual Esquemático sobre o ramo laboral”.

“Todas as temáticas atuais do Direito e do Processo do Trabalho encontravam nele um estudioso ponderado e indagador, que sugeria respostas aos problemas, preocupado na harmonização das relações laborais”, acrescentou o ministro.

Em nota, Maria Cristina Perduzzi, também ministra do TST e conselheira do CNJ, ressaltou o legado e a contribuição do jurista para o engrandecimento do Direito do Trabalho. Para o presidente da corte, ministro Barros Levenhagen, “é um dia de pesar para toda a comunidade jurídica”.

A desembargadora Jane Granzoto Torres da Silva, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª, afirmou que a morte do juristta causa um vazio sem precedentes. “Suas palavras, sua sabedoria, seu carinho, seu amor ao Direito do Trabalho, jamais serão esquecidos. A ausência do professor Amauri Mascaro Nascimento no mundo jurídico, quer na seara acadêmica, quer na magistratura trabalhista, ou ainda na advocacia, causa um vazio sem precedentes, sobretudo para nós, seus eternos alunos.”

Para o advogado Paulo Sergio João, Mascaro era uma pessoa especial. “O professor Amauri deixa um legado de valorização para o Direito do Trabalho tanto pelas suas obras como pela geração de advogados trabalhistas apaixonados que formou ao longo de sua carreira. Era uma pesso especial, marcado pela clareza de ideias, sempre com humildade de um sábio. Suas obras representam uma parte do grande jurista e que sempre será lembrado”.

O presidente da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos da Costa, lamentou a morte. “A advocacia está enlutada. A contribuição do professor Amauri Mascaro Nascimento para o Direito Trabalhista brasileiro é das mais significativas, tanto no aspecto técnico —pela sua vasta produção intelectual— quanto na esfera prática por ter atuado na linha de frente dessa Justiça especializada. Também é fundamental ressaltar que emprestou seu prestígio e brilho à defesa das prerrogativas profissionais da classe”.

O professor de Direito do Trabalho Gaudério Ribeiro de Paula lembra que Amauri era conhecido como “professor de todos” por ministros do TST, autores e outros docentes. “Profundo conhecedor do Direito nacional e de outros países, Amauri deixa órfãs diversas gerações de estudiosos do Direito do Trabalho”, acrescentou.

A Academia Paulista de Direito do Trabalho afirmou que, com a morte de Mascaro, o Direito do Trabalho perde “um dos paradigmas, cujas lições, entretanto, permanecerão em benefício de muitas gerações”.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Lamento profundamente a morte do ínsigne Prof. Dr. Amauri Mascaro Nascimento.Tinha por ele profunda admiração e respeito. Guardarei com carinho a honrosa apresentação do meu livro. Que Deus o tenha no paraíso celeste.

    Teresinha Lorena Pohlmann Saad

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

sete + 14 =