gonçalves cordeiro

Dr. Valdir, afastado da prefeitura de Leverger, conta como os vereadores prepararam um armadilha, enviando para a Prefeitura 125 requerimentos para serem respondidos em 10 dias. Segundo ele, trata-se de uma ação política, orquestrada há muito tempo com o vice-prefeito para tirar o seu mandato. “A população sabe que tenho conduzido o mandato a mim confiado sem me submeter a interesses que não representem aos anseios da municipalidade”, disse o Dr.Valdir

Valdir Ribeiro, médico, prefeito afastado de Leverger. A disputa judicial parece que está só começando

Valdir Ribeiro, médico, prefeito afastado de Leverger. A disputa judicial parece que está só começando

Prefeito cassado rebate acusações de vereadores e do  vice-prefeito de Santo Antônio de Leverger

O prefeito de Santo Antônio de Leverger, Valdir Ribeiro explicou que que foi cassado na última segunda-feira, dia 28 de setembro, pela Câmara Municipal, através do Decreto 39/2015, publicado no Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado. Ele adiantou que já recorreu e aguarda a decisão da Justiça.

Valdir afirmou que nunca deixou de atender as solicitações do Poder Legislativo  tanto que, disponibilizou aos vereadores o acesso a todas as informações e documentos da prefeitura “Desde o início de meu mandato  tenho me pautado no cumprimento da Lei Orgânica e em toda a  legislação da administração pública. Não  vejo motivo tão relevante para a tomada de uma medida extrema, que foi a  cassação de meu mandato outorgado por mais de 55% da população do município”, lembrou.

Segundo ele, chegaram na prefeitura de uma só vez, 125 requerimentos enviado pela Câmara, para serem respondidos em dez dias. Ele frisou que há um prazo regimental e não havia tempo hábil e nem funcionários suficientes para responder todos os requerimentos. “Enviei um ofício para a Câmara justificando a situação e coloquei todos os dados do setor contábil á disposição dos vereadores”, garantiu.

Na sua avaliação, o presidente da CPI, Hugo Padilha, que também já foi prefeito de Santo Antônio de Leverger, sabe das dificuldades do poder Executivo e sabe também que não havia tempo suficiente para responder todos os documentos. Segundo ele, trata-se de uma ação política, orquestrada há muito tempo com o vice-prefeito para tirar o seu mandato. “A população sabe que tenho  conduzido o mandato a  mim confiado  sem me  submeter a interesses  que não representem aos anseios da municipalidade”, alertou.

O fato do município ficar sem comando, Valdir disse que é  inadmissível atribuir a ele a responsabilidade, tendo em vista a publicação do decreto sobre a sua cassação, que entrou em vigor no dia primeiro de outubro. “A responsabilidade pela vacância do cargo de prefeito é exclusiva do presidente da Câmara, que se manteve inerte. “Um verdadeiro ato de irresponsabilidade com a população. Desde o dia em que fui notificado, aguardei com tranquilidade em casa a decisão de medidas judiciais interpostas. Portanto não sou um foragido como estão divulgando. Confio na justiça e na coerência da população de Santo Antônio de Leverger”, finalizou Valdir.

 

FONTE AMM

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 1 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.