ENOCK CAVALCANTI: Por que será que o coronel Siqueira Jr resolveu fazer este ataque despropositado contra o desembargador Perri?

Divulgo abaixo artigo de minha autoria que circula na edição desta quinta-feira, 13 de julho, na edição impressa do Diário de Cuiabá

O coronel Siqueira contra Perri
Por Enock Cavalcanti

Meus amigos, meus inimigos: ficou evidente, para uma grande maioria, que as acusações do secretário de Justiça, coronel Siqueira Jr, contra o desembargador Orlando Perri, passaram de uma tática, formulada provavelmente pelos advogados do coronel, para tentar ganhar manchetes de nossa mídia mais complacente e desviar o foco da investigação do rumoroso caso dos grampos clandestinos, operados pela Polícia Militar, pelo que se sabe, até aqui.

Convocado para falar ao coronel Jorge Catarino no IPM que investiga o caso, Siqueira Jr. apareceu com documento registrado em cartório, relembrando escuta determinada por Perri sobre um grupo de magistrados suspeitos de corrupção, lá em 2010.

Siqueira tentou, vejam só, dar ar de escândalo à escuta de Perri sobre os magistrados, mas logo todo mundo lembrou que o desembargador Ferreira Leite e os juízes Marcelo Barros, Antônio Horácio, Irênio Lima e Marco Aurélio Ferreira, investigados no Escândalo da Maçonaria, acabaram afastados da magistratura, por decisão do Conselho Nacional de Justiça, justamente por aquilo que Perri investigava: corrupção. Dentro do pacto das elites brasileiras, a punição de magistrados é a mais doce possível, já que são apenas aposentados, preservando todos os seus direitos. Mas, de qualquer forma, aqueles 11 foram impedidos de continuar judicando e tramando à sombra do TJ.

Tudo feito dentro da Lei, para depuração do Judiciário. Os tais 11 magistrados, depois que foram condenados, recorreram até ao Papa, mas permanecem afastados até hoje. Ou seja, a cortina de fumaça lançada pelo coronel Siqueira não colou. A sua tática, provavelmente orientada por seu advogado, Paulo Taques, e que visava evidentemente desqualificar o desembargador Perri como coordenador da atual investigação sobre os grampos, neste ano de 2017, só serviu mesmo para colocar a pulga atrás da orelha de muita gente.

Se a preocupação do ainda secretário de Justiça do governador Zé Pedro Taques, como ele mesmo diz, é contribuir para o esclarecimento dos fatos e para a mais perfeita identificação dos responsáveis pelos grampos ilegais denunciados pelo promotor Mauro Zaque, por que será que Siqueira Jr resolveu protagonizar este ataque despropositado e algo indecente contra o desembargador Perri?


Enock Cavalcanti, jornalista e blogueiro, é editor de Cultura do Diário

Coronel Siqueira Jr, secretário de Zé Pedro Taques, fala sobre escândalo dos grampos ilegais by Enock Cavalcanti on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × quatro =