PREFEITURA SANEAMENTO

GABRIEL NOVIS NEVES garante que “choveu dinheiro” para compra de voto na eleição de Cuiabá. Terá provas – ou, simplesmente, é mais um alucinado, depois de ouvir tantos discursos de Joaquim Barbosa e Celso Mello?

Lúdio, Gabriel Novis e Mauro Mendes: alucinações, na campanha de Cuiabá

Sim, o retrato traçado pelo médico e reitor fundador da UMT Gabriel Novis do dia da eleição em Cuiabá, para mim, tem qualquer coisa de alucinação. Talvez querendo bancar outro Gabriel, o Garcia Marquez, Novis Neves se entregou aparentemente ao delírio e, sem se preocupar com a lógica nem com as provas, espalha pela internet seu artigo em que fala de dinheiro caindo do céu, como maná, na lenda bíblica de Moises. Ele, que aplaudiu em diversos artigos o show-julgamento do Mensalão, escreve, em determinado trecho, que “Sacolas e mais sacolas de dinheiro aqui chegaram, para liquidar com as eleições logo no primeiro turno”.Parece que incorporou mesmo o tom de Joaquim Barbosa, Celso de Mello e Ayres Brito para disparar contra a candidatura esquerdista. Sim, qual foi a candidatura que se beneficiou desta chuva de grana?Como Gabriel Novis Neves faz sutil referência à “turma do alinhamento” esse é mais um petardo direcionado à campanha do PT.  Pelo “domínio do fato”, se alguns petistas fizeram lá em Brasília, por que outros petistas não fariam também em Cuiabá? A lógica torta pregada por Joaquim Barbosa et caterva e consagrada pela revistinha dos Civitas segue contaminando corações e mentes. Fico pensando se o artigo foi escrito pelo Gabriel ou pelo Antero Paes de Barros. E pensar que ainda temos pela frente mais 15 dias até a votação! O desembarque das tropas aliadas (e alinhadas!) na Normandia, naquele 6 de junho de 1944, no Dia D, vai parecer pintinho diante do que deve vir por aí, nesta sectarizada campanha eleitoral em Cuiabá. Vejam que o artigo abaixo não foi produzido por um beócio qualquer mas, sim, por um médico altamente intelectualizado mas aparentemente tornado cego pela ideologia direitista hoje hegemônica em nossa sociedade. Quanto é que escreveremos e votaremos guiados pela razão? Leia o artigo de GNN. (EC)

Choveu dinheiro em Cuiabá
por GABRIEL NOVIS NEVES

Na ausência das esperadas chuvas da primavera, presenciamos, no último final de semana, um verdadeiro toró de dinheiro nas pistas de pouso para aviões de pequeno porte na Grande Cuiabá.

Foi tanto dinheiro que veio da cidade dos sonhos de Dom Bosco, que até o nosso guardião São Benedito desconfiou.

Com os nossos cofres públicos vazios e com as enormes despesas que uma festa cívica como as eleições municipais exigem, especialmente no sistema do alinhamento, o jeito foi apelar aos amigos do Planalto Central.

A tempestade de dinheiro que vinha do céu foi tão intensa, que logo um protocolo de preços foi estabelecido para melhor distribuir os ‘recursos não contabilizados. ’
Candidatos a vereador totalmente desconhecidos, e sem serviços prestados à cidade, foram os mais votados.

Isso significa a sua boa colocação na ‘aparação’ dos sacolões de dinheiro.

Como custa caro a tal da democracia! É assim mesmo esse jogo – que é compreensível para alguns.

Interessante é que ninguém demonstra o mínimo interesse em saber a origem desses valiosos papéis paridos na Casa da Moeda no Rio de Janeiro.

Os depoimentos ouvidos sobre compra de votos no dia das eleições faz parte da nossa tradição republicana, dizem os mais antigos.

Não há sigilo nesses depoimentos pormenorizados de como esses crimes são realizados. Afinal, a imunidade existe para ser utilizada nesses momentos.

