Silval vacila mas Perri garante 6,20% para pessoal do Judiciário

Enquanto o governador Silval Barbosa, sempre atarantado, não sabe direito como vai enfrentar as reivindicações e mandou o secretário Faiad ir empurrando com a barriga as conversas com os servidores do Executivo, o desembargador Orlando Perri avança com as negociações com os servidores do Judiciário, demonstrando transparência em seu entendimento com os sindicatos da categoria

No fundo, é tudo uma questão de competência e de capacidade de gestão. A reunião dos sindicalistas do Fórum Sindical, na tarde desta quinta-feira, 25, com o secretário titular da SAD, Francisco Faiad, para tratar do reajuste salarial dos servidores, foi frustrante. Faiad deixou claro que a administração do governador Silval ainda não definiu um índice de reajuste para os servidores e não se mostrou autorizado para garantir sequer a reposição da inflação do período, fixada em 6,17% pelo INPC. Uma nova rodada de negociação com os sindicalistas ficou agendada para o dia 6 de maio. A tensão entre os sindicalistas era grande, notadamente nesse período em que, de setores próximos ao gabinete do governador Silval, tem sido disparados uma série de provocações, tentando atribuir ao peso da folha de pagamento dos servidores, a maior responsabilidade pelo desequilíbrio financeiro do Estado. “A presidência da Assembléia trouxe aqui o economista Paulo Rabello de Castro para defender arrocho em cima dos servidores” – reclamava o sindicalista Gilmar Brunetto – “Mas ele não sabe, ou finge que não sabe que essa é uma das administrações mais esburacada que existe, com o dinheiro saindo pelo ladrão em escândalos como do precatórios, da Conta Única, da renúncia fiscal”. Faiad disse que tem defendido a posição do Fórum e rebatido os argumentos contrários a reajustes mais expressivos. Ele também assegurou que é interesse do governador Silval garantir o completo pagamento do índice inflacionário – mas deu a entender que as conversas com o pessoal da Sefaz exigem sempre muita paciência.

Já no Poder Judiciário, agora submetido à gestão do desembargador Orlando Perri, os entendimentos entre gestores e servidores, nesta quinta-feira, 25 de abril, se mostram menos problemáticos e bastante adiantados. Ou seja, enquanto que no Judiciário percebe-se uma disposição dos gestores de garantir ampla transparência e encaminhamento conjunto dos interesses com o conjunto dos servidores que servem àquele Poder, no Executivo, repete-se a algazarra, a falta de rumos, a confusão que, hoje mesmo, já ecoou em uma pesquisa de opinião que aponta o governo de Silval Barbosa como o que mereceu pior avaliação nas últimas décadas.

AS PROPOSTAS DO JUDICIÁRIO: Depois de desenvolver negociação aberta com os dois sindicatos de servidores – o tradicional Sinjusmat e o novato Sindojus – e também no âmbito do Conselho Nacional de Justiça, a gestão Perri conseguiu aprovar no Pleno do Tribunal uma proposta de reposição de 6,20% para todos os servidores, a partir de maio. Além disso, a presidência do Tribunal de Justiça está garantindo aumento de 30% sobre o valor atual do auxilio alimentação – que hoje vale R$ 315,00, a partir de junho e o levantamento de todos os passivos dos servidores, com a definição de um cronograma de pagamentos a ser negociados com o Sinjusmat e com o Sindojus, sequenciado do estudo para continuidade de pagamento da dívida de abono pecuniário, abono de permanência em atraso, bem como o pagamento de 1/3 de férias, ordinariamente.

Em relação a este último ítem, o desembargador Orlando Perri já iniciou tratativas com o CNJ para liberar as verbas incontroversas tanto de servidores quanto de magistrados, que se encontram atualmente suspensas por decisão daquele colegiado.
Confira, no destaque, o inteiro teor da proposta encaminhada pelo desembargador Orlando Perri aos dois sindicatos e que devem ser submetidas a assembléias dos servidores e oficiais de Justiça nos próximos dias.

tjmt paginado e – perri garante reposição de 6,20% para servidores do tjmt by Enock Cavalcanti

10 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 79.169.6.102 - Responder

    Impressionante…ainda existem passivos a serem pagos aos servidores do TJMT? Isso não acaba nunca! Haja soja para sutentar esse povo. Ainda assim querem greve. Para nós servidores estaduais de baixo clero só nos resta uma esperança disso acabar. Quando eles forem se aposentar pela SAD. Aguardem!

