Eu fico achando que está faltando um Paulo Taques ou um José Patrocínio para defenderem o PT, lá em Brasília. É angustiante ver a lerdeza com que os advogados da campanha da Dilma reagem aos ataques do Partido da Imprensa Golpista contra a campanha pró-reeleição da nossa presidenta

Paulo Taques, advogado da campanha vitoriosa de Pedro Taques (PDT), em Mato Grosso

Paulo Taques, advogado da campanha vitoriosa de Pedro Taques (PDT), em Mato Grosso

Por todos os lados, na mídia nacional, reclamações contra os ataques que o Partido da Imprensa Golpista, através de veículos de comunicação como a Rede Globo, a revista Veja, a revista Istoé, tem disparado contra a campanha à reeleição da presidente Dilma.

A própria Dilma chegou a falar em golpe. O ex-ministro Miguel Rossetto, afastado do Ministério do Desenvolvimento Agrário para se dedicar à campanha,falou em tentativa de manipulação do resultado eleitoral. O governador Tarso Genro, do Rio Grande do Sul, de tradição farroupilha, também alerta contra o golpe midiático. “Nós estamos em um processo eleitoral muito difícil. Há uma campanha organizada pela grande mídia contra a presidente Dilma que está alcançando as raias da manipulação eleitoral, agora no segundo turno”, disse Tarso Genro

Nossa mídia nunca foi anti-petista como agora e, pelo tanto que se reclama, usa e abusa do seu direito de manipular informações, fazendo a campanha pró-Aécio. Ela trapaceia, ousa, ultrapassa todos os limites por que, afinal de contas, é o poder central do Brasil que está em jogo e, com Aécio, eles entendem que tem uma grande oportunidade de desalojar a esquerda do poder.

Nesse cenário, é angustiante ver a lerdeza com que os advogados da campanha da Dilma reagem aos ataques do PIG contra a campanha pró-reeleição da nossa presidente.

Fico achando que, lá em Brasília, talvez esteja faltando um Paulo Taques, ou um José Patrocínio, para atuarem como advogados na defesa da Dilma. Sim, nós que acompanhamos a campanha eleitoral de primeiro turno em Mato Grosso vimos como a atuação das assessorias jurídicas se revelou uma arma fundamental na tática de todos os candidatos.

A Justiça Eleitoral nunca foi tão acionada em Mato Grosso. Quando o Lúdio Cabral acordou e resolveu expor as mazelas da Saúde em Cuiabá, responsabilizando o PDT por elas, o que sempre me pareceu o grande gancho para o crescimento do candidato do PT junto à população mais pobre, lá estava o Paulo Taques e sua turma de guerrilheiros jurídicos atentos e não deixaram que se falasse de saúde, de pronto socorro de Cuiabá, de cuiabanos jogados pelo chão e sem atendimento digno por parte da Secretaria de Saúde que o PDT comanda em Cuiabá por mais de um dia.

Exemplos como esses aconteceram às dezenas. Paulo Taques chegou até a exorbitar, conseguindo que a juíza Ana Cristina Mendes, em sua ingenuidade, firmasse censura prévia contra o candidato Muvuca, e impusesse à TV Centro América, que não tinha nada a ver com a questão, que exercesse o papel de censor em pleno setembro do ano de 2014, e em plena vigência da Constituição Cidadã que veda todo e qualquer tipo de censura.

Na campanha nacional, a Rede Globo em parceria que alguns analistas já apontam como sórdida com o juiz federal Sérgio Moro (vide artigo do Luis Nassif que reproduzo abaixo), vai repetindo e repetindo trechos da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás e do doleiro que jogam pretensamente no colo do PT todas as responsabilidades por possíveis pagamentos de propina na Petrobrás – e não se houve simplesmente falar em uma ação dos advogados do PT contra esses usos e abusos da Rede Globo, que assumiu abertamente a campanha pró-Aécio, pró-tucanos e anti-Dilma.

Os direitistas estão literalmente babando na gravata, antevendo a possível vitória no segundo turno.

Vejo esses excessos do PIG e fico gritando, no silêncio do meu quarto: cadê o Paulo Taques para acabar com isso? Onde está o José Patrocínio que não é acionado para acabar com esta bandalheira? Mandem para Brasília pelo menos o João Bosco! Tirem o Blaszak da quarentena!

Se a pesquisa Sensus que a Istoé está divulgando visa apenas impactar a campanha de segundo turno, prejudicando o PT, por que não se pede o recolhimento deste panfleto, como o José Patrocínio chegou a aventar a completa paralisação daquilo que os petistas identificaram como campanha eleitoral praticada por veículos de comunicação em Cuiabá?

A guerra eleitoral precisa ser travada como uma guerra eleitoral, com bombardeios de lado a lado. Pelo que a gente está vendo, só a Rede Globo, só a revista Veja, só o PIG andam metralhando o PT.

Sim, diante da incompetência aparente dos advogados do PT e da campanha de Dilma, lá em Brasília, fico com vontade, nas madrugadas calorentas de Cuiabá, de ir até a calçada, defronte a minha casa, sentar no meio fio e chorar lágrimas de esguicho.

 

Advogado José Patrocínio, que defendeu a campanha a governador, em Mato Grosso, encabeçada por Lúdio Cabral (PT)

Advogado José Patrocínio, que defendeu a campanha a governador, em Mato Grosso, encabeçada por Lúdio Cabral (PT)

Categorias:Cidadania

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.88.247.13 - Responder

    Não tem Advogado que salve seu amado PT, porque todas as denúncias são verdadeiras e vem direto da própria PF, bem diferente de um candidato acusando o outro, basta abaixar a cabeça e torcer pra eleição chegar logo kk

  2. - IP 189.114.49.172 - Responder

    Sr. Blogueiro.
    Contra fatos não se pode justificar argumentos. Veja que o Sr. fala da mídia publicar declarações, mas o sr. deveria estar indignado é com o fato da existência de tais declarações.
    Aqui e assim a sua PARCIALIDADE e igual a os demais, só que para o lado do PT, desta partido corrupto, deste partido cujo todos os integrantes ficaram ricos, em especial o filho do seu amado LULA que de medíocre passou a bilionário. ORA tenha a sensatez de se calar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis − treze =