Desembargador Ivan Athié manda soltar Temer e anula prisão preventiva do juiz Marcelo Bretas. LEIA DECISÃO

Athié e Bretas

O desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região, determinou nesta segunda-feira, 25, a soltura do ex-presidente Michel Temer (MDB) após quatro dias de prisão. Temer havia sido preso preventivamente por ordem do juiz federal Marcelo Bretas, titular da Lava Jato no Rio – uma decisão comemorada por muitos mas questionada também por outros tantos.

Em sua decisão, o desembargador rebateu argumentos usados pelo juiz da Lava Jato para autorizar as prisões. Athié afirmou que são “antigos” os indícios de crimes e argumentou que Temer e os demais presos não oferecem risco à ordem pública ou à investigação. O magistrado deu até uma certa ironizada na decisão de Bretas dizendo que o juiz federal da Lava Jato usou termos como “parecia” por diversas vezes para justificar a decisão. O que deixa transparecer a falta de efetiva base legal para a decisão do magistrado, apontada por diversos analistas como meramente midiática, uma espécie de reação dos lava-jateiros a recentes decisões do STF que desagradaram o núcleo mais duro desta episódica corrente do Judiciário brasileiro.

Desembargador Antônio Ivan Athiê manda soltar Michel Temer preso indevidamente pela Lava Jato by Enock Cavalcanti on Scribd

Juiz federal Marcelo Bretas… by on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × 3 =