  2. - IP 187.5.109.196 - Responder

    Enock, como se pode chamar de aumento algo que, a meu ver chamo de reposição inflacionária? Até quando virão estes eternos estudos para nossas perdas? Progressões, SDCR que era para ter sido incluída na folha salarial de 2012. Até onde vi, o próprio Rosenwal disse-nos que não participou como nosso representante da mesa de negociações juntamente com a Presidência e o comitê Gestor. Será que novamente teremos que ficar a ver navios apenas com esse vale-coxinha e a reposição de inflação? Aumento real seria no mínimo os 15% do SDCR. aÍ sim a classe ficaria menos insatisfeita, conseguiria sanar algumas dídividas e comer melhor. Com a palavra Nosso valoroso Rosemwal.

  3. - IP 189.10.99.186 - Responder

    Reposição salarial é o dever e a obrigação de todo patrão e esses 6,20% foi apenas repisição salariai e não aumento conforme está na matéria. Áumento de 30% do auxília alimentação não vira nada, pois o valor pago hoje é de R$315,00. O que o Sr. Perri tem que cumprir a lei que eles mesmos fizeram quando da implantação do SDCR, dando-nos as progressões vertical, que passamos a ter direito em setenbro/10 e horizontal em setembro/12 e em setembro/13 já completa o direito de mais uma progressão vertical, equivalendo assim um total de 15% que o Tribunal de Justiça deve aos servidores e não paga e ficam pregando que aumentou salario dos servidores enquanto que isso não condiz com a realidade. Portanto famos fazer greve em busca dos nossos direitos.

  4. - IP 187.5.110.82 - Responder

    Senhor Auxílio Coxinha,

    Gostei. Isso não é nada, e nós servidores que ganhamos (R$ 1.805,00 + R$ 215,00 auxílio) e trabalhamos aqui no Interior, temos que pagar só aluguel 500,00 no mínimo numa casa de madeira. É pra acabar mesmo.
    E isso é diferente quando se fala dos magistrados !!!

    • - IP 179.245.171.17 - Responder

      Se tirassem o auxilio moradia de magistrados que moram em verdadeiras mansões próprias e tem casa para alugar, já sobrava uma baba…

      • - IP 189.59.42.248 - Responder

        a inveja dói né….

      • - IP 200.255.204.34 - Responder

        OLHA ELE AI DE NOVO! O MEGA COMENTARISTA. ADAMS.. REVOLTADO, CERTEZA, VAI RETIRAR A CUECA POR CIMA. QUE DESGRAÇA! FICO COM VERGONHA POR ELE, JÁ QUE ELE NAO TEM.

    • - IP 189.74.34.176 - Responder

      Preocupado, começe a se “preocupar” em fazer outro concurso, que ganhe mais, pois no edital do concurso que passou o salário era esse, voçê não fo enganado e nem colocaram uma arma na sua cabeça para prestar o concurso, então não reclame!

  5. - IP 201.34.221.110 - Responder

    Quero parabenizar a atitude dos Oficiais de Justiça em relação ao Sinjusmat, primeiro o Sinjusmat sempre foi um sindicato que priorizou os Oficiais, motivo o presidente é Oficial, sempre deixou as outras classes completamente abandonadas, mas ja que as outras classes não tiverama coragem de “abandonar” o sindicato os Oficiais fizeram o favor de o fazer (parabens pela atitude). agora quem sabe ele se preocupe com as outras categorias!!!

    Com respeito a materia, devemos deixar claro para sociedade que isso não é aumento é reposição inflacionaria. o que deve ser cumprido para os servidores terem o minimo de aumento é o previsto em lei no SDCR, (que o proprio TJ/MT criou, mas não serve pra nada, pois não é cumprida). Acho muito interessante este fato: quando anuncia la em brasilia um possivel aumento para magistrados, no outro dia o aumento ESTA na conta!!! incrivel.
    SERVIDORES, vcs tão achando que vão cumprir esta Lei?? eu acredito que vai, como foi cumprida no acordo que venceu em 2012. se nãoa cumprem hoje vai cumprir daque um ano? acorda gente é so promessa. copie esse comentario ai, vão ver que daqui um ano ou mais, vão mudar essa lei e criar outra que tambem não sera cumprida, tudo que é para servidores só existe no papel e é mudade de acordo com o criterio que os magistrados querem. isso é a realidade. cade o antigo PCCS??? foi mudado, como sera este SDCR. AGUARDE E VERAS.

  6. - IP 201.15.105.178 - Responder

    Pois bem Marcelo,,, se voce soubesse o quanto ganha um serventuario de justiça das Comarcas pensaria duas vezes para criticar,,, eu não entendo como pode um servidor do interior ganhar uma miseria enquanto outros ganham até 3 , 4 vezes mais….sendo que nossos trabalhos são iguais….INJUSTIÇA DENTRO DA PROPRIA JUSTIÇA…….PALHAÇADA MESMOOOOO

Deixe uma resposta para Fernando da Silva    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

4 + 10 =