gonçalves cordeiro

ENOCK CAVALCANTI: Eleições 2018. Juíza Selma Arruda reproduzindo discurso do Bolsonaro, por favor, não!

Selma, a juíza que Bolsonaro tenta seduzir

 

2018 é ano de eleição, é ano de tensão, é ano que vai exigir muito dos brasileiros e das brasileiras.

O tucano Nilson Leitão sugere cabeça tranquila, muita reflexão, antes dos partidos definirem candidatos e coligações. Ele sabe que a direita, em Mato Grosso, entrou numa sinuca de bico desde que o governador Zé Pedro Taques foi se isolando, se isolando naquele seu discurso policialesco  – e hoje não consegue preservar quase nenhum dos seus aliados.

Sim, porque existe sempre o fantasma do Procurador Mauro, de uma soberba revolta popular pairando no ar, então é preciso ir com calma, como argumenta o Nilson Leitão. Se a direita não souber montar suas coligações, de repente pode surgir um “aventureiro” desses e lançar mão do poder em Mato Grosso. Sem o poder, como é que os grandes empresários do campo vão assegurar seus dólares?

Mas eu acho que a gente precisa mesmo de renovação – não desse velho rameirão. Só que está dificil divisar de onde virá o tropel renovador.

Que novidade existe numa possível candidatura da juíza Selma Arruda, por exemplo, se ela procurar estruturar essa candidatura a partir de uma base de apoio na candidatura do presidenciável direitista Jair Bolsonaro?

Sim, Bolsonaro está tentando transformar a juíza Selma numa candidatura que ele possa chamar de sua. E a juíza não se espantou com o possível apoio dessa gente. Não refutou.

Acho melhor ela deixar essa melodia para o vereador Kero-Kero.

A gente precisa de renovação, mas de onde virá essa mudança?

Do procurador Mauro, esse fantasma político que só dá as caras de eleição em eleição?

Do PT que, lambendo suas feridas, não tem sequer um candidato, até agora, para apresentar ao eleitorado mato-grossense?

Do PSB, que depois de renovado, apresenta a viciada cara de comando de Valtenir Pereira, o político de todas as siglas?

O DEM, que andava fraquinho, de repente virou um bicho com duas cabeças, ao mesmo tempo Jayme Campos ao mesmo tempo Mauro Mendes, mas a gente sabe como eles tem objetivos díspares.

Eu, bloqueiro, vou passeando entre os encontros partidários, nesse periodo pré-eleitoral e vejo mais confusão que renovação. Mas há quem diga que eu tenho um olhar torto, vesgo, esquerdista.

 

 

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

15 + 16 =