CUIABÁ EM POLVOROSA: Os advogados Alex Tocantins Matos e Kléber Tocantins também foram alvos da Polícia Federal na Operação Ararath. OAB, através do seu Tribunal de Defesa das Prerrogativas, acompanha abordagem dos advogados na sede da Polícia Federal

Kleber e Alex Tocantis, advogados e o delegado Elzio Vicente, que responde atualmente pela superintendência da Policia Federal em Mato Grosso

Kleber e Alex Tocantis, advogados e o delegado Elzio Vicente, que responde atualmente pela superintendência da Policia Federal em Mato Grosso

Dois advogados são detidos pela Polícia Federal; OAB acompanha o caso

Laura Petraglia e Katiana Pereira
Olhar Direto

O Tribunal de Defesa das Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (TDP/OAB/MT) está acompanhando a detenção de dois advogados pela Polícia Federal, na manhã desta terça-feira (20). Os nomes dos advogados que seriam novos alvos da Operação Ararath. Conforme informações apuradas pelo Olhar Jurídico o mandado de busca e apreensão foi cumprido no escritório de advocacia dos irmãos Alex Tocantins Matos e Kléber Tocantins.

Os advogados, Eduardo Guimarães e Ademar Santana, ambos do TDP, estão na sede da PF, localizada na avenida Historiados Rubens de Mendonça- a do CPA-, para verificar se as prerrogativas dos profissionais estão sendo cumpridas.

Reza o art. 7.º, inciso IV, do Estatuto do Advogado, que é direito do advogado: “ter a presença de representante da OAB, quando preso em flagrante, por motivo ligado ao exercício da advocacia, para lavratura do auto respectivo, sob pena de nulidade e, nos demais casos, a comunicação expressa à Seccional da OAB”.

 

————–

ENTENDA O CASO

 

VAZAMENTOS SELETIVOS: Policia Federal considera “extremamente suspeita” transferência de R$ 4,7 milhões feita pelo escritório dos advogados Kleber e Alex Tocantins para empresa investigada na Operação Ararath

Por Enock Cavalcanti em Direito e Torto | Editar – 13/12/2013 

Kleber e Alex Tocantis, advogados e o delegado Elzio Vicente, que responde atualmente pela superintendência da Policia Federal em Mato Grosso

Kleber e Alex Tocantis, advogados e o delegado Elzio Vicente, que responde atualmente pela superintendência da Policia Federal em Mato Grosso

Continuam os vazamentos seletivos das autoridades da Polícia Federal com relação à Operação Ararath. Depois da busca e apreensão contra a residência e o gabinete do juiz federal Julier Sebastião da Silva, até agora não esclarecido devidamente, o novo vazamento lança suspeita sobre o escritório Tocantins Advogados S/A. Confira o noticiário. (EC)

 

COTIDIANO / OPERAÇÃO ARARATH

PF descobre depósito de R$ 4,7 mi de escritório de advogados para empresa investigada

Relatório da Polícia Federal aponta a existência de uma transferência bancária feita pela Tocantins Advogados S/A para a conta de uma das empresas investigadas na Operação Ararath no valor de R$ 4,750 milhões como “extremamente suspeita”. A transação aconteceu em março de 2009 e foi descoberta após a quebra do sigilo bancário, fiscal, telefônico e de dados de um dos investigados no esquema.

De acordo com o levantamento feito pelos agentes da PF, não houve nenhuma negociação financeira através de bens ou serviços que comprovasse a origem de uma transferência financeira tão volumosa. O cruzamento de dados fornecido pelo Banco Central ainda mostra que, em toda investigação, só houve este negócio entre o escritório de advogados com a empresa investigada.

Agora, a PF segue com as investigações para tentar descobrir a origem da transferência. Para isso, os agentes cruzam dados com documentos apreendidos nas duas fases da Operação Ararath realizadas no mês passado.

A reportagem tentou entrar em contato com os responsáveis pela Tocantis S/A, mas eles não atenderam os telefonemas e informaram que estavam em audiência. Uma mulher, que se denominou gestora do escritório, ficou de agendar uma entrevista com um dos sócios – Kléber Tocantins ou Alex Tocantins – para falar sobre o assunto.

Em seu portal, a Tocantis Advocacia informa que foi fundada em 2005 e atua ramos do direito civil, societário, tributário, econômico e internacional. Além disto, o escritório já conseguiu conquistar ações milionárias contra o Governo de Mato Grosso que se transformaram em precatórios já quitados.

A operação Ararath foi iniciada no dia 12 de novembro e hoje os autos do processo foram desmembrados para o Tribunal Regional Federal e Superior Tribunal de Justiça. Altas autoridades dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Tribunal de Contas estariam sendo investigadas no processo que corre em sigilo por suspeita de lavagem de R$ 500 milhões e também tráfico de influência para conseguir sentenças judiciais favoráveis junto ao juiz federal Julier Sebastião da Silva.

FONTE O DOCUMENTO

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.25.32.31 - Responder

    Enock, o olhar direto divulgou a lista completa dos investigados:
    Confira a lista dos mandados de busca e apreensão determinados pela Polícia Federal

    Bic Banco – São Paulo e Cuiabá
    Luiz Carlos Cozzeol – Cuiabá
    Vilceu Aparecido MArcheti – Primavera do Leste
    Ezequiel de Jesus Olveira Lara – Cuiabá
    Lince Construtora e Incorporadora
    Ana Cristina Saboia – empresária – Cuiabá
    Manuel Jorge de Saboia – empresário – Cuiabá
    São Tadeu Energética S.A – Cuiabá
    Mauro Carvalho Júnior – empresário – Cuiabá
    Ricardo Padilha de Borboun Neves – empresário Cuiabá
    Borboun Fomento Mercantil – Cuiabá
    Gemini Projetos, Incorporações e Construções – Cuiabá
    Anildo Lima Barros – empresário – Cuiabá
    Laje Engenharia e Pavimentação LTDA
    José Antonio Felix – empresário – Cuiabá
    Trimec Construções e Terraplanagem LTDA – Cuiabá
    WTorres Participações e Investimentos, Sol Vermelho Participações e Investimentos, Trimec Equipamentos – Várzea Grande
    Wanderlei Fachetti Torres – Cuiabá
    Lotufo Engenharia e Construções LTDA – Cuiabá

    Que tal começar a dizer quem é quem?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − 10 =