TCE - NOVEMBRO 2

Governo aciona rolo compressor. Oposição recorre ao TJ para tentar conseguir adiar votação da PEC do Teto de Gastos. VEJA EM VIDEO

A mobilização dos servidores, nesta terça feira, na Assembleia, foi pequena, ridícula mesmo diante da ameaça que paira sobre o horizonte de suas vidas, em Mato Grosso. Talvez por isso a base do governador Zé Pedro Taques (PSDB) se entusiasmou para votar a PEC do Teto dos Gastos a partir de hoje, mas os deputados de oposição presentes no plenário conseguiram fazer um rolo, na tentativa de ganhar mais prazo.

A votação chegou a ser iniciada mas acabou adiada depois que o deputado Mauro Savi (PSB), da base governista, pediu vista.

Mas essa seria só uma manobra para impedir a vista pela oposição. O deputado Allan Kardec (PT), todavia, pediu vista conjunta, para evitar que Savi manobrasse e devolvesse o projeto ainda hoje. Diante do movimento do petista, o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (PSB), em tom autoritário, antes de encerrar a sessão e convocar outra pra amamhã cedo, deu prazo de 24 horas para que o projeto seja devolvido em plenário.

Allan Kardec anunciou aos servidores que vai entrar com um mandado de segurança ainda hoje, no plantão do Tribunal de Justiça, para garantir que ele possa ficar 5 dias com o projeto, prazo máximo previsto pelo regimento. Botelho contraargumenta que o prazo previsto pelo regimento é de até 5 dias, ou seja, ele diz que pode ser um prazo menor, por isso fixou retorno do projeto até amanhã, no inicio da noite.

Depois da plenária, oposicionistas se reuniram no gabinete da deputada Janaina Riva, anunciando intenção de impetrar HC no plantão do TJ ainda na noite desta terça-feira. A briga parlamentar se desdobra nesta quarta-feira.

Na porta da Assembleia, lideranças do Fórum Sindical se esgoelaram lançando o desafio de juntar mais gente pra invadir realmente a Assembleia e pressionar os parlamentares.

Mas o rolo compressor do Governo parece estar bem azeitado, com os deputados governistas cumprindo seu papel sem se preocuparem em argumentar seja o que for, na tribuna, quanto às razões dessa sua atitude. Uma votação fria, mais fria ainda com as galerias esvaziadas de gente como se viu nesta terça-feira.

Será que os servidores ameaçados pelo arrocho terão agilidade para ainda apresentar uma resistência à altura?

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

nove + dois =