CUIABÁ EM POLVOROSA: Foi o juiz federal Jefferson Schneider quem decretou as 59 buscas e apreensões, as 30 conduções coercitivas e as prisões de Geraldo Riva e Éder Moraes. Schneider diz que não é possível dar mais informações sobre a atual fase das investigações, para não prejudicar a coleta de novas provas

Jesserson Schneider é juiz federal em Mato Grosso

Jesserson Schneider é juiz federal em Mato Grosso

JUDICIÁRIO / OPERAÇÃO ARARATH

Juiz decretou 59 buscas, 30 conduções coercitivas e 2 prisões

Decisões foram proferidas por Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal de MT

Antonielle Costa, no MATO GROSSO NOTICIAS

 

Por meio de nota, o juiz da 5º Vara Federal de Mato Grosso, Jeferson Schneider, informou que decretou a busca e apreensão em favor de 59 investigados, dentre eles pessoas físicas e jurídicas, a condução coercitiva de 30 pessoas, a prisão preventiva de um investigado, uma prisão temporária e ainda recebeu a denúncia de quatro acusados.
Segundo ele, essas medidas cautelares foram proferidas no âmbito de dez inquéritos policiais, os quais compreendem a Operação Ararath, por meio de 23 decisões judiciais.
Ele confirmou ainda decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), em razão da prerrogativa de foro de alguns dos investigados.
Ainda na nota, ele afirmou que em função de as diligências ainda estarem em andamento, neste momento, não é possível dar mais informações sobre a atual fase das investigações, para não prejudicar a coleta de novas provas.
Operação

 

A operação deflagrada hoje resultou na prisão do ex-presidente da AL, José Riva e o ex-secretário de Estado, Éder Moraes. Vários mandados de busca e apreensão também foi cumpridos entre eles na casa e no gabinete do conselheiro Sérgio Ricardo e do governador Silval Barbosa (PMDB).

 

Vários empresários foram conduzidos coercitivamente a sede da Polícia Federal para prestar esclarecimento. As investigações são de possíveis crimes contra a administração pública e lavagem de dinheiro.

 

Os números de presos e mandados não foram divulgados pela PF, pela primeira vez, em, todas as operações, a entidade foi censurada e não divulgará os dados por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 65.49.14.148 - Responder

    Agora Ta explicado por que a principal peça do quebra cabeças não está nesta operação!

    Foi Jogo de Amigos!

    Senti Falta do Senador Pedrinho Malvadeza nessa lista.

    Vejamos, conforme já foi muito noticiado nesta pagina do E, o Pedrinho malvadeza tem estreitas ligações com a família Mendonça, tendo o Fernando como principal doador de campanha, e seu braço direito para assuntos políticos em Várzea Grande, tendo inclusive empregado sua filha residente em Cuiabá, no gabinete do senador em Brasília!

    O Coordenador Financeiro do Pedrinho Malvadeza o empresário de factoring, senhor Ricardo Novis Neves também está sendo investigado!

    O Principal Braço financeiro do Pedrinho malvadeza em MT, senhor Mauro Mendes, foi investigado juntamente com seu sócio, mas e aí, cadê o Pedrinho?

    Pedrinho, nunca escondeu sua amizade com o Jeferson Schneider!

    Isso me parece encomendado, para deletar do jogo político de 2014, alguém que o Pedrinho malvadeza literalmente se caga de medo de enfrentar nas urnas, isso foi tão encomendado quanto foi a operação jurupari, onde o Ex. juiz e ex amigo do Pedrinho, Dr. Julier Sebastião, deixou escapar a celebre frase “se não tiver político, não precisa analisar”!

    Mais uma vez caminhamos para a manipulação eleitoral através do uso da maquina da PF, JF, e MPF!

    • - IP 189.59.38.178 - Responder

      Cara, não entendi …Pedrinho Malvadeza, como vc se refere, imagino ser Pedro Taques….quer dizer que ele armou para investigar seus aliados? O seu coordenador financeiro? O seu aliado Mauro Mendes?!!
      Esse raciocínio parece coisa de maluco!!!!
      PS: Ricardo Novis Neves é o filho do Dr. Gabriel? Ele trabalha com o Taques mesmo?

Deixe uma resposta para Papagaio    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

seis − 4 =