Fórum Sindical repudia postura protelatória no MT Saúde

Ação fiscalizadora dos sindicalistas ligado ao Fórum Sindical colocou em evidência a crise de gestão em que mergulhou o MT Saúde na administração do governador Silval Barbosa

Sindicalistas que compõem o Fórum Sindical de Mato Grosso e que tem sustentado uma luta hercúlea para garantir a sobrevivência do MT Saúde, divulgaram na véspera do feriado da Proclamação da República, o seguinte comunicado:

O Fórum Sindical de Mato Grosso informa aos servidores do Estado de Mato Grosso e demais cidadãos que o projeto de reestruturação do MT Saúde continua a ter a sua aprovação tristemente protelada, tanto pelo Governo do Estado quanto pelos deputados estaduais.

Aproxima-se o período de recesso parlamentar e, para espanto do Fórum Sindical, os usuários do MT Saúde continuam com atendimento precário.  

Por esta razão, o Fórum Sindical avalia que os servidores prejudicados e todos os cidadãos conscientes das responsabilidades que tem as autoridades públicas, precisam participar cada vez mais desta luta. Não é mais possível imaginar que a rica estrutura administrativa e financeira do Estado seja colocada apenas a serviço de um pequeno grupo de privilegiados, como aconteceu no caso dos “excessos de arrecadação”, direcionados a pequenos e seletos setores da máquina pública, enquanto que perto de 100 mil servidores são relegados em quase todas as suas demandas.

Desde 2011, por diversas formas e sempre com a maior boa vontade, nós, sindicalistas que compomos o Fórum Sindical temos dialogado com os governantes e os parlamentares na busca de uma solução para essa estressante crise do MT Saúde. Até então, foram apresentadas quatro alternativas, sendo três delas propostas pelo Fórum Sindical e uma pelo governo do Estado.  As propostas por nós apresentadas foram: a reestruturação do MT Saúde apresentada diretamente ao governador, em audiência pública realizada em outubro de 2011, conforme o decreto em anexo; a aplicação do modelo de assistência aos servidores públicos utilizado no Mato Grosso do Sul, CASSEMS; e o por fim o modelo utilizado no estado do Rio Grande do Sul, FAS-RS – Fundo de Assistência à Saúde (LEC 12.006 de 24 março de 2004). Já o governo sugeriu a criação do Programa de Assistência a Saúde do Servidor Público.

Os servidores e seus familiares sempre foram convidados a participar conosco na tomada de decisões e apresentação das referidas propostas. No entanto, precisamos nesse momento da participação massiva dos interessados em fazer com que esse assunto seja finalmente solucionado, pressionando os parlamentares e o governo para que tomem uma providência definitiva em relação à falta de assistência a saúde dos servidores públicos do Estado de Mato Grosso, uma vez que nem mesmo as decisões judiciais para atendimento aos usuários do MT Saúde vêm sendo cumpridas.

Hoje, foi comunicado ao Deputado Dilmar Dalbosco e à secretária adjunta da SAD, Ozenira Félix Soares de Souza, que caso não seja tomada nenhuma providência, os usuários que necessitam atendimento serão encaminhados diretamente à Assembléia Legislativa e ao Palácio Paiaguás.

Cuiabá, 14 de novembro de 2012.
FORUM SINDICAL DE MATO GROSSO

CONTATOS PARA MAIORES INFORMAÇÕES:

SINTERP-MT – Gilmar 9998 9247

SIAGESPOC-MT – Cledison 9971 6058

SINPAIG-MT –  Edmundo 9649 6942

SINDSPEN-MT João Batista 8462 9064

SINPP-MT Idejair 9934 5411

SINETRAN-MT Veneranda 8116 5535

SINDPSS-MT Osvaldo 9225 1210

SINTEMA-MT Gilcélio 9933 1937

ASSOADE-MT Esteves 8402 4480

SINTAP-MT Diane 9620 7557

 

Pacientes renais são dos que mais sofrem com a instabilidade no atendimento que é prestado pelo MT Saúde, nas diversas regiões de Mato Grosso

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × 3 =