PREFEITURA SANEAMENTO

Percival comanda rebelião contra Silval. Será pra valer?

Ao se despedir da Assembléia articulando bloco de Oposição, Percival Muniz pode estar dando a uma forte renovação na política de Mato Grosso, consolidando os rumos apontados pelo eleitorado nas eleições municipais deste ano

E surge o G10 de Percival Muniz

por Enock Cavalcanti

Meus amigos, meus inimigos: passada a votação do segundo turno, em Mato Grosso, os partidos que se articulam em torno do Movimento MT Muito Mais aparecem batendo cabeça, no cenário político do Estado. Enquanto o prefeito eleito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT) cobra mais firmeza no questionamento da atual administração do governo de Silval Barbosa (PMDB) – e pode despontar como o líder da Oposição, nesta virada de ano, Mauro Mendes, estranhamento, ensaia um recuo em sua disposição oposicionista.

Desatento às possibilidades da conjuntura, o prefeito eleito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) já acena com um pacto de governabilidade com Silval. Valtenir Pereira, presidente e líder maior do PSB, entende que, nessa fase de ajuste das novas administrações, é natural que se faça alguns pactos administrativos, para garantir o atendimento prioritário às reivindidações dos eleitores/cidadãos. Mas será que o povo que votou nos candidatos anti-Silval vai entender assim?

Na Assembléia Legislativa, palco das ações mais desencontradas, a deputado Luciane Bezerra (PSB) vem defendendo com ardor a aprovação da autorização reivindicada pelo Superior Tribunal de Justiça para que Silval seja processado, entre outros crimes, por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, na época em que comandou a Assembléia como parceiro de Geraldo Riva – especialista em escolher outros parlamentares para, na linguagem popular, “segurarem a rabuda”, junto com ele, como já aconteceu com os também parlamentes Gilmar Fabris e Humberto Bosaipo, os dois também co-réus em processos por corrupção impetrados pelo Ministério Públlico contra o superprocessado Riva.

Apesar da pressão de Luciane Bezerra, a autorização para o processo contra Silval vem tendo sua votação empurrada com a barriga – e nessa terça-feira foi adiada sine die por um pedido de vistas do deputado Dilmar Dal Bosco (DEM).

Numa outra ponta, o deputado estadual e prefeito eleito de Rondonópolis, Percival Muniz pontificou neste terça-feira como articulador do “G10” – um grupo pretensamente de Oposição ao Governo do Estado que, como sua primeira atividade, defendeu um boicote ao encontro dos parlamentares da Assembléia com o governador, que aconteceu à tarde no Paiaguás. E o boicote, efetivamente, aconteceu.

A informação é que, nesta quarta-feira, os deputados do “G10” vão divulgar mais articuladamente os seus objetivos. “A nossa idéia é agir de uma forma mais dura para que o Estado cumpra seus compromissos sob o risco dee ficar tarde demais”, disse Percival.

Há quem fale que a articulação do “G10” não passa da formação de um novo grupo de pressão para conquistar vantagens pessoais para os parlamentares, como o imediato pagamento in totum das emendas parlamentares e a ampliação dos favores do Paiaguás para estes parlamentares. Outros garantem que Percival está taxiando para alçar voo no rumo de uma candidatura a governador de Estado.

De qualquer forma, o grande teste para o “G10” de Percival Muniz será a votação da licença para a abertura de processo contra o governador Silval Barbosa. Com o pedido de vistas de Dilmar Dal Bosco, a votação só deve acontecer na semana que vem. Será que os 10 neooposicionistas votarão em bloco contra o governador ou estabelecerão, até lá, um arreglo com os atuais donatários do Paiaguás?

Pelo resultado das urnas, nas recentes eleições municipais, há clima e base social para que Silval enfrente um bloco de resistencia bem mais forte, não só na Assembléia como também na sociedade. Mauro age como quem se vinga desta forma do fato de ter sido constrangido a assumir que ficará na Prefeitura de Cuiabá até 2014, tendo que adiar seu sonho de tentar chegar ao Paiaguás pelo menos até 2018. Com seu ego inflado,  Mauro Mendes tem evitado, inclusive, reconhecer que, sem ele na disputa,  o deputado federal Valtenir Pereira é um nome potencial para a disputa do governo do Estado em 2014, visando o fortalecimento do PSB que Mauro Mendes preside em Cuiabá. O vacilo no discurso de  Mauro Mendes já demonstra que podemos estar diante de um negociador exageradamente personalista e sem as caracteristicas necessárias para pontificar como principal articulador do Bloco de Oposição, no rumo das eleições de 2014.

Este papel pode estar reservado para Percival Muniz, Otaviano Pivetta e Valtenir Pereira, com reforço de Luciane Bezerra, Zeca Vianna e Pedro Taques, se algum deles se dispuser a isso. O fato é que, à medida que Mendes se ajojar com Silval, recebendo nesta movimentação o apoio de Blairo Maggi, a política de Mato Grosso pode mergulhar, novamente, em uma fase de conchavos vergonhosos que apontariam numa direção diferenciada daquela que a maioria dos eleitores firmou nas urnas.

