gonçalves cordeiro

ENOCK CAVALCANTI: Mesmo presidenta da Assembleia, Janaína Riva continuará só

 

 

Janaína e Botelho

Mesmo presidenta da Assembleia, Janaina Riva continuará só
Por Enock Cavalcanti
Meus amigos, meus inimigos: nesta quarta-feira, 17 de abril de 2019 pela manhã, na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, a deputada estadual Janaina Riva (MDB)  assume a presidência da Casa, em substituição ao deputado Eduardo Botelho (DEM).
Correligionários de Janaína apontam a data como histórica, já que ela é a primeira mulher a assumir o cargo.
Janaína foi reeleita deputada estadual pelo MDB com 51.546 votos.
Assume, sim, a presidência da Assembleia, só que assume provisoriamente, por 4 meses, durante licença médica do presidente Botelho.
Ou seja, vai só tapar um buraco.
E ela, certamente, não vai contrariar em nenhum aspecto fundamental a direção dada à Assembleia pelo seu titular.
Janaina pode até espernear, mas sobre ela e contra ela, continuará a pesar, nestes quatro meses, e até que as estruturas da Assembleia se renovem de fato, o peso assombroso do machismo.
Machismo que faz com que a nossa Assembleia Legislativa tenha em suas fileiras uma só mulher deputada, ela mesma, a solitária Janaína.
Mesmo presidenta da Assembleia  por 4 meses, Janaina Riva continuará só.
Submetida a um machismo que constrangeu tanto a deputada Janaína que ela, depois de ensaiar um enfrentamento com Botelho pelo comando do Legislativo estadual – assim que foram divulgados os resultados que a apontaram como a mais votada de Mato Grosso, nas eleições de 2018 – acabou recuando e se subordinando à hegemonia quase plena dos homens naquele plenário.
Há quem avalie que foi a sombra também assombrosa do seu pai, o ex-deputado e ex-presidente José Geraldo Riva, que mais dificultou a tentativa de Janaina formar chapa e disputar de forma direta a presidência da Assembleia. Muita gente disse, então, e muita gente continua dizendo, agora, que o poder na Assembleia nas mãos de Janaína é poder que volta às mãos de José Geraldo Riva, corrupto confesso mas, para todos os efeitos, livre, leve e solto.
Verdade ou não, o fato é que Janaina tentou peitar o conservadorismo na Assembleia mas ela não conseguiu, não teve também peito assim.
Acabou se curvando às evidências, curvando-se ao deputado Botelho que conta com a benção  do governador Mauro Mendes e, por isso mesmo, acabou aclamado presidente, tendo Janaína como uma entusiasmada puxadora de votos.
Ao invés de revoltar-se e encarar uma derrota no voto a voto, Janaina resolveu compor e esperar. Quem sabe, mais adiante?!…

Por enquanto, o que se tem é o consolo de uma presidenta provisória, até que mude a maré e Janaína tenha força pra valer.

Janaína com o pai, José Geraldo Riva

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

13 + nove =