FÁBIO CAPILÉ – Ela veio, sim… na terra da ventrecha do pacu, do siriri e cururu, na nossa vetusta Cuiabá, e, em meio ao terreno nu, fez-se chuva do caju, cobriu o corpo, irrigou a alma…

Fabio Capilé é advogado em Mato Grosso

CHUVA DO CAJÚ
por FÁBIO CAPILE

Ela veio sim… Feito ventania, uma ilusão esguia, um álibi para os sentidos; um feixe no escuro, fruto que caiu maduro, toque de seda nos  meus lábios.  Brancor vistoso passageiro, pelo dia inteiro regou as serras, chapadões; diamante escasso, rumo ao mormaço, me vestiu de sonhos; brinquedo de moleque, pula, deita, se diverte nas valetas de cima abaixo; no chão, os lagos  poças d´água, espelhos do céu, retrata, flagra, pés elevados às  nuvens; diques que a mente navega, esperança crua e  cega, nos chãos de barro rachado; cálice do azul transborda, sede e ânsia que afoga, raios quentes extirpados; matas, folhas contorcidas, toque, afago da vida, borrifadas de alegria; lembrança do frescor sereno que, em meio a acenos,  cortavam a fantasia; desceu as encostas dos morros, como resgate no ideal de socorro, o suor já secou; molhou as igrejas e  escadas, casarões e calçadas, desceu pela prainha; encharcou  cascas grossas dos galhos que, em meio aos frangalhos, fazem brotar o sonho da vida;  e é o que se espera, cores, aromas, primavera, surge o belo em meio às cinzas; bocaiuva até deu cacho, sabiá estufa peito, vira macho cortejante pelas mangueiras; e jorra a lâmina transparente, esferas, pingos convergentes regam raízes, pé de limeira; estalam telhados, invadem quintal, escorregam e transpõem cercas de pau, tonalizam fachadas, eiras e beiras; Festa no chão batido, irrigado, protegido, nas margens do Coxipó; tempo de semeadura, arado, cultivo e fartura, em valas brota ouro em pó; ela veio, sim…  na terra da ventrecha do pacu, do siriri e cururu,  na nossa vetusta Cuiabá, e, em meio ao terreno nu, fez-se chuva do caju,  cobriu o corpo, irrigou a alma … Pingo logo se evapora, sorrateiro vai-se embora, para junto das estrelas… E, com recado pré-medita, logo nos fará visita, inodora, incolor e insípida; festejos, tudo de novo, regando o calor do nosso povo, nessa terra amada e querida.
Viva a Nossa Cuiabá! Viva a chuva do Cajú!

Fabio Capilé é advogado, presidente do Instituto dos Advogados Matogrossenses, Conselheiro Titular da OAB/MT  e Professor universitário
www.capileeoliveira.com.br

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

12 + 14 =