gonçalves cordeiro

Omissão do MP e OAB na crise do MT Saúde espanta Luciana

Para Luciana Serafim, A inércia do MP e da OAB diante do caos do MT Saúde só vem agravar o problema de milhares e milhares de servidores, demonstrando falta de independência destas instituições diante do atual Governo do Estado.

O desespero e a humilhação a que estão sendo submetidos os servidores do Estado de Mato Grosso que dependem do MT Saúde para terem garantido assistência médica e hospitalar é um dos escândalo mais sórdidos destes dias sombrios e calorentos em Cuiabá. São mais de 50 mil pessoas, entre servidores e familiares, que estão sendo humilhadas, espezinhadas, pelo administração do governador Silval Barbosa (PMDB).

Hospitais e clínicas acabam de suspender mais uma vez, completamente, esta semana, o atendimento aos usuários do MT Saúde denunciando que o Governo do Estado, comandado por Silval Barbosa e César Zílio, vem mentindo, mentindo, mentindo e simplesmente não paga as dívidas do MT Saúde para com seus prestadores de serviço que só fazem se acumular.

Encontrei-me nesta quarta-feira com a advogada Luciana Serafim e ela, sempre atenta ao noticiário, me fez o alerta: neste caso do MT Saúde estamos diante de um caso de flagrante apropriação indébita pois o Governo do Estado recolhe o dinheiro dos servidores mas não paga as contas do MT Saúde e não garante o atendimento às pessoas.

Essa é uma situação que se torna ainda mais absurda, no entendimento de Luciana Serafim, porque o problema está aí, escancarado, e tanto o Ministério Público, quanto a OAB, que deveriam atuar em defesa dos servidores, se omitem completamente. De um lado, as mentiras do governo Silval. Do outro lado, a omissão do MP e da OAB. Um quadro nada edificante.

O fato é que está na mídia a declaração do secretário César Zilio de que os descontos tem sido feito na folha dos servidores e que o pagamento da rede hospitalar e dos laboratórios não tem sido cumprido.  De acordo com Luciana Serafim, tanto o Ministério Público quanto a OAB, tem o dever institucional de agir diante de uma situação como essa que pode, inclusive, caracterizar improbidade administrativa. Se a administração Silval Barbosa faz pouco caso dos servidores, impondo-lhe toda sorte de humilhações, a ação do MP e da OAB tem que ser implacável, defende a advogada.

A inércia do MP e da OAB diante da má gestão do MT Saúde, que produz sofrimento para tanta gente, só vem agravar o problema de milhares e milhares de servidores, demonstrando falta de independência destas instituição diante do atual Governo do Estado. O que torna toda esta situação mais revoltante.

Luciana Serafim disse que MP e OAB devem ser conclamadas a agir, em cumprimento ao seu dever de defender a sociedade em situações de crise como essa. Ela disse que os sindicatos que compõem o Fórum Sindical e representam os servidores não podem vacilar em cobrar uma imediata solução para esta situação, em beneficio das milhares de familias prejudicadas.

6 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    infelismente os acontecimento em nosso pais estaja voltado para o lado da ganancia pois é sabido portodos que esse que se diz um representante do pt esse suposto jornalista enck cavalte tem as sua ilusões de ssere um ptista ele pode até se dizer mais as suas atitude ditatoriais reflete no mal estar do pt pois o mesmo se diz conservador somente jpara o seu lado que o conhece sabe que ele mesmo so gosta de mordomia e mamata , que naverade é um tirador de onda com as suas supostas atitudes oportunistas.

  2. - Responder

    Como é que é? O Ministério Público deveria atuar em defesa dos servidores ? Sério ? Essa bobagem, partindo de um cidadão comum, é compreensível. Mas, partindo de uma advogada somente pode indicar despreparo para a profissão. Ao Ministério Público não só não cabe a defesa de servidores, como tal lhe é vedado. Tenha santa paciência, Luciana. Leia a CF/88 e tente interpretá-la.

    • - Responder

      meu amigooo se vc não sabe as questões atinentes à saúde, educção e segurança são atribuídas ao Ministério Público sim… independente de ser servidor ou não… aliás… servidor tb é sociedade…

  3. - Responder

    Inconformado deixa de se fazer de desentendido. Há um crime praticado pelo Estado de apropriação indébita, e nesse caso há interesse publico sim. Saúde, defesa de direito coletivo, improbidade administrativa, tudo de ideável de atuacao do MP, da OAB, e de quem mais tenha dever de defesa da sociedade. Entendeu agora?

  4. - Responder

    Isso é a realidade da OAB, segue o lema “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.
    Sempre eles vem com a balela de que VAMOS APURAR, INVESTIGAR enfim só papo furado e blá blá blá.
    Por isso que existe a segregação no “exame de ordem da OAB”, onde os intelectuais e mais velhos são excluídos para não competirem com esse feudo. A própria Lucia Serafim, pessoa honesta de bom caráter, provou com documentos enviados ao MNBD (movimento nacional dos bacharéis em direito) que o exame de ordem é uma fraude, eu tenho os documentos que comprovam a fraude e caso queiram entrem no site do MNBD http://www.mnbd.org/index.php

  5. - Responder

    esse suposto jornalista que por sua vez se chama enock queres enganar quem com essas materias iluzorias falando de todo mundo, enclusive do ministério público de mt, tú achas mesmo que essaatitudete levaras algum lugar ? tú precisas mesmo é responder pelos crimes de difamação contra o povo de mt ,vamos deixar desse oportunismo barato.cuidas de seu carater que não é dos melhores essa falta de insansatez deixas todos igualmente tu com insensibilidade das coisas.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

14 − três =