Sacolas e mais sacolas de dinheiro aqui chegaram, para liquidar com as eleições logo no primeiro turno.

Para a felicidade desta quase tricentenária cidade, o golpe não deu certo, apesar da abundância das sacolas.

Não tenho a mínima ideia em quanto ficará a fatura das eleições neste segundo turno, mesmo sem as desacreditadas pesquisas eleitorais.

Provavelmente, já está sendo negociado no mercado político o apoio para o segundo turno.

A desculpa será dinheiro em espécie para ‘cobrir’ dívidas de campanha.

Depois, acertos para compor a base de sustentação do governo. O modelo está pronto com a turma do alinhamento.

Gordura existe, e muito, para iniciar o projeto de compra de votos. Basta uma reflexão que o leitor-eleitor se lembrará de uma série de denúncias que estão correndo na Justiça e na Polícia.

Esse dinheiro, que agora será gasto na compra de apoio político, independe da chuva de papel-moeda programada para a reta final.

Pobre cidade rica, tão cheia de pecados cometidos por neo cuiabanos, com aplausos dos comodistas.

Gabriel Novis Neves, reitor-fundador da UFMT, é médico em Cuiabá

9 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.34.16.2 - Responder

    Que houve compra de votos para vereador, não há dúvida. Dinheiro vindo de todos os lados, dos alinhados e dos desalinhados. Mas, para prefeito, parece artilharia fraca, tão fraca que poderia ser trocado no texto o termo alinhado por desalinhado.

  2. - IP 177.65.145.148 - Responder

    Aos criticos de SUA EXCELENCIA JOAQUIM BARBOSA E CELSO DE MELLO E VOCES VERÃO QUÃO GRANDE A DIFERENÇA ENTRE OS CRITICOS E ELES

  3. - IP 201.34.24.174 - Responder

    Parece que a amargura tomou conta do nobre ex reitor indicado (não eleito, portanto antidemocrático) Gabriel. O dinheiro para a compra de votos talvez tenha vindo da privatização da sanecap, ou não? A quem beneficiou? Como explicar a eleição de 4 vereadores do PTB? Com qual discurso o PSDB elegeu 3 vereadores? Qual o serviço prestado por esses cidadãos à cidade de Cuiabá? Quem eles apoiaram para prefeito? O preconceito aflora no artigo do ex reitor indicado. Até quando a direita brasilera fará política banhada de feo. O povo brasileiro é sábio e deu a resposta aos neogolpistas no último domingo. No Mato Grosso ainda falta desmascarar o neoudenista Pedro Taques. Farei de tudo para que isso aconteça no próximo dia 28.

    • - IP 201.15.87.124 - Responder

      Concordo com os apontamentos. Mas que o povo seja sábio, tenho minhas dúvidas. Prefiro não tapar os meus olhos.

    • - IP 177.161.54.168 - Responder

      É verdade. O número de vereadores do PTB foi demais e inversamente proporcional à qualidade dos mesmos. Tucanos idem. Dr. Gabriel, com o tempo de aposentado, anda falando demais. Logo, vem dando bom dia pra cavalo…

  4. - IP 201.86.130.178 - Responder

    Teve compra sim, e advinha Dr. Gabriel, veio de qual factoring daqui da Capital…

  5. - IP 201.67.99.123 - Responder

    Que houve compra de votos nào há dúvidas,tanto que o irmão de um eleito foi apreendido distribuido “guaraná” pra galera em troca de votos. Agora querer desmerecer o julgamento do STF com isso parece coisa de gente que tá caminhando para a senilidade.

  6. - IP 189.10.112.11 - Responder

    Houve muita compra de voto e o Dr. Gabriel sabe quem são os principais operadores porque não saiem da casa dele.Seu filho,Ricardo Novis,Agiota e seu Genro Mauro carvalho são finceiros da Campanha de Mauro Mendes,devem saber com certeza de toda a Operação!!!

    • - IP 189.59.43.6 - Responder

      Responde aí oh sabichão: Quem são os operadores da campanha do Lúdio Cabral? Eder mão invisível e quem mais?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × 2 =