PREFEITURA SANEAMENTO

DILMA NO CENTRO DA VIRADA DO PODER MUNDIAL: As estratégias de contenção econômicas promovidas por Washington contra Moscou e Caracas precipitaram a reconfiguração de alianças no sistema mundial. A associação estratégica entre Mercosul e União Euro-asiática desafia os Estados Unidos e a hegemonia do dolar e surge como mecanismo decisivo na construção de uma ordem mundial multipolar

A presidenta Dilma Roussef, do Brasil, e o presidente Putin, da Rússia. As exportações da Rússia para a América Latina estão concentradas em mais de 50% em fertilizantes, minerais e combustíveis. Moscou compra dos países latinos basicamente produtos agrícolas, carnes e componentes eletrônicos. De acordo com as projeções elaboradas pelo Instituto da América Latina da Academia de Ciências da Rússia, o comércio bilateral vai chegar a 100 bilhões de dólares no ano de 2030, um aumento de mais de 500%.

A presidenta Dilma Roussef, do Brasil, e o presidente Putin, da Rússia. As exportações da Rússia para a América Latina estão concentradas em mais de 50% em fertilizantes, minerais e combustíveis. Moscou compra dos países latinos basicamente produtos agrícolas, carnes e componentes eletrônicos. De acordo com as projeções elaboradas pelo Instituto da América Latina da Academia de Ciências da Rússia, o comércio bilateral vai chegar a 100 bilhões de dólares no ano de 2030, um aumento de mais de 500%.

Como o Mercosul e a União Euro-asiática desafiam os Estados Unidos e a hegemonia do dólar

A associação estratégica entre Mercosul e União Euro-asiática surge como mecanismo decisivo na construção de uma ordem mundial multipolar.


Ariel Noyola Rodríguez, na Agência Carta Maior

Diante da ofensiva imperial empreendida por Washington contra a Rússia e os governos eleitos democraticamente na América Latina, a associação estratégica entre Mercosul e União Euro-asiática surge como mecanismo decisivo na defesa da soberania e na construção de uma ordem mundial multipolar, cada vez mais longe da órbita do dólar e menos centrado na economia dos Estados Unidos.

As estratégias de contenção econômicas promovidas por Washington contra Moscou e Caracas precipitaram a reconfiguração de alianças no sistema mundial. É que ainda que a Rússia se localizasse geograficamente hemisfério norte, sua agenda diplomática possui maior vínculo com as economias emergentes. O mesmo acontece em relação aos países da América Latina, a região que, de acordo com o chanceler da Rússia Sergei Lavrov, caminha para se transformar em um pilar fundamental na construção de uma ordem mundial multipolar.

Existe complementariedade econômica no fundamental. As exportações da Rússia para a América Latina estão concentradas em mais de 50% em fertilizantes, minerais e combustíveis. Moscou compra dos países latinos basicamente produtos agrícolas, carnes e componentes eletrônicos. De acordo com as projeções elaboradas pelo Instituto da América Latina da Academia de Ciências da Rússia, o comércio bilateral vai chegar a 100 bilhões de dólares no ano de 2030, um aumento de mais de 500%.
 
Entretanto, também há múltiplos desafios no horizonte. O contexto recessivo da economia mundial, a tendência deflacionária (queda de preços) no mercado de matérias-primas (em especial o petróleo), a desaceleração do continente asiático e as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos e a União Europeia revelam a urgente necessidade de elevar os termos da relação diplomática entre Rússia e os países latino-americanos.
 
Como efeito da queda do comércio entre Rússia e União Europeia, a América Latina emerge de alguma maneira como mercado substituto e, ao mesmo tempo, em qualidade de receptora de investimentos de alta tecnologia. Neste sentido, é preciso destacar os projetos de investimento do Consórcio Petroleiro Nacional (formado por Rosneft, Gazprom Neft, LUKoil, TNK-BP e Surgutneftegas) comprometidos com empresas de Brasil, Argentina, Venezuela, Guiana e Cuba, entre outros países.
 
Junto disso, existe um amplo leque de possibilidades para a construção de alianças científico-tecnológicas que, por um lado, promovem o desenvolvimento industrial da região latino-americana, e, por outro, contribuam para diversificar as exportações de Moscou, atualmente concentradas nos hidrocarbonetos.
 
O longo estancamento da atividade econômica mundial, assim como o aumento da conflitividade interestatal para garantir o fornecimento de matérias-primas elementares (petróleo, gás, metais, minerais, terras raras etc) para a reprodução de capital, promovem a construção de alianças estratégicas através de acordos de comércio preferenciais, investimentos conjuntos no setor energético, transferências tecnológicas, cooperação técnico-militar, etc.
 
