Em Juína, governada pelo PT, caixa dágua despenca em casa popular mal construida. Que horror!

Aconteceu em Juína, um municipio de Mato Grosso, que tem um prefeito do PT: caixa dágua despenca em casa popular, mostrando que a fiscalização sobre a qualidade do serviço das empreiteiras contratadas dentro do programa Minha Casa, Minha Vida, vai muito mal. Se acontece em cidade governada pelo PT, o que não acontecerá pelo Brasil afora? Será que a empreiteira era uma das empresas do esquema do Cachoeira? Tudo isso precisa ser esclarecido. Confira o noticiário. Que a TV Centro América mande pra lá o Jonas Campos. (EC)

Caixa d’ água despenca de casa popular mal construída em Mato Grosso

Ivan Pereira | de Juina

24 HORAS NEWS

 

Já era esperado. E por pouco, não virou um tragédia. Mas ainda pode acontecer. Nesta quinta-feira, 28,  em uma das casas populares entregues pela Prefeitura de Juína,  no último domingo,  no bairro Padre Duílio uma caixa d’água despencou. Por sorte, não havia ninguém.  Segundo a moradora que prefere não ser identificada, ao chegar do trabalho em casa, encontrou o depósito  de mil litros  caída dentro da cozinha. A obra do conjunto habitacional, já denunciada, é de péssima qualidade.

“Quando abrir a porta, encontrei a caixa quebrada e a cozinha cheia de água. Minhas coisas de cozinha ficaram quebradas também”, contou a mulher. Os reservatórios foram instalados no alto da casa em cima de pequenas ripas de madeira, próximo ao banheiro.

Os responsáveis pela obra estiveram na residência para instalar um novo reservatório e prometeram os prejuízos que a moradora teve na cozinha serão ressarcidos. Ela, porém, se dizia indignada e disse que o acidente poderia ter causado vítimas se tivesse alguém por perto.

Nesta semana, a moradora Roselma de Souza, havia denunciado as péssimas condições que ela encontrou ao receber a casa popular. Segundo ela, no dia da entrega das chaves, o prefeito teria garantido que as obras estavam ‘perfeitas’. A denúncia repercutiu e os vereadores do município estão apurando os fatos. Na terça-feira, o presidente da Comissão de Obras Públicas da Câmara, vereador Robson Amorim Machado, visitou as construções e apontou uma série de problemas.

“As casas não estão acabadas e com madeiramento encostado nas vigas centrais, mangueiras quebradas, não tem reboco nas paredes nem interna e nem externo e não têm portas dentro da casa, o que nos deixa preocupado da forma que foi entregue, pois nem a limpeza da área foi feita. Vou me informar sobre o contrato da empreiteira e tomar as devidas providências”, destacou.

O secretário de Planejamento Luís Braz de Lima explicou que o projeto das casas populares faz parte do programa federal “Minha Casa, Minha Vida”, executado pelo Banco Paulista que fez a licitação da obra. “A empresa ainda continua na cidade e qualquer problema que tiver dentro da casa, a empresa será acionada, pois ela tem responsabilidade por cinco anos pelas obras”, garantiu.

A Prefeitura tem pressa em entregar as casas, pois está no prazo limite dado pela Justiça Eleitoral para inauguração de obras, 07 de julho (Lei nº 9.504/1997).

Categorias:Direito e Torto

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois + seis =