PREFEITURA SANEAMENTO

FIGURA DA ALTA RODA EM CUIABÁ AGORA É LADRÃO CONFESSO: “Fiz parte de uma organização criminosa que roubou, que dilapidou os cofres públicos de Mato Grosso”. Pedro Nadaf começa a confessar seus crimes mas não consegue sair da prisão. Nadaf disparou acusações contra Silval e seus outros pretensos parceiros na quadrilha mas sem provas e com consistência duvidosa

 

nadaf sorri ao sair de audiencia em 15 de agosto na pagina do enock2

Pedro Nadaf no final da audiência, em registro do jornal A Gazeta. Foto Welington Sabino

 

A confissão de Pedro Nadaf, no seu depoimento desta segunda-feira, diante da juíza Selma Arruda e da promotora Ana Cristina Bardusco foi mais um forte indício de que ele está em processo de delação premiada junto ao Gaeco. O Pedro Nadaf que antes negava, assume agora que cometeu graves crimes enquanto atuava como secretário de Estado, sob comando do governador Silval Barbosa.  Por trás desta tática de depoimento, estaria a tentativa de ter sua prisão relaxada pelas autoridades policiais, dentro do modelito consagrado na Operação Lava Jato.
“Fiz parte de uma organização criminosa que roubou, que dilapidou os cofres públicos de Mato Grosso”. A frase ecoou nesta tarde de segunda, na acanhada sala de audiências da 7ª Vara Criminal de Cuiabá e hoje está reproduzida por grande parte da mídia mato-grossense.

Sim, Pedro Nadaf resolveu dar com a língua nos dentes e apontar não só a sua culpa como também a pretensa culpa dos seus antigos companheiros de cela no Centro de Custória de Cuiabá. Desde que teria celebrado um acordo com o Gaeco, Nadaf foi transferido para as celas da antiga Polinter, no bairro Centro América e, nos bastidores, já há quem sonhe que ele será libertado em breve e autorizado a viajar de tornozeleira para o Rio de Janeiro, onde inclusive viria a se casar novamente. Talvez seja por isso que Nadaf foi visto sorrindo no final da reunião.

Na confissão desta segunda, Nadaf apontou Silval Barbosa como pretenso chefe da organização criminosa, Marcel de Cursi e Chico Lima como os homens que teriam a responsabilidade de maquiar todos os negócios para dar-lhes um ar de legalidade, e Silvio Cézar Corrêa Araújo, ex-chefe de gabinete de Silval, como o executivo que recolhia e fazia a distribuição do dinheiro que as negociações clandestinas teriam passado a produzir.

Nadaf relatou que a cobrança de propina sob comando de Silval teria começado às vésperas da campanha de reeleição de 2010, tudo para levantar dinheiro para a campanha de Silval a governador. Silval teria uma dívida de R$ 2 milhões e estaria recebendo ameaças de quem lhe emprestara dinheiro. Dessa forma, solicitou tal valor ao empresário João Batista Rosa a título de propina para que continuasse sendo beneficiado com incentivos fiscais. “Começou assim e virou uma prática até virar uma organização criminosa”, enfatizou Pedro Nadaf, em sua confissão.

Ao mesmo tempo que confessava, Nadaf começou a procurar se distanciar do resto da pretensa quadrilha, alegando estar recebendo ameaças nos últimos dias, contra ele e contra a sua família. Acusou diretamente Silvio Araújo de ser um dos que o ameaçavam mas disse também ter entregue uma lista com nomes dos ameaçadores às autoridades do Gaeco. Pediu proteção para ele e para a sua família e pediu para ser libertado da prisão, pedido que teve parecer contrário tanto do Ministério Público quanto da juíza Selma Arruda. Tanto a promotora Bardusco quanto a magistrada argumentaram que o pedido deve ser formulado por escrito depois que Nadaf voltar a ser interrogado sobre os fatos arrolados na acusação da Somoda II.

Depois desse depoimento do Nadaf, sinalizando sua delação premiada, o processo como que volta à estaca zero e novos depoimentos dos outros acusados já começam a ser requeridos, para refutar aquelas alegações do ex-secretário da Casa Civil que pareceram, aos demais advogados, alegações meramente discursivas, sem provas e, portanto, de consistência duvidosa.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.90.228.146 - Responder

    O mesmo truque do hamster. Deu certo com o hamster que conseguiu salvar uma grana para aposentadoria “ganhando” na mega sena. Livre, leve e solto, deve ter deixado alguns milhões nas mãos das hienas de toga…esse é o truque…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezoito − dezesseis =