GIBRAN LACHOWSKI: Bolsonaro nem é mais um presidente. Virou um espantalho de si mesmo

Manifestantes nas ruas contra Bolsonaro

É luta! É rua!

Por Gibran Luis Lachowski

 

Uma pedrada certeira foi dada na fronte do governo Bolsonaro, que sentiu o baque, e tende a cair.

 

Mais de um milhão de pessoas nas ruas para defender a Educação e se posicionar contra sua proposta de Reforma da Previdência foi uma incontestável demonstração de força.

 

Uma pedrada certeira porque ele, o presidente, que tanto falou em educação, pouco ou nada fez até agora por quem estuda, e, pior, tem atacado sistematicamente quem ensina.

 

Resultado: ficou desorientado com as palavras de luta, a organização popular, a ironia, a intensidade, a informação, a inteligência, a ousadia.

 

Bolsonaro nem é mais um presidente. Virou um espantalho de si mesmo, tremendo de medo, acuado, e por isto saiu atirando para todos os lados, acertando os próprios pés, as próprias mãos, a própria mente, o próprio coração.

 

A invenção está no fim, e é preciso serenidade, leitura crítica da realidade, acúmulo de forças e um passo depois do outro. É assim que se vence. É assim que se consolida uma situação.

 

Não esperemos ter na mídia comercial uma aliada, pois a leitura dela, que integra um conjunto de oligopólios, é que o rei não reina, e então merece ser deposto. Mas empresariado dessa estirpe é a favor da proposta de Reforma da Previdência, querendo até mais arrocho.

 

Trôpego, o ainda presidente só tem uma coisa a fazer: o que tem feito desde que despontou como extrema direita espetaculosa, ou seja, acionar sua milícia digital. E essa também está desesperada, acuada, com medo de perder a influência, de ver as reivindicações progressistas das ruas porem abaixo seu bibelô de cristal.

 

Agora, mantenhamos o foco para podermos avançar. É Defesa da Educação e se colocar Contra a Reforma da Previdência. E mais: crítica estrutural e sistemática contra o modelo de sociedade defendido pelo governo atual. Nada de aceitar o joguete individual, pessoal, que tentar levar a discussão para o campo da molecagem, dos palavrões, da discussão rasa, da troca de rótulos e nada mais. Nosso campo é o da argumentação, da organização popular, da análise de conjuntura, da crítica consistente, da mobilização consequente. É lógico que com muita criatividade e diversidade.

 

Mais do que Mourão e Rodrigo Maia, o Brasil e o povo brasileiro precisam de Esperança, Ânimo, Empatia, Políticas Públicas Responsáveis, Respeito ao Interesse Público. Mas para isso é necessário conhecer a institucionalidade, os caminhos da burocracia legal, a hierarquia dos poderes constitucionais. São elementos importantes para dar o rumo da caminhada e não ficar refém de decisões que veem de cima para baixo.

 

Portanto, é luta! É rua!

 

Gibran Luis Lachowski, jornalista e professor universitário em Mato Grosso

 

 

 

 

 

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × 5 =