Discurso de Perri contra recondução de juízes eleitorais só vale pela metade: presidente do TJ puxou votação para que juiz suplente, André Stumpf, compusesse lista tríplice e tenha chance de virar juiz titular, na cota da advocacia. Ricardo Almeida e Armando Biancardini completam a lista. José Blaszak e André Pozzeti não empolgaram desembargadores-eleitores. Flávio Bertin apareceu bem

Os advogados Ricardo Gomes de Almeida, André Stumpf Gonçalves e Armando Biancardini Cândia, escolhidos, no Pleno do TJMT, para compor a lista tríplice que será encaminhada para a presidente Dilma Roussef que terá a incumbência de definir quem será, a partir de julho de 2014, novo juiz eleitoral na cota da advocacia

Os advogados Ricardo Gomes de Almeida, André Stumpf Gonçalves e Armando Biancardini Cândia, escolhidos, no Pleno do TJMT, para compor a lista tríplice que será encaminhada para a presidente Dilma Roussef que terá a incumbência de definir quem será, a partir de julho de 2014, novo juiz eleitoral na cota da advocacia, em substituição a Samuel Dalia Franco Junior. Stumpf atua, atualmente, como juiz substituto.

O desembargador Orlando Perri, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, resolveu combater a recondução dos atuais juízes eleitorais a suas funções dentro do Tribunal Regional Eleitoral, no que depender da votação do Tribunal de Justiça. Nesta quinta-feira, ao apresentar seu voto para a escolha dos nomes que comporão a lista tríplice de onde a presidente Dilma Roussef terá que definir quem vai entrar na vaga que será aberta com o afastamento de Samuel Dalia Franco, Perri voltou a defender sua tese, sem maior aprofundamento quanto aos critérios que levaram à sua definição. Só que, se Perri é contra a recondução de quem está atualmente no TRE, faz restrição pela metade, já que o advogado e atual juiz substituto André Stumpf Gonçalves, foi um dos escolhidos, pelo próprio Perri para compor a lista tríplice, ao lado de Ricardo Gomes de Almeida e Armando Cândia. Ou seja, pela tese de Perri, tudo contra o retorno dos titulares, mas um juiz suplente como o advogado André Pozetti, recentemente denunciado ao Conselho Nacional de Justiça pela Ong Moral, pode continuar sonhando com a possibilidade de continuar atuando na Justiça Eleitoral. Será que Perri atentou para esta brecha, quando definiu sua tese? Não se comprovou, ainda, que a denúncia da Ong é meritória, mas de qualquer forma deveria servir como a alerta. A questão é que o simples fato da não recondução parcial ser uma tese defendida pelo principal mandatário do TJ acabou influenciando fortemente o plenário de votantes, cuja maioria de integrantes seguiu na mesma batida. Os nomes apontados por Perri, na abertura da votação, acabaram formando de fato a lista tríplice, ainda que não na ordem pretendida pelo teórico da não recondução parcial. Pela escolha de Orlando Perri, André Stumpf seria o primeiro, seguido por Armando Cândia e Ricardo Gomes de Almeida. No final da votação, Ricardo teve 17 votos, Stumpf, 14 e Armando, 13. Correndo por fora, o advogado Flávio Bertin, herdeiro do desembargador aposentado Flávio Bertin, conseguiu bom desempenho, angariando 9 votos. Entre os eleitores de Bertin, os desembargadores Carlos Alberto, Pedro Sakamoto, Geraldo Giraldelli e Cleuci Terezinha. Os desembargadores Luiz Carlos da Costa  e Marcos Machado, ao que soube, não embarcaram na tese da não recondução parcial, e votaram no jurista José Blaszak. Em breve, aqui nesta PÁGINA DO E, relação voto-a-voto, para que se conhece mais detalhadamente as tendências do Pleno. Confira o noticiário. (EC)

O desembargador Orlando Perri resolveu bombardear a chance de recondução dos juízes eleitorais de Mato Grosso. Mas suas restrições só atingem os juízes titulares, pois ele foi o primeira a bancar a recondução de André Stumpf, que é juiz subsstituto e, agora, compondo a lista tríplice, ao lado de Ricardo Almeida e Armando Cândia, vai disputar a indicação da presidente Dilma para se tornar juiz titular do TRE a partir de julho, passando a ser um dos coordenadores da eleição de 2014 em Mato Grosso

