DOIS HOMENS E UM SEGREDO: José Geraldo Riva, ficha suja e o político mais processado por corrupção de toda a história de Mato Grosso, agora aparece denunciando Eraí Maggi e acusando “rei da soja” de sonegar quantia que pode chegar a R$ 300 milhões. Segundo Riva, montagem da Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat) pode encobrir uma milionária fraude fiscal

José Geraldo Riva, deputado estadual e cacique do PSD em Mato Grosso, e o empresário Eraí Maggi, que é apontado como o maior produtor de soja em Mato Grosso

José Geraldo Riva, deputado estadual e cacique do PSD em Mato Grosso, e o empresário Eraí Maggi, que é apontado como o maior produtor de soja em Mato Grosso

MAIS DE R$ 200 MILHÕES

Riva vai protocolar denuncia contra Eraí Maggi por sonegação

Laura Nabuco, repórter de A Gazeta

O deputado estadual José Riva (PSD) deve protocolar após a eleição uma denúncia de sonegação de impostos contra o empresário e produtor rural Eraí Maggi (PP). Os indícios, conforme o parlamentar, são de que o progressista usou “laranjas” para formar a Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat), em 2004, e que vem simulando negócios desde então. “Uma análise superficial chegou a um possível rombo de R$ 200 a R$ 300 milhões”, afirma.

As acusações serão levadas aos ministério públicos Federal e Estadual, à Receita Federal e à Delegacia Especializada em Crimes Fazendários (Defaz). O objetivo do deputado é a abertura de um inquérito policial que investigue também indícios de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Conforme a denúncia, dos 22 membros da Cooamat, metade são funcionários de Eraí. Alguns deles apareceriam ainda como proprietários de fazendas que, segundo Riva, pertencem na verdade ao progressista. Além disso, os negócios realizados pela cooperativa, como contratos de arrendamento de terras, não passariam de simulações.

O parlamentar aponta como indício de que a cooperativa seria “de fachada” o fato de ela ser a sétima maior exportadora de grãos do país, movimentando mais de R$ 300 milhões ao ano, mas ser, conforme ele, desconhecida. “Ninguém ouve falar na Cooamat. É uma cooperativa misteriosa, que sequer possui armazéns. Além disso, não recebe novos cooperados e não faz negócios com não-cooperados”, pontua.

A suposta sonegação de impostos ocorreria porque cooperativas têm uma série de benefícios fiscais em relação a empresas comuns. Elas são isentas, por exemplo, de Imposto de Renda e das contribuições para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Social Sobre o Lucro Líquido (CSSL). Também pagam taxas reduzidas ao Programa de Integração Social (PIS) e de Imposto sobre Operações de Crédito (IOF).

Riva afirma que uma análise superficial feita por sua equipe constatou a possibilidade de sonegação de R$ 50 milhões nos últimos 10 anos à Receita Federal e o não pagamento de mais R$ 100 a R$ 200 milhões em impostos como o sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços (ICMS), Cofins e Imposto de Renda.

“Não estou dizendo que a formação da cooperativa é ilegal, mas afirmo que houve subterfúgios para que ela fosse criada, além da simulação de negócios. Esses indícios podem embasar inquérito policial para verificar a ocorrência de diversos crimes”, sustenta o deputado.

Doações – Riva ainda relaciona a suposta sonegação por parte de Eraí Maggi às doações que o empresário fez à campanha do candidato ao governo do Estado Pedro Taques (PDT). Conforme a segunda parcial da prestação de contas do pedetista, o “rei da soja” destinou quase R$ 1,5 milhão ao projeto do senador, sendo que R$ 590 mil foram por meio do grupo Bom Futuro.
“Quem quer as coisas corretas, tem que dar satisfação aos eleitores”, disse o parlamentar sem, contudo, citar nominalmente o adversário de sua esposa, Janete Riva (PSD), na corrida pelo comando do Palácio Paiaguás.

O pessedista sustenta, no entanto, não ter interesse em “tumultuar” o processo eleitoral, por conta disso, optou por protocolar a denúncia somente após o dia 5 de outubro. “Também porque mandei minha equipe analisar com calma os indícios que temos e o que eles podem significar”, explica.

Categorias:Direito e Torto

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.64.242.171 - Responder

    ESTA MESMA BARGANHA O DEP.MAIS PROCESSADO DO PAIS JOSE GERALDO RIVA AGIU QUANDO O GENRO JOAO EMANUEL FOI CASSADO, AMEAÇANDO OS VEREADORES.
    QUERO VER O RIVA TER CORAGEM, MAIS CORAGEM MESMO DE DENUNCIAR. PELOS VINTE ANOS DE ALMT ELE ENTENDE E MUITO DE LARANJA E CALCINHA, É IMPROVÁVEL QUE DENUNCIE!

  2. - IP 189.11.216.50 - Responder

    Apesar de sabermos que o Riva faz isso em interesse próprio, não duvido um segundo da veracidade dessas informações. Quem dúvida favor conferir a turva politica de beneficio fiscal nesse estado e comparar as empresas beneficiadas com isenção com as maiores doadoras de campanha!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

20 − cinco =