PREFEITURA SANEAMENTO

Enteada de Gilmar Mendes deixa gabinete de Demóstenes

Enteada de ministro do STF deixa gabinete de senador

Parente de Gilmar Mendes trabalhava com Demóstenes Torres desde 2011

Exoneração foi feita a pedido da ex-auxiliar; congressista e ministro negaram conflito de interesses na nomeação

DE BRASÍLIA

A diretoria-geral do Senado exonerou, a pedido, a enteada do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que tinha cargo de confiança no gabinete do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO).

Como Folha revelou no dia 25 de março, Ketlin Feitosa Ramos ocupava desde setembro o cargo de assessora parlamentar de Demóstenes no Senado, posto de confiança e livre nomeação.

A enteada do ministro do STF é servidora de carreira do Ministério Público Federal, mas foi cedida para ser funcionária comissionada do gabinete do senador.

O ato de exoneração -publicado no dia 2 de abril no “Diário Oficial da União”- tem data de 30 de março.

No dia 27, o Procurador-Geral da República pediu ao STF a abertura de inquérito para investigar o envolvimento do senador Demóstenes Torres com o grupo do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de explorar jogo ilegal.

Por ter foro privilegiado, o senador só pode ser julgado pelos ministros do STF.

Seus advogados prometem recorrer ao Supremo nos próximos dias para pedir a anulação das provas colhidas contra Demóstenes na Operação Monte Carlo, que investigou a atuação de Carlinhos Cachoeira. Pressionado, ele pediu a desfiliação do seu partido, o DEM, e sofre ameaça de cassação de mandato.

OUTRO LADO

O senador e assessoria do ministro negaram qualquer conflito de interesse na nomeação de Ketlin Feitosa em setembro do ano passado.

“O fato de ser parente de uma figura importante da República não deve ser levado em conta para o ingresso de alguém no serviço público, não deve ser também motivo de impedimento”, disse Demóstenes quando a Folha mostrou o caso. Segundo ele, a relação pessoal que tem com Gilmar não influenciou no emprego à enteada.

Já Ketlin afirmou que sua ideia inicial era ter contato com o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), mas acabou sendo convidada pelo senador de Goiás para trabalhar com ele. (LEANDRO COLON)

Categorias:Plantão

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.15.103.178 - Responder

    O CASO NOTICIADO NA MATÉRIA EM COMENTO É CURRIQUEIRO E, COMO A PRÓPRIA MATÉRIA RELATA, É DE SE CRER QUE REALMENTE NÃO TENHA QUALQUER TIPO DE RELAÇÃO ENTRE O SENADOR DEMÓSTENES E O MINISTRO DO STF GILMAR MENDES. ATÉ A PRÓPRIA SENHORA KETLIN, ENTEADA DO MINISTRO GILMAR MENDES, JÁ SE MANIFESTOU TAL COMO CONSTA DA MATÉRIA, POIS QUERIA TRABALHAR COM UM OUTRO SENADOR, PORÉM O GABINETE DO SENADOR DEMÓSTENES SE ADIANTOU EM RECEBÊ-LA. ENTÃO, TUDO NORMAL. NADA DE NEPOTISMO CRUZADO OU OUTRA COISA DO GÊNERO. TUDO EM CASA. VIVEMOS EM DEMOCRACIA PLENA. ADEMAIS, VERIFICA-SE QUE A BENEFICIADA É FUNCIONÁRIA CONCURSADA NO MPF (QUE A CEDEU AO SENADO FEDERAL), POIS LÁ OS CARGOS SÃO POUCOS E HAVIA A NECESSIDADE DE UM EMPRÉSTIMO. (O SENADOR DEMÓSTENES É ORIUNDO DO MPE – GO). PARECE QUE O MPF FEZ UM SACRIFÍCIO AO CEDER ALGUNS DE SEUS INDISPENSÁVEIS COLABORADORES, POIS NO CONGRESSO NACIONAL A MÁQUINA NÃO PODE PARAR. LÁ SE TRABALHA DIUTURNAMENTE. É SÉRIO, PODE CRER. DE TODA SORTE, A GABINETE DO SENADOR SOFREU UMA BAIXA. ESPERA-SE QUE NÃO COMPROMETA OS TRABALHOS TÃO IMPORTANTES PARA A NAÇÃO E PARA GOIÁS, POIS A ASSESSORA NÃO GOSTOU DO NOVO EMPREGO E PEDIU EXONERAÇÃO. PENA!. DO OCORRIDO E NOTICIADO NA MATÉRIA ACIMA, PENSA-SE: O MPF NÃO TEM O DEVER DE FISCALIZAR?; É QUE O MPF NÃO TEM O DEVER DE COIBIR ATOS DE DESVIO DE FUNÇÃO E FINALIDADES NO SERVIÇO PÚBLICO?. TUDO CERTO NÉ?. O QUE FAZER DIANTE DE CASOS COMO O ORA COMENTADO?. SERÁ QUE O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, NESSE CASO AGIRÁ, COMO COMUMENTE FAZ O CNJ?. SÓ POR DEUS. SÓ DEUS NA CAUSA. “QUEM VIVER VERÁ”.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

12 − dois =