O desembargador Orlando Perri resolveu bombardear a chance de recondução dos juízes eleitorais de Mato Grosso. Mas suas restrições só atingem os juízes titulares, pois ele foi o primeira a bancar a recondução de André Stumpf, que é juiz substituto e, agora, compondo a lista tríplice, ao lado de Ricardo Almeida e Armando Cândia, vai disputar a indicação da presidente Dilma para se tornar juiz titular do TRE a partir de julho, podendo pontificar como um dos coordenadores da eleição de 2014 em Mato Grosso

J. ESTADUAL / VAGA NO TRE

Gomes, Stumpf e Biancardini compõem lista tríplice
Juristas disputam uma das vagas para juiz titular no TRE-MT

O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) definiu, nesta quinta-feira (19), os nomes dos advogados Ricardo Gomes de Almeida, Andre Stumpf Jacob Gonçalves e Armando Biancardini Cândia para concorrer a uma das vagas de juiz titular na categoria jurista do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT).

A vaga é atualmente ocupada pelo juiz Samuel Franco Dalia Junior, que encerra seu biênio em 23 de julho de 2014.

O candidato mais votado pelos desembargadores foi o advogado Ricardo Gomes, com 17 votos. Atrás dele, com 14 votos, figura Andre Stumpf seguido de Armando Biancardini, que obteve 13 votos.

A lista deve ser remetida ao TRE, que por sua vez a enviará para a presidente da República, Dilma Rousseff, responsável pela escolha dos nomeados.

Também concorreram à vaga os advogados Flávio Bertin (que conseguiu 9 votos), André Luiz de Andrade Pozetti, que exerceu o cargo de juiz substituto no tribunal até outubro deste ano e José Luiz Blaszak, que atua como juiz titular na categoria jurista no TRE-MT e encerra seu biênio em julho do ano que vem

Mais vaga

Ainda há outra vaga em aberto para juiz titular na categoria jurista, em virtude do encerramento do biênio de Blaszak, em julho.

Para esta vaga concorrem o próprio Blaszak e os advogados Samir Harmmoud, Lauro da Matta, Ricardo Almeida, Flávio Bertin e Átila Gattass.

Também está aberta a vaga para juiz substituto. O cargo será vago com o fim do biênio de André Stumpf. Para essa vaga, três advogados se inscreveram, sendo eles: José Ricardo Costa Marques Corbelino, Lauro da Matta e Eliel Alves de Souza.

FONTE MIDIA JUR

—————

Atual Composição do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso

JUÍZES-MEMBROS EFETIVOSCATEGORIAINÍCIOTÉRMINOBIÊNIO
Juvenal Pereira da Silva (Presidente)DESEMBARGADOR15.4.201314.4.2015
Maria Helena Gargaglione Póvoas (Vice-Presidente e Corregedora)DESEMBARGADORA15.4.201314.4.2015
Francisco Alexandre Ferreira Mendes NetoJUIZ DE DIREITO26.3.201225.3.2014
Agamenon Alcântara Moreno JúniorJUIZ DE DIREITO10.10.201309.10.2015
José Luiz BlaszakJURISTA19.7.201218.7.2014
Samuel Franco Dalia JuniorJURISTA24.7.201223.7.2014
Pedro Francisco da SilvaJUIZ FEDERAL15.8.201314.8.2015
JUÍZES-MEMBROS SUBSTITUTOSCATEGORIAINÍCIOTÉRMINOBIÊNIO
João Ferreira FilhoDESEMBARGADOR24.7.201223.7.2014
Marcos Henrique MachadoDESEMBARGADOR4.3.20133.3.2015
Gilperes Fernandes da SilvaJUIZ DE DIREITO10.1.20129.1.2014
Alberto Pampado NetoJUIZ DE DIREITO20.6.201319.6.2015
Aguardando definiçãoJURISTA—–—–—–
André Stumpf Jacob GonçalvesJURISTA18.7.201217.7.2014
Vanessa Curti Perenha GasquesJUIZ FEDERAL15.8.201314.8.2015
PROCURADOR REGIONAL ELEITORALSITUAÇÃOINÍCIOTÉRMINOORIGEM
Marcellus Barbosa LimaEFETIVO18.6.201217.6.2014MPU
Rodrigo Timoteo da Costa e SilvaSUBSTITUTO25.10.201217.6.2014MPU

 

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

vinte − 7 =