De acordo com essa mesma perspectiva, a relação estratégica que a Rússia mantém com vários países latino-americanos no plano bilateral (Argentina, Brasil, Cuba, Equador, Nicarágua, Venezuela etc.), busca se ampliar na região sul-americana por meio da União Euroasiática (composta pela Rússia, Bielorrússia, Armênia e Quirguistão) como ponta de lança.
 
O presidente Vladimir Putin defendeu em 2011 (em um artigo publicado no jornal ‘Izvestia’) transformar a União Euroasiática em um mecanismo ponto entre a região Ásia-Pacífico e a União Europeia, o cerco imposto contra a Federação Russa pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) cancelou temporariamente essa possibilidade.
 
Consequentemente, a União Euroasiática rompe seus limites continentais através da criação de zonas de livre comércio com a China no continente asiático, Egito no norte da África e o Mercado Comum do Sul (Mercosul, composto por Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela.
 
Nos últimos anos, a relação estratégica entre União Euroasiática e Mercosul representa a maior aposta da Rússia na região sul-americana em termos de integração regional: os dois blocos possuem uma extensão territorial de 33 milhões de quilômetros quadrados, uma população de 450 milhões de habitantes e um PIB combinado acima dos 8,5 bilhões de dólares (11,6% do PIB mundial, medido em termos nominais). A relação estratégica persegue dois objetivos gerais. Em primeiro lugar, diminuir a presença dos Estados Unidos e da União Europeia nos fluxos de comércio e investimento extrarregionais. E, em segundo lugar, acelerar o processo de desdolarização global através do uso de moedas nacionais como meios de liquidação.
 
A construção de um sistema de pagamentos alternativos à Sociedade para as Comunicações Interbancárias e Financeiras Internacionais (SWIFT, em sua sigla em inglês) por parte da Rússia (China anunciou recentemente o lançamento de um sistema de pagamentos próprio, que poderia começar a funcionar em setembro de 2015), assim como a experiência da América Latina sobre o Sistema Único de Compensação Regional (SUCRE) para amortecer os impactos externos sobre o conjunto da região, são evidência do crescente protagonismo de ambas as partes na criação de instituições e novos mecanismos financeiros que abandonam a órbita do dólar.
 
É indubitável, diante da investida econômica e geopolítica empreendida pelo imperialismo norte-americano, que as economias emergentes se esquivam de confrontos diretos por meio da regionalização. De modo sucinto, a União Euroasiática e o Mercosul deverão direcionar seus esforços para uma maior cooperação financeira e, paralelamente, articular uma frente comum em defesa da soberania nacional e dos princípios do direito internacional.
 
Em conclusão, a relação estratégica entre a União Euroasiática e o Mercosul tem uma enorme oportunidade para apresentar diante do mundo parte da exitosa resposta dos dois blocos para o agravamento da crise econômica atualmente em curso e, com isso, contribuir de maneira decisiva para enfraquecer os cimentos da hegemonia do dólar.
____________________

Ariel Noyola Rodríguez é economista graduado pela Universidade Nacional Autônoma do México.

Tradução de Daniella Cambaúva.

Originalmente publicado no RT em espanhol.

18 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.250.35.39 - Responder

    Com certeza anda fumando o cigarrinho do capeta.Para este lunático brevemente ,esta união de psicopatas incompetente e populistas destruirão a América.

  2. - IP 187.5.84.43 - Responder

    A complexidade do tema em processo dialético com a incapacidade intelectual de Osmir, leva o destrambelhado a expressar sua incompreensão sob a forma de um suposto chiste que não passa, na verdade, de uma viciação na inatividade mental agressiva e burrice muito bem cultivada. Mas a democracia e a liberdade impõem-nos a presença e os inconvenientes desse elemento que sequer mostra conhecimento da sua faixa de pensamento. Mas a vida é assim, e a convivência diária com essa gente não significa que sejamos obrigados a mergulhar nessa lama mental que elaboram e muito menos que nos sujeitemos à degradação da ausência do pensar. Entre o verme e a estrela, temos Osmir e sua turma que, diariamente, comparecem a esta Paginadoe sedentos de conhecimento e notícias do mundo real, o mundo da intensa atividade cerebral e dos debates das ideias. Se conseguirmos fazer com que Osmir pense, teremos atingido o objetivo de transformar o Mundo em que nos movemos e existimos. Por enquanto, apenas xingamentos, ofensas, baixo calão e baixarias de toda ordem. Mas sejamos pacientes… a consciência germina no pó da terra e se auto-elabora em bilhões de anos de atividade em direção às luzes do pensamento dialético. Esperemos…

    • - IP 191.250.35.39 - Responder

      Idiota erudito.Produto de alguma faculdade de Tangará para lá!CRUZES

    • - IP 191.250.34.185 - Responder

      Ubirajara vc parece ser um idiota mesmo, ignorante na sua fala e na sua cultura, pq vc não fica com a merda da sua boca fechada, pois dela só sai besteiras atras de besteiras, CALA BOCA MAGDA!!!!!

