FILÓSOFO VLADIMIR SAFATLE: Quem já estudou a ascensão do regime nazista sabe como esse era o tema central de sua retórica política: “os homens comuns e cidadãos de bem estão cansados da insegurança. Está na hora de atitudes enérgicas”.As pessoas que amarraram o jovem negro no Rio de Janeiro não apareceram do nada. Seus pais já apoiavam, com lágrimas de felicidade nos olhos, os assassinatos perpetrados pelo esquadrão da morte. Seus avós louvaram as virtudes do golpe militar de 1964, que colocaria de vez a ordem no lugar da baderna.

 Filósofo Safatle se surpreende com apoio, nas redes sociais, à velha pregação de "justiça feita com as próprias mãos"


Filósofo Safatle se surpreende com apoio, nas redes sociais, à velha pregação de “justiça feita com as próprias mãos”

A barbárie de sempre

POR VLADIMIR SAFATLE

A esta altura, todos conhecem a história do rapaz negro amarrado nu em um poste e espancado por populares no Rio de Janeiro por pretensamente ser um assaltante e ter supostamente roubado uma bicicleta. Todos devem conhecer também o teor dos comentários de certos apresentadores do noticiário televisivo que resolveram surfar na onda da mais nova modalidade de “indignação popular contra a insegurança e a ausência de mão forte do poder público”.

Mas, ainda mais surpreendente do que os dois acontecimentos, é o teor da reação monitorada na internet, em sua ampla maioria favorável ao velho “justiça feita com as próprias mãos” ou ao “chegou o momento da revolta do homem comum”.

Quem já estudou a ascensão do regime nazista sabe como esse era o tema central de sua retórica política: “os homens comuns e cidadãos de bem estão cansados da insegurança. Está na hora de atitudes enérgicas”.

E então apareciam dois tipos de personagens: os que saiam vociferando sua raiva canina e os que diziam que não concordavam exatamente com tais métodos, mas que deveríamos dar uma reposta sem angelismos ao problema. São aqueles que dizem, atualmente, que a sociedade brasileira sofre com tanta violência e merece parar de ser importunada com essa conversa de direitos humanos de bandido. Ou seja, o velho truque do policial mau e do policial bom.

As pessoas que amarraram o jovem negro no Rio de Janeiro não apareceram do nada. Seus pais já apoiavam, com lágrimas de felicidade nos olhos, os assassinatos perpetrados pelo esquadrão da morte. Seus avós louvaram as virtudes do golpe militar de 1964, que colocaria de vez a ordem no lugar da baderna. Seus bisavós gostavam de ver a polícia da República Velha atirando contra grevistas com aquele horrível sotaque italiano. Seus tataravós costumavam ver cenas de negros amarrados a postes com um certo prazer incontido. Afinal, já se dizia à época, alguém tinha que pôr ordem em um país tão violento.

Sim, tais pessoas sempre estiveram no mesmo lugar. Só mudaram as gerações. Não há como compreendê-las nem nunca haverá acordo possível com elas. Que acordo haveria com alguém que nem sequer é capaz de estranhar seus próprios gestos no momento em que espanca, arranca a roupa e amarra alguém em um poste? Ou com alguém que não teme em justificar ação tão nobre e edificante?

Contra pessoas desse tipo, não se procura um acordo nem se deve esperar que elas mudem. Luta-se contra elas, sem trégua, até que tenham medo de mostrar sua barbárie na rua e a escondam dentro de suas próprias casas.


Vladimir Safatle, filósofo, é articulista do jornal Folha de S. Paulo

9 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.17.54.167 - Responder

    O RAPAZ NÃO ERA PRETENSAMENTE, SUPOSTAMENTE, ELE FOI RECONHECIDO POR VÁRIAS VÍTIMAS ASSALTADAS POR ELE, NÃO SOFREU NENHUM ESPANCAMENTO, NÃO TEVE NADA QUEBRADO, NENHUM HEMATOMA SEQUER E AINDA ENSEJOU COMPAIXÃO DE ALGUMAS MORADORAS DO FLAMENGO, PRA MIM FOI MUITO BOM O QUE ACONTECEU , MELHOR QUE CAIR NA MAO DA POLICIA E NA CADEIA FOI PASSAR ESTA HUMILHAÇÃO , PODE ATÉ SER A REDENÇÃO DELE QUEM SABE, AGORA VCS QUE PÕE A ILUSÃO ACIMA DE DEUS QUEREM DAR UMA DE MADRE TEREZA, EU SOU O AMOR NINGUEM É MAS MEIOR DI BÃO QUI IEU, , EU SOU EU SOU EU SOU O AMOR, E ESTE CARA MERECEU E VCS MERECEM O QUE?

    • - IP 201.93.254.207 - Responder

      segundo noticiado pelos jornais,ocorreu que chegaram três homens acusando rapazes que andavam de bicicleta
      de serem ladrões de bicicleta.
      todos fugiram exceto um,que foi agredido,teve a orelha cortada e foi amarrado nu a um posto pelo pescoço.

  2. - IP 189.114.54.81 - Responder

    O filósofo,filosofa.O mundo real requer uma imediata tomada de posição das autoridades pois, os bandidos e anarquistas,declararam GUERRA a sociedade.Esta é a realidade!

    • - IP 201.93.254.207 - Responder

      a realidade é bem mais do você consegue ver.

  3. - IP 177.221.96.140 - Responder

    O Safatle fala como se a esquerda fosse imune a ter surtos de barbárie se esquecendo que as maiores atrocidades humanas foram praticadas pelos seus companheiros da ideologia comunista, em Cuba, onde os homossexuais são, ainda hoje, discriminados e tratados com despreezo, na União Soviétieca, no Camboja, na China e por aí a fora.

  4. - IP 177.0.103.2 - Responder

    Concordo, o governo do PT tá parecido com a República de Weimar.

  5. - IP 177.65.159.37 - Responder

    a rachel do sbt, com sua pregação em favor da barbárie estaria, então, botando o ovo da serpente

  6. - IP 179.253.184.102 - Responder

    Parece que o filosofo ; de forma bem lacônica , esqueceu convenientemente , que os regimes de esquerda , foram os maiores genocidas do seculo que se findou e desse que estamos .
    Com todo respeito aos filosofos , mas não podemos ficar eternamente à espera de “politicas públicas” que resolvam a insegurança que grassa em nossa sociedade atual. Ora em situações excpcionais , usamos medidas excepcionais , e foi o caso do “jovem negro e nú preso ao poste”.
    O Brasil precisa revogar o ECA , e criar colonias penais com trabalhos forçados , para que a marginália tenha MEDO de ser preso . Tambem defendo que o auto de reação seja usado de forma legal e letal contra o marginal que encaram a polícia .

    • - IP 201.93.254.207 - Responder

      você não sabe o que é ditadura e totalitarismo.
      a impunidade que existe no brasil são dos bandidos endinheirados, que vão encher a cara nas baladas,pegar
      o carro e arrancar o braço de alguém que estava indo trabalhar no domingo.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 + sete =