É preciso muita atenção na dinamica das articulações por que a conjuntura é multifacetada e existem, ainda, em atuação, como se sabe, forças poderosissimas que se articulam no campo da Situação, agregando PMDB, PT e seus partidos vassalos. Além da presença deste operador muito bem articulado que é o superprocessado deputado Geraldo Riva.

Um importante incógnita, neste quadro, é o comportamento do PR do senador Blairo Maggi. É preciso saber se ele avançará no seu compromisso com o MT Muito Mais ou se refluirá no sentido de voltar ao colo de Silval Barbosa.  (EC)

—————

MAIS INFORMAÇÃO

9 deputados boicotam reunião com governador

Presidente da Assembleia, deputado José Riva destacou que governo do Estado repassará aos municípios os recursos para a Saúde

RENATA NEVES
Do DIARIO DE CUIABÁ

Insatisfeitos com a falta de definição em relação a assuntos de suma importância por parte do governo do Estado, um grupo de nove deputados estaduais “boicotou” a reunião com o governador Silval Barbosa (PMDB), realizada na tarde de ontem (30).

Fazem parte deste grupo os deputados Percival Muniz (PPS), Zeca Viana (PDT), Dilmar Dal’Bosco (DEM), Luciane Bezerra (PSB), Ezequiel Fonseca (PP), Antônio Azambuja (PP), Ademir Brunetto (PT), Walter Rabello (PSD) e Luiz Marinho (PTB). O deputado Baiano Filho (PMDB) não participou da reunião, pois está em viagem para discutir a situação da Gleba Suiá Missú, no município de Alto Boa Vista.

Segundo Percival Muniz, o grupo vai definir uma pauta de assuntos específicos para serem discutidos com o governador. “Queremos conversar quando tiver uma pauta definida, afinal, nessas reuniões só conversa, conversa e não resolve nada”.

Entre as reivindicações que serão apresentadas pelos deputados, estão a definição de uma data para o repasse de recursos da saúde aos municípios, elaboração de proposta definitiva para resolver os problemas do MT Saúde, elaboração de um plano de reestruturação do Instituto de Investigação, Desenvolvimento e Estudos Avançados (Indea) e da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer).

“Vamos discutir e unificar um documento com as pautas. Assim, poderemos sentar com o governador para discutir uma pauta bem mais específica, se ele quiser. Se não quiser, de qualquer forma vamos recolher assinaturas de apoio de entidades da sociedade civil”, explicou Percival.

Na reunião de ontem, da qual participaram 15 deputados e alguns secretários de Estado, o governador Silval Barbosa se comprometeu a conversar mais com os parlamentares sobre a situação do Estado. Além disso, firmou compromisso de equacionar ainda este ano o débito com o MT Saúde e quitar os repasses da saúde.

Segundo o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD), o Estado já dispõe de R$ 23 milhões para repassar aos municípios até o final do ano. O pagamento será feito em duas parcelas de R$ 11,5 milhões.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.49.165.95 - Responder

    Querem apenas aumentar o valor da marmita. Nada mais que isso!

  2. - IP 186.213.229.8 - Responder

    O que será que esses 09 Deputados ficarão fazendo de produtivo no momento da reunião?????Será que produzirão bons frutos ou ficarão olhando apenas para seus umbigos, sob o conforto de seus gabinetes. Vão falar menos e Trabalhar senhores!!!!! Chega de só subir na tribuna e blá,blá, blá. Por que já não fizerão essas tal pautas???? Dá licença é muito tempo sem fazer nada!!!

  3. - IP 189.10.99.202 - Responder

    Mais uma vez, me recuso a aceitar que esse tão conceituado meio de comunicação, esteje a serviço do banda podre da política de MT (PSD-PMDB-PT); Inegável que as eleições municipais, definiram os gupos pró 2014 e, não tenho dúvida em afirmar que o movimento MT MUITO MAIS, fará o Governador assim como a maioria dos Deputados, revivendo o sonho da população de MT de banir para o ostracismo político, velhas raposas como Silval Faz nada, Éder Sem Moral, Chico Daltro (parasita), Eliene Lima (encostado), Gilmar Fabris, Bezerra, Teté, Alexandre César (eterno suplente), Abicaiu, e o megaprocessado Riva quiça, termine seu mandato, o que acho pouco provável, vez que suas condenações emergiram como vulcão em erupção e, o trator lhe passará por cima, não deixando vestígio desse inergumino da política matogrossense. O Novo é representado por PEDRO TAQUES, MAURO MENDES, EDUARDO MOURA, ERAÍ MAGGI SCHEFFER, NILSON LEITÃO, DILMAR DAL BOSCO, LUCIANE BEZERRA, VALTENIR PEREIRA, ZECA VIANA, CÉSINHA DA AGROSAFRAS (a caminho do PDT ou PPS) e aliados com o mínimo de postura que virão somar a esses ótimos nomes, além do Deputado ADALTO DE FREITAS que, muito provavelmente se filie ao movimento, dando resposta Na rasteira que o PMDB lhe impôs no Araguaia e no Estado como um todo. MT MUITO MAIS, AGORA É NO DOZE (12)!!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dez − 5 =