gonçalves cordeiro

Enquanto o governador, o presidente da Assembléia, o conselheiro do Tribunal de Contas, o promotor de Justiça, o desembargador, o procurador do Estado, o secretário e a maioria dos burocratas deste Estado gozam sua vida em gabinetes suntuosos, ganhando salários nababescos, estudantes do Presidente Médici vão às ruas gritar contra o calor que os tortura

Um dos estados mais ricos do Brasil, por conta de sua extraordinária produção agrícola, Mato Grosso continua distribuindo mal suas riquezas. A elite predadora, formada por parlamentares, juizes, promotores, defensores públicos, burocratas de toda sorte, goza a vida em gabinetes suntuosos, enquanto os filhos do povo desmaiam e são socorridos diariamente pelas ambulâncias do Samu por terem que estudar em salas de aula que são verdadeiros fornos crematórios, instalados em escolas como a Presidente Médici, bem no centro da cidade

Em Cuiabá é assim: as grandes autoridades e os seus pretensos fiscais, vivem no paraíso de palácios suntuosos, ganhando salários que muitas vezes superam a casa dos 100 mil reais – sem falar naquilo que muitas vezes corre por debaixo do pano. São pequenos e sórdidos marajás vivendo uma vida de delícias sem fim, enquanto o povo e os filhos do povo sofrem, aturdidos, em meio a um cotidiano que só lhes cobra sacrificio. E olha que é o povo que paga toda esta conta, com seu trabalho e seus impostos!

O desequilibrio da vida, em Cuiabá e em Mato Grosso, ficou mais uma vez evidente com o protesto que os alunos do ensino médio da Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá, promoveram na sexta-feira, 22 de março. Alunos e Alunas paralisaram o trânsito da Avenida Mato Grosso em ato de protesto contra a Secretaria de Educação que apenas instalou aparelhos de ar-condicionado nas salas de aula mas nunca os ligaram.

Sim, senhores: os aparelhos de ar condicionado estão lá, mas não funcionam!  Conta o Olhar Direto que, por conta do alto calor da cidade e das salas funcionando apenas com refrigeração garantida por ventiladores, diversos alunos já foram encaminhados, nas últimas semanas, para hospitais para serem atendidos.

Como é o caso do aluno Igor Gustavo Afonso da Cruz, ouvido pelo repórter Max Aguiar: “Já passei mal aqui umas três vezes. Da última vez, o Samu veio me buscar. O calor da nossa cidade já é imensurável e para completar são apenas quatro ventiladores para mais de 40 alunos, isso não ajuda em nada. Enquanto isso, o ar-condicionado está apenas de enfeite”, contou o aluno que está no primeiro ano do ensino médio.

Ou seja, além de um caso de Polícia, o sacrificio imposto aos alunos do Médici já virou um problema de Saúde Pública!

Cerca de 500 alunos com cartazes, faixas e nariz de palhaço, vestiram o uniforme do colégio e foram à avenida pedindo providências para a Secretaria Estadual de Educação.

Professor de matemática há mais de 20 anos, Sérgio Lanzieri dos Anjos, também estava lá reforçando o ato dos alunos do período vespertino. “É muito importante um tipo de ato como este. Muitos perguntam por que fazer isso e tudo mais, mas se nós não botarmos a cara para o povo ver o que estamos passando ninguém vem nos ajudar. Precisamos muito disso. Nossa cidade é quente e ficar apenas no ventilador só atrapalha. Em outros dias alunos passam mal. Na semana passada uma aluna grávida teve que ser socorrida as pressas por que sentiu mal-estar por conta do forte calor. Isso nos entristece muito”, desabafou o professor.

A Escola Presidente Médici tem 40 salas de aula e cada uma delas recebeu dois aparelhos de ar-condicionado. Estão matriculados na instituição mais de 2.200 alunos. Além dos problemas relatados no protesto, os alunos mostraram indignação com o elevador da escola que não funciona. “Temos uma colega cadeirante e todos os dias temos que ajuda-la a subir os corredores para assistir aula. Isso aqui tá largado”, disse Bruno Farias, estudante do segundo ano.

Os alunos protestaram de olho na inércia da Secretaria de Educação, comandada pelo médico petista Ságuas Moraes. Mas será que as demais autoridades públicas de Mato Grosso também vão se omitir diante desta escandalosa situação de verdadeira tortura a que são submetidos mais de 2 mil alunos (e também servidores e professores), por conta das condições inadequadas de funcionamento da Escola Presidente Médici?

(Com informações do OLHAR DIRETO)

VEJAM AQUI OUTRAS CENAS DO PROTESTO DOS ESTUDANTES DO MÉDICI

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.193.159.202 - Responder

    É bem Mato Grosso!!!

  2. - IP 200.17.60.247 - Responder

    MORADIA, COMIDA VEGETARIANA, AR-CONDICIONADO, ENSINO SUPERIOR (PAGO PELO CONTRIBUINTE), ETC… QUE MAIS ESSE ESTUDANTES VÃO QUERER? INVADEM ESPAÇOS PÚBLICOS PARA PROTESTAR, NÃO RESPEITAM OUTRAS PESSOAS QUE NADA TÊM HAVER COM SEUS PROTESTOS, FAZEM TODO TIPO DE ARRUAÇA…O BRASIL, NO FUTURO, FICARÁ NAS MÃOS DELES??SOU DE UM TEMPO EM QUE SE TRABALHA E ESTUDAVA , NADA ERA DE GRAÇA E SE DAVA MAIS VALOR NAS COISAS E NAS PESSOAS… SE LIGA GURIZADA….

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezenove − 9 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.