DEPUTADO EMANUEL PINHEIRO: Durante a semana os sinos da Catedral Metropolitana tocarão às 6h, 12h e 18h. Aos domingos, meia hora antes de cada missa – às 6h30, 8h30, 16h30 e 18h30 – avisando aos fiéis que a solenidade religiosa está para começar. O sino me remete à uma lembrança de uma Cuiabá fraterna, acolhedora.

Emanuel Pinheiro é deputado estadual pelo Partido da República

Emanuel Pinheiro é deputado estadual pelo Partido da República

Catedral: despertar de uma nova Cuiabá

POR EMANUEL PINHEIRO

Talvez não escutasse ainda, mas os sinos da Catedral Metropolitana Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá voltaram a tocar. Há anos as manhãs e o entardecer do Centro Histórico de Cuiabá não são os mesmos. O fato por si só merece mais do que mil palavras. Depois de 20 anos parados, o relógio e os sinos da igreja voltaram a badalar aos bons ventos da calorosa Cuiabá.

Os equipamentos fazem parte da história de Cuiabá e é com muita satisfação que recebemos a restauração dos sinos e da reativação dos relógios. É o resgate histórico daquilo que é símbolo da cidade, um dos cartões portais da Capital. Apesar da idade, é um conjunto moderno, que recebeu várias reformas ao longo dos anos.

Eles foram doados pela colônia libanesa-síria juntamente com o relógio original das torres, na década de 70, assim que a igreja foi reinaugurada. Eles trazem na superfície homenagens a políticos que fizeram história na política administrativa do Estado e também do país. As inscrições podem ser vistas devido à restauração dos sinos.

Os homenageados são – Fernando Corrêa da Costa, João Ponce de Arruda, José Fragelli, Pedro Pedrossian e Eurico Gaspar Dutra. Os quatro primeiros foram governadores do estado e, o último, cuiabano, foi presidente da República. As homenagens são intrínsecas e estão relacionadas às ligações pessoais de Dom Orlando Chaves, bispo tido como o responsável pela construção da nova Catedral.

Os sinos são feitos de bronze, têm tamanhos diferentes – o maior pesa 1,5 tonelada e o menor 900 quilos e estão distribuídos em duas torres. No que homenageia João Ponce de Arruda está gravado parte do poema “Cidade Verde”, escrito por Dom Aquino Corrêa, que foi bispo, fundador da Academia Mato-grossense de Letras e membro da Academia Brasileira de Letras.

Durante a semana os sinos tocarão às 6h, 12h e 18h. Aos domingos serão tocados meia hora antes de cada missa – às 6h30, 8h30, 16h30 e 18h30 – avisando aos fiéis que a solenidade religiosa já está para começar. O sino me remete à uma lembrança de uma Cuiabá fraterna, acolhedora. Frequentador da Catedral desde que era criança acompanhado dos meus queridos pais, confesso que senti uma grande emoção ao ouvir os sinos tocarem mais uma vez. O som (dos sinos) toca no fundo da alma.

Tudo isso só foi possível com muito trabalho e compromisso com a população. Como não poderia deixar de ser, nossa cidade enfrenta os desafios comuns a todo grande centro urbano e merece trabalho e atenção de todos nós. Meus compromissos com a cidade são permanentes. A Cuiabá do futuro tem raízes nas nossas lembranças do passado e nas grandes transformações do presente, que, juntos, realizamos. Por isso será sempre um lugar tão especial para nós e nossas famílias.

Categorias:Terra da gente

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

18 − cinco =