  3. - IP 189.2.50.146 - Responder

    Faz-me rir! Rir muuuito, kkkkk,aliás, morrer de rir…

  4. - IP 189.59.57.216 - Responder

    A Dilmá está mesmo é no centro mundial da corrupção.

  5. - IP 187.5.84.43 - Responder

    Claudionor Pereira, FDP de carteirinha, adora falar em merda e reproduzir chavões e cliches. Quer, aqui nesta página, reproduzir o ambiente da casa da mãe… Assim ninguém aguenta, Claudionor…, ou melhor, assim só você aguenta, mas o espaço é público, garoto. Perdoem-me os demais por essa arrumação no caminhão…

    • - IP 189.87.159.130 - Responder

      Ubirajara vc é uma biba enrustida, vc deve saber como é ou foi a casa da sua mãe, cheia de leiteiro, padeiros, um filho diferente do outro, talvez uns petistas igual a vc, mas pelo menos fez a alegria de muitos marmanjos, se ela já se foi me perdoe, mas nem os cupins quiseram tanto q foi usada, e se eu te encontrar por aí, ou se vc for homem para aparecer para mim vai apanhar de cinto, pois é assim que eu trato PETISTA FILHO DE P…!!!

  6. - IP 177.221.96.140 - Responder

    A corrupção do Pt não existe.

    Os petralhas são todos honestos.

    Os petralhas são todos santos.

    petralhas não roubam, mas se roubarem é para o bem do povo.

  7. - IP 179.253.183.246 - Responder

    Bastou cutucar Claudionor que a besta batisada, freudianamente, descreveu a pocilga de onde veio, dando detalhes de sua mãe. E parece que apanhou muito de cinta, o m…, porque reproduz em suas ameaças sua realidade cruel. Foi espancado e nunca educado… razão pela qual devemos ter paciência. mas de vez quando é bom dar um cascudo para não ficar muito atrevido.

    • - IP 189.87.159.130 - Responder

      Vc não é homem de aparecer, sabe q vai apanhar de cinto na boca, PeTista malandro, agora só uma pergunta, vc parece mais com o leiteiro ou com o padeiro, ou a sua mãe nem sabia também, pelo ódio que vc sente da direita com certeza vc viu muito a sua mãe trabalhando né, isso que é freudiano seu ignobil???? kkkkkkkkkkk

  8. - IP 187.5.86.217 - Responder

    SÓ GENTE BOA NESSA FOTO MAS A DILMA MISTURAR COM GENTE QUE PENSA DIFERENTE NÃO VA IDAR CERTO PORQUE OS PETRALHAS SÓ APOIAM ESSES BANDIDOS TERRORISTAS COMUNISTAS ESPERAR O QUE DESSA POVO PETRALHA SÓ BANDIDAGEM PURA.

  9. - IP 179.253.183.246 - Responder

    Claudionor ofende e depois dispara o “kkkkkkkkkkkkk”. Observo que o valentão é histérica… deve ser igual bruxa má dos contos infantis. Porra, Claudionor, e falando em surrar de cinta… isso é fixação com o pedaço de couro destinado a segurar as calças… Claudionor, meu filho, essa psicanálise está de detonando…

    • - IP 189.87.159.130 - Responder

      Não adianta espernear Bira Biba, vc não me respondeu se parece mais com o leiteiro, padeiro ou mesmo sapateiro, vc nem sabe quem é seu pai, imagina se vai saber o q é um país decente, isso meu que é freudiano…kkkkkkkkk

  10. - IP 191.24.214.151 - Responder

    Esse tal Ubirajara é um idiota, só caga pela boca, ou seja, é um boçal!!!

    • - IP 179.253.183.246 - Responder

      Sua mamãe não pensa desse modo, seu FDP.

  11. - IP 189.87.159.130 - Responder

    Pedro Pereira, não adianta discutir com filho de corno, que sequer sabe quem é o pai dele, deixa-o falando sozinho, viu a mãe dele trabalhando muito com garimpeiros, pedreiros, leiteiros, sapateiros, etc., deixa ele, só Deus na causa dele, imagina a dor dele não saber quem é o f… do pai dele, imagina só, releva!!!

  12. - IP 189.10.10.119 - Responder

    O irmão de Pedro, Claudionor, sabe muito bem quando dá com os burros n´água… É isso, explica para seu irmão que aqui não é lugar para FDP ficar torrando a paciência… É feio e constrangedor esses m… dando opinião sobre tudo sem entenderem nada de coisa nenhuma.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